sexta-feira, 30 de setembro de 2016 78 comentários

Mensagem de Vovô Rei Congo das Almas

             


    Hoje passarei aqui uma mensagem dada pelo meu amado e incomparável
Mentor, o meu protetor e tão querido Preto Velho, Vovô Rei Congo das
Almas.

    Essa mensagem é uma reflexão à todos, e claro que para alguns vai
ser apenas mais uma mensagem, porém para outros será um novo caminhar,
no que pode se falar sobre Umbanda.

    Essa mensagem foi nos passada com intuito de entendermos a
verdadeira Umbanda, e deixarmos esses pensamentos retrógrados passados
por pessoas sem informações, que só sabem usar da intolerância para
ofender a nossa amada religião, ofendendo nossos Orixás e nossas
Entidades de Luz.

    Essa mensagem vai servir muito também as pessoas que se adentram
em uma casa de Umbanda somente com intuito e a falsa ideia de que
poderá lá, fazer algum tipo de mal a seu semelhante.

    Portanto, prestemos atenção aos dizeres de vovô Rei Congo das
Almas.
********************************************************************

    "Meus filhos e filhas amados, sendo umbandistas ou não, vamos
entender que Deus é único, e sendo único ele está vivo em todas as
religiões. E se está em todas as religiões ele está em nossa amada
Umbanda. E se Deus está na Umbanda, podemos então certamente afirmar
que todos os Orixás e todas as Entidades de Luz são mensageiros de
Deus, são Anjos de Deus, são a luz de Deus para iluminar os caminhos
daqueles filhos que necessitam de uma caridade espiritual para seguir
suas vidas, sem se deixarem abater pelos obstáculos que surgem a todo
instante nessa caminhada.

    Imaginemos filhos amados, toda a luz, toda a força, toda a
caridade e todo desprendimento dessas Entidades maravilhosas.
Imaginemos o quanto são divinas essas Entidades de Deus, imaginemos a
luta constante dessas luzes maravilhosas para manter em linha reta os
filhos que necessitam desse auxilio. Imaginemos amados filhos e filhas
a pureza de coração que cada uma Entidade dessas que se entregam a um
trabalho de caridade em terreiros e centros de Umbanda tem.

    Agora deixemos de imaginar tudo isso e vamos refletir o que os
irmãos que vão a um terreiro de Umbanda pedem a essas Entidades de
Luz.

    Muitas pessoas vão ao encontro delas e pedem paz, saúde, harmônia,
compreensão, vitórias, ou mesmo pequenas necessidades do dia a dia.
Porém uma grande maioria só adentram em uma casa de caridade com
pedidos desconexos, pedidos de maus sentimentos, pedidos que vão
contra as leis da Umbanda e do próprio Deus.

    Filhos, não se entreguem ao ódio, ao rancor, a soberba, a vaidade,
a inveja, a prepotência, a falta de amor próprio, as amarguras, e a
falta de humildade.

    Não levem esses sentimentos obscuros a uma casa de Umbanda, não
façam pedidos que possam fazer com que esses pedidos se tornem força
energética à favor de obsessores.

    Sejam caridosos, amáveis, tenros, humildes.

    Não vá a uma Entidade levando pedidos de destruição de um
semelhante, pedidos de amarrações, pedidos de maldades, pedidos de
crueldade.

    Nós somos Entidades de Luz, amamos todos os filhos que nos
procuram, levamos com todo carinho seus pedidos a Zambi, desde que
eles forem pedidos de luz.

    Respeitem as Entidades de Luz, respeitem a si próprio, respeitem a
Deus.

    Os Pretos Velhos não vão tirar uma pessoa de seu trabalho só
porque você pediu.

    Os Caboclos nunca vão deixar uma pessoa ficar adoentada apenas
porque você deseja isso.

    Os Erês jamais vão derrubar alguém porque você acha que essa
pessoa merece.

    Os Boiadeiros de forma alguma vão laçar e prender as pernas de
alguém porque você pediu.

    Os Malandros nunca deixariam uma pessoa se tornar alcoólatra
simplesmente porque você acredita que essa pessoa não presta.

    Os Ciganos jamais fariam com que um filho se tornasse um fora da
lei, apenas porque você lhe ofereceu uma vela colorida.

