sábado, 20 de junho de 2015

A Intolerância Religiosa no Brasil

             



    Hoje vamos falar um pouco sobre a intolerância religiosa em nosso
país.

    Escolhi esse tema por um motivo bem especial e muito triste para
todos nós que amamos a Deus, e temos nele nossa base de vida.

    O intenso aumento da intolerância religiosa, que vem acontecendo
em nosso país por alguns fanáticos, fundamentalistas, não esclarecidos
e induzidos por falsos líderes religiosos que se utilizam dessa falta
de esclarecimento para bem próprio.

    O que é religião?

    Respondendo essa pergunta com os dizeres do dicionário Aurélio
temos essa definição:

"Religião s. f. 1. Serviço ou culto a Deus, ou a uma divindade
qualquer, expresso por meio de ritos, preces e observância do que se
considera mandamento divino. 2. Sentimento consciente de dependência
ou submissão que liga a criatura humana ao Criador. 3. Crença ou
doutrina religiosa; sistema dogmático e moral. 4. Veneração às coisas
sagradas; crença, devoção, fé, piedade. 5. Tudo que é considerado
obrigação moral ou dever sagrado e indeclinável. 6. Ordem ou
congregação religiosa. 7. Filos. Reconhecimento prático de nossa
dependência de Deus."

    Com esses dizeres podemos notar que não há nenhuma colocação de
que essa ou aquela crença seja ou não seja uma religião.

    Religião para quem realmente tem uma é o puro e simples fato de se
religar ao Pai Maior, de arrumar uma maneira de se encontrar com Deus,
de doar e receber amor, de crer que podemos ter esperanças, de sermos
caridosos com nossos semelhantes, assim como Deus é conosco.

    A religião, independente do dogma que segue, é exclusivamente para
nos fazer bem, nos dar paz, nos trazer um pouco de felicidade em meio
de tantas coisas ruins.

    Essa é a verdadeira religião, seja você Umbandista,
Candomblecista, Kardecista, Católico, Budista, Evangélico. Pois a
denominação não importa, o que importa é você se entregar a Deus, crer
numa força superior, entender que há apenas um Deus, e é nesse Deus
que desejamos abraçar através de nossa religião.

    No entanto temos alguns líderes de algumas religiões que não
pensam assim. E infelizmente esses líderes usam o poder da indução
para fazer com que seus fiéis menos esclarecidos se tornem verdadeiras
"bestas humanas". Fazendo verdadeiras lavagens cerebrais, essas
pessoas sem esclarecimento, induzidas por verdadeiros charlatões,
travestidos de ´líderes religiosos, não se utilizam da religião com o
intuito de se religar a Deus, de crer no Pai Maior, de buscar força e
esperança através da fé. Simplesmente usam o nome da religião na qual
fazem parte para descriminar, ter preconceito, hostilizar, atacar,
ferir e matar um semelhante.

    Sinto muito ter que dizer, mas isso não é ter uma religião, isso é
apenas ser um fantoche nas mãos de falsos líderes, que além da
falsidade com seus fiéis, fazendo deles um ponto de arrecadação de