    As Pombo Giras não iam se prestar o deprimente papel de amarrar
uma pessoa a você só porque seu orgulho diz que essa pessoa tem que
ser sua.

    Os Exús nunca iriam aceitar bebidas, charutos, ou algum material
orgânico, só porque você acha que assim ele poderia fazer mal a um
desafeto seu.


    Filhos e filhas, sejam humanos do bem. Sejam luz e caridade. Sejam
respeitosos com as leis da Umbanda, com as leis das Entidades, com as
leis de Deus.

    Nós, as Entidades de Luz, somos trabalhadores da caridade, e não escravos de vossa maldade. Portanto reflitam muito bem ao pedirem algo em nossa Umbanda, algo as Entidades de luz, algo a Deus.

    Não nos magoem com falta de amor próprio, com amarguras, com
ódios, com vaidades, com rancores, com invejas, com intenções
obscuras.

    Nunca nos tratem como monstros do mal, nunca tentem nos comprar
com cigarros e cigarrilhas, com bebidas ou com velas. Não sujem nossa
evolução usando nosso nome para fazer o mal, não sujem nosso caminho com o sangue derramado de sacrifícios de animais.

    Somos luz e caridade, porém sabemos ser a escuridão da solidão.
Aceitamos seus erros, tentamos sempre consertá-los, mas sabemos que
todos vocês tem o livre arbítrio, e se usarem seu livre arbítrio para
utilizar nossos nomes para a destruição, amarração ou qualquer
sentimento obscuro de seus corações, certamente usaremos o nosso livre
arbítrio para nos afastarmos de suas maldades.

    Lembrem-se sempre que um Preto Velho não é seu escravo, um Caboclo
não está ali para atender seus pedidos do mal, um Boiadeiro não vem em
terra para ouvir você desejar o que não lhe pertence, os Erês são
crianças mas não são induzidas a fazer algo simplesmente porque lhe
deram doces e balas, os Ciganos não são ladrões para roubar algo que
você acha que lhe pertence, os Malandros não são vagabundos que se
trocam por marafo, as Pombos Giras não são mulheres da vida como
muitas médiuns costumam dizer, alegando seus erros e culpando nossas
amadas moças, os Exús não são demônios, não se trocam por sangue, não
tem chifres ou caldas, muito menos pés de bode como os fracos de
espírito pregam.

    Nenhuma dessas Entidades vão se utilizar do poder que Zambi cedeu
a eles para fazer o mal, para receber oferendas, para trazer um falso
amor amarrado, para desencaminhar alguém de um caminho de luz.

    A todos que vão nos templos, terreiros, tendas ou centros de
Umbanda com intenções de levar o mal a seu semelhante, não encontrará
esse caminho. A Umbanda é luz, paz, amor e caridade. As Entidades de
Luz são anjos de Deus, e jamais iam trabalhar em prol do mal.

    Então meus amados filhos e filhas, vamos ser umbandistas, se assim
desejarem, porém sem o ódio, sem rancor, sem más intenções, sem
inveja, sem desejar escurecer o caminho de seu semelhante, sem desejar
amarrar um amor que só existe em sua própria falta de amor próprio.

    Respeite a Umbanda como religião,, respeite as Entidades de Luz
como verdadeiros amigos de caridade, respeite a Zambi, e respeite a si
mesmo.

    Que Zambi na sua infinita sabedoria mostre a todos vocês que tudo
que temos e recebemos vem de acordo com nosso merecimento, seja esse
merecimento para o bem quanto para o mal, ou seja, só recebemos o
merecimento de acordo com o que fazemos.

    Lembrem-se, nenhuma Entidade necessita de oferendas sujas, não
dependemos de nada orgânico, não queremos que invadam as
encruzilhadas, as calungas pequenas, as matas, as cachoeiras, as
calungas grandes para ofertar algo para Entidades ou Orixás. Quem
determina fazer isso são os Eguns, Kiumbas e Zombeteiros que se trocam
oferecendo magias negras por coisas assim, só não nos esqueçamos que
isso tudo será cobrado no momento de sua evolução, no momento de seu
desencarne, ou mesmo nessa vida de encarnado.

    A Umbanda não é magia negra, não é bruxaria nem feitiçaria, não misturem Umbanda com Quimbanda, e assim poderão caminhar na luz de Zambi, sendo todos abençoados pela força suprema dos Orixás, e protegidos pelas Entidades divinas de Luz.

    Que Oxalá abençoe a todos que entenderam e refletiram sobre essa
pequena mensagem."

Vovô Rei Congo das Almas.
********************************************************************


    Finalizo esse texto frisando um ponto muito importante dessa
mensagem de meu amado Mentor. Prestem muita atenção nessa parte
reescrita abaixo.

    "Os Pretos Velhos não vão tirar uma pessoa de seu trabalho só
porque você pediu.

    Os Caboclos nunca vão deixar uma pessoa ficar adoentada apenas
porque você deseja isso.

    Os Erês jamais vão derrubar alguém porque você acha que essa
pessoa merece.

    Os Boiadeiros de forma alguma vão laçar e prender as pernas de
alguém porque você pediu.

    Os Malandros nunca deixariam uma pessoa se tornar alcoólatra
simplesmente porque você acredita que essa pessoa não presta.

    Os Ciganos jamais fariam com que um filho se tornasse um fora da
lei, apenas porque você lhe ofereceu uma vela colorida.

    As Pombo Giras não iam se prestar o deprimente papel de amarrar
uma pessoa a você só porque seu orgulho diz que essa pessoa tem que
ser sua.

    Os Exús nunca iriam aceitar bebidas, charutos, ou algum material
orgânico, só porque você acha que assim ele poderia fazer mal a um
desafeto seu."


    Como podemos ver toda e qualquer colocação diferente dessas que
lemos acima, vem de pessoas más intencionadas, más preparadas,
supostos médiuns, que certamente não foram desenvolvidos, que estão
mistificando, seja por vaidade, por desconhecimento religioso, por
interesse próprio, ou por qualquer outra coisa que está em desacordo
com a verdadeira Umbanda, a Umbanda de Deus nosso Pai Maior.

    Portanto ao levar seus pedidos sem nexo ou noção as casas de
Umbanda, reflita bem sobre que tipo de coisa você pretende falar as
verdadeiras Entidades de Luz, aos verdadeiros Médiuns desenvolvidos de
Umbanda. E reflita muito mais se caso um desses supostos médiuns dar
atenção a seu pedido incoerente, lhe passando trabalhos mais
incoerentes ainda a fazer.

    Consulentes sem bom senso, junto com médiuns vaidosos e
interesseiros, recebem as maiores cargas de espíritos sem luz e
obsessores, portanto use seu bom senso e seu livre arbítrio antes de
prosseguir com algum pedido que possa levar o mal à seu semelhante.

    Reflexão, fé e bom senso.

    Reflitam.




Pai Carlos de Ogum

terça-feira, 20 de setembro de 2016 52 comentários

Entendendo o que é Perispírito

                 

    Dentro da linha espiritualista, inclusive em nossa amada Umbanda,
ouvimos falar de Perispírito. Sempre nos passam que a nossa imagem
terrena é apenas uma cópia dele, que podemos danificá-lo extremamente
com nossos vícios e ações, que poderemos retornar a encarnar com
muitos problemas por termos ferido nosso divino e sagrado Perispírito.

    O Perispírito, segundo a Doutrina Espírita, e também na doutrina
Umbandista, é o elemento intermediário entre corpo e espírito.

    O termo Perispírito foi cunhado por Allan Kardec, e encontra seu
primeiro uso no item VI da Introdução de O Livro dos Espíritos: "O
laço ou Perispírito, que une o corpo e o Espírito, é uma espécie de
envoltório semi material. A morte é a destruição do envoltório mais
grosseiro. O Espírito conserva o segundo, que constitui para ele um
corpo etéreo, invisível para nós no estado normal , mas que pode se
tornar acidentalmente visível e mesmo tangível, como sucede nas
aparições."

    O Perispírito seria um corpo fluídico que envolve o espírito na
condição de ente "semi material". Mais "grosseiro" que o espírito e
mais "sutil" que o corpo, seria o responsável, entre outras funções,
pela transmissão da vontade daquele para este e das sensações do corpo
para o espírito. Seria constituído a partir de modificações
particulares do "Fluido Cósmico Universal", que Kardec defendia ser a
matéria primordial de que se compõe o universo.

    O corpo perispiritual e o corpo carnal têm, pois, origem no mesmo
elemento primitivo; ambos são matéria, ainda que em dois estados
diferentes.

    Para a comunicação de um espírito ou de uma Entidade de Luz com um
médium desenvolvido, é extremamente necessário o uso do Perispírito,
pois por meio dele que os Espíritos atuam sobre a matéria inerte  e
produzem os diversos fenômenos mediúnicos.

    Da mesma forma, comunicam-se com os encarnados, transmitem-lhes
bons ou maus pensamentos, de acordo com o grau de moralidade que
possuem, ou transmitem informações corretas ou equivocadas, segundo o
conhecimento que tenham. Produzem obsessões e são capazes de se
imiscuir na vida dos  que vivem no plano físico.


    O Perispírito não é igual em todas as pessoas, ainda que os
elementos constituintes sejam os mesmos. A natureza do envoltório
fluídico está sempre em relação com o grau de adiantamento moral do
Espírito. Os Espíritos inferiores não podem mudar de envoltório a seu
bel-prazer e, por conseguinte, não podem passar, à vontade, de um mundo
para outro. O envoltório fluídico de alguns deles, se bem que etéreo e
imponderável com relação à matéria tangível, é  ainda pesado demais,
se assim nos podemos exprimir, com relação ao mundo espiritual, para
não permitir que eles saiam do meio que lhes é próprio. Nessa
categoria se devem incluir aqueles cujo Perispírito é tão grosseiro,
que eles o confundem com o corpo carnal, razão porque continuam a
crer-se vivos [encarnados].

    O termo Perispírito, que foi cunhado primeiramente por Allan
Kardec, refere-se a um corpo fluídico, sendo semi material, que faz a
ligação entre o espírito, estrutura imaterial eterna, ao corpo físico,
que é material e perecível.

    Ele, o Perispírito, tem a mesma forma do corpo físico, e é ele
que é responsável por sua formação. Isso porque o Perispírito é visto
e conhecido como o arquivo da alma, sendo assim, tudo que fizermos ao
nosso corpo material, pela íntima relação célula a célula com o
Perispírito, se manifesta diretamente a ele.

    Um exemplo do que foi dito acima, é que um fumante inveterado
nessa encarnação, sofrerá as consequências dos males do fumo no
além-túmulo também, pois uma vez que seu Perispírito fora lesado, essa
lesão repercutirá em uma nova existência, por meio da reencarnação,
uma vez que o Perispírito servirá de molde para a diferenciação
celular e formação de todos os órgãos, constituindo no corpo físico,
as consequências de seus próprios atos e o roteiro para um novo
caminho de evolução e mudança de comportamento.

    Mas se temos esse mal arquivado em nosso Perispírito, e sabemos que
ele está lesionado por um vício nosso, por que poderemos voltar a errar
da mesma forma em outra reencarnação?

    Simples, pois embora tal registro ocorra em sua estrutura, é
impossível lembrarmos de todas as existências por meio do Perispírito,
isso porque o espírito seleciona apenas as experiências que agregaram
um valor intelectual e moral a seu cabedal de conhecimento.

    Assim, à medida que a criatura evolui, se espiritualiza, o
Perispírito vai se tornando mais sutil, e todas as memórias tornam-se
patrimônio do Espírito. Chegaremos a um ponto, portanto, em que não
precisaremos mais reencarnar, e o Perispírito inexistirá; seremos
apenas Espírito, ou seja, evoluído, puro.

    O Perispírito, ou "corpo espiritual", possui, como o corpo físico,
diversas estruturas que o compõe, sendo os centros de força (ou
chacras, na terminologia hindu), as mais conhecidas. Tais pontos são
acumuladores e distribuidores de energias no Perispírito e constituem
a base da terapêutica espírita de passes, por estarem muitas vezes em
desequilíbrio, bloqueando determinados fluxos energéticos. É também
sensível a diversas formas outras de perturbação, como por larvas
mentais (criações ideoplásticas inferiores, que se alimentam de nossos
pensamentos) e até mesmo complexa aparelhagem da dimensão espiritual,
constituindo obsessões complexas; muitas vezes de difícil resolução. O
maquinário celular físico, produz ainda, fora as excretas eliminadas
pelo próprio corpo, formas espectrais, digamos assim, decorrentes do
metabolismo de tudo que por ele é consumido, sendo possível ver essas
emanações no Perispírito (tais emanações constituem a aura, que
reflete não somente o metabolismo celular mas psíquico e espiritual do
ser também).

    Uma outra grande função, e extremamente importante do Perispírito
é permitir a manifestação espiritual, ou seja, a incorporação, pois os
médiuns conseguem registrar por meios de pontos super sensíveis em seu
Perispírito a presença de Entidades de Luz, amigos espirituais, assim
como também podem sentir a presença de espíritos sem luz, obsessores,
Kiumbas, Eguns, ou mesmo de espíritos Zombeteiros.

    Esses pontos são extremamente e meticulosamente estudadas pelos
Mentores de cada coroa de Médiuns, isso sendo feito quando se é
desejado desenvolver e educar a mediunidade.

    Portanto, temos o Perispírito sendo uma estrutura nobre que nos
permite reconhecer nossa unidade no tempo e no espaço, preservando-nos
a forma, nos reajustando com nós mesmos e brilhando, conosco, ante as
bênçãos resplandecentes da mediunidade instrutiva com Jesus.


    Agora que temos uma ideia sobre Perispírito, sobre as lesões que
podemos fazer nele com nossos vícios e defeitos, o quanto ele é
importante em nossa caminhada; preserve-o, cuide-o, evolua-o.

    Certamente estaremos evoluindo muito mais assim, para que logo
possamos a deixar de ser matéria e Perispírito, e passamos a ser um
espírito, puro, evoluído, iluminado para a alegria de Deus, nosso Pai
Maior.

    Que Deus abençoe a evolução e a proteção de nosso Perispírito!

    Amém!



Carlos de Ogum

sábado, 10 de setembro de 2016 50 comentários

Suicídio na visão da Umbanda



 Antes de qualquer coisa é preciso dizer que a vida é a
demonstração que temos um verdadeiro Deus, que ele existe, e que ele
está presente em nossa caminhada.

    A vida é uma benção concedida pelo Pai Maior, e que não temos
sequer o direito de imaginar um dia ceifar essa vida, independente dos
rumos que ela está tomando. Não importa os desesperos com doenças, com
momentos de dificuldades econômicas, por perdas, por amores não
correspondidos, ou por qualquer tipo de situação que leve o ser humano
idiotamente imaginar que possa dar um fim a um suposto sofrimento
tirando a própria vida.

    Por mais sofrimento que esteja passando nessa vida encarnada,
certamente não é um décimo do sofrimento que um suicida passará após
seu desencarne.

    Para entendimento de todos, devemos saber, crer e entender que
nada é perdido dentro do universo, ao desencarnar sua matéria (corpo)
retorna para as entranhas da terra, porém seu espírito não desaparece,
ele vai continuar a caminhada, vivo, ativo, em busca de evolução,
conforme a determinação de Deus, nosso Pai Maior. Conforme é sabido
pelos espiritualistas, nosso corpo é justamente a existência de um
espírito que anima a matéria, portanto, tentar ceifar sua vida
acreditando que será você apagado do universo, excluído para sempre é
uma grande tolice que muitos seres humanos tem em mente, porém sabemos
que a matéria vai se decompor, mas sua alma, seu espírito, sua
essência vai continuar existindo.

         

    Sabemos que o desencarne é um processo não automático, se faz uma
necessidade de certo período de tempo para que o espírito se
desconecte do corpo. E isso dentro da normalidade vem se dar com o
desgaste da matéria, dos órgãos, como por exemplo quando a pessoa está
adoentada, esse desligamento segue de forma gradual e tem um processo
natural. Sendo assim o entendimento, encaminhamento e a evolução
espiritual se faz muito mais simples.

    Devemos ter consciência de que a morte não existe, pois o espírito
é eterno e sobrevive, e sendo assim o suicídio é o começo do maior
tormento que a criatura humana pode sofrer, porque descobre que depois
de matar seu corpo físico ela continua viva... porém sozinha, e sem
socorro algum, descobre que seus males só se agravaram e que
infelizmente cometeu um dos maiores crimes que a criatura pode
cometer, tirar um empréstimo de Deus que serviria para a evolução de
seu Espírito, ou seja, seu corpo.

    O suicídio é um crime grandioso aos olhos de Deus e da Umbanda,
ele se entregando a esse erro se torna um espírito perdido, sem luz,
criminoso, falido nos compromissos que tinha para com as leis sábias,
justas e imutáveis estabelecidas pelo criador, e que se vê obrigado a
repetir a experiência na terra, tomando um novo corpo, uma vez que
destruiu aquele que a lei lhe confiara para instrumento de auxilio na
conquista do próprio aperfeiçoamento.

    O Espírito de um suicida voltará a novo corpo terreno em condições
muito penosas de sofrimento, agravadas pelas resultantes do grande
desequilíbrio que o desesperado gesto provocou no seu corpo astral,
isso é, no perispírito, ou seja, no verdadeiro ser.

    Na Umbanda, é totalmente condenado esse ato, jamais será aceito,
pois a Umbanda, juntamente com seus Orixás, Entidades de Luz e
protetores, pregam intensamente e incansavelmente que a vida é a
benção maior que Deus concedeu a seus filhos, e isso não é apenas por
estar vivo, mas sim por saber se utilizar dessa benção para a evolução
espiritual para chegarmos junto aos braços do Pai Maior. Nesse ponto
de vista, analisemos o fato, se Deus, nosso Pai Maior, nos presenteou
com a benção da vida para podermos através dela evoluirmos, que grande
desprezo com nosso Senhor divino seria ceifarmos essa benção através
de um ato tão desprezível como o suicídio.

    O suicídio traz para uma próxima reencarnação muitos traumas, pois
normalmente afeta o nosso perispírito. Esses traumas podem ser por
exemplo um grande problema respiratório para quem se suicida por
afogamento, ou aquele que se envenenou poderá ter grandes desajustes
no aparelho digestivo, ou mesmo ainda aquele que atirou contra a
cabeça poderá reencarnar com um considerável retardo mental, paralisia
cerebral e males semelhantes, e ainda podemos observar aqueles que
ateiam fogo ao próprio corpo, poderão regressar com enormes problemas
dermatológicos.

    Portanto podemos observar que além de uma total falta de evolução
espiritual, teremos grandiosos problemas físicos, mentais e orgânicos
em casos de suicídio.

    Reflitam: Será que temos o direito de tirar a própria vida?

    Será que nossos carmas de vidas anteriores serão eliminados porque
tiramos nossa vida ?

    Será que devemos desafiar ao nosso amado Deus a tal ponto
antecipando a nossa passagem pela terra?

    Na verdade, o suicídio, apesar de ser pecaminoso, extremamente
condenado por Deus e pela Umbanda, é do livre arbítrio de cada um,
pois por mais limitada que seja nossas reações intelectuais, sabemos
que ao cometermos um ato como esse, teremos que passar muito e muito
tempo no Vale dos Suicidas, e lá deveremos entender cada passo dado no
ato feito, e deveremos ter lições para retornar a evoluir. Essas
lições sabemos que são árduas e dolorosas, sabemos também que muitos
sofrimentos, muitas trevas e muito desespero vão vir, portanto use seu
livre arbítrio, use sua fé, use sua esperança, use tudo que possa lhe
ajudar para sair de uma situação qualquer, mas nunca fuja da vida
através do suicídio, pois assim não estará se livrando de um problema,
mas sim criando um de uma proporção extremamente maior para sua
caminhada rumo a evolução e as próximas reencarnações.



    Por mais dolorosa que seja tua vida na Terra, Jamais dês guarida
aos pensamentos de suicídio. A fuga pela morte provocada seja pelo ato
direto ou pelos desvarios dos sentimentos, que matam progressivamente,
não resolvem problema algum e todo suicida adentra os umbrais do pós
morte revivendo e sentindo os quadros de sombra e dor que provocaram o
passamento prematuro.


    Sua vida é presente de Deus. Abrace-a, ame-a, preserve-a, e viva na fé do Pai Maior.


    Em momentos de desespero, de vícios, de tristezas, de ódio, reflita, busque uma palavra amiga, busque a luz de seu Anjo de Guarda, busque sua fé, busque por um amigo, busque por Deus, e seja feliz.




Carlos de Ogum

 
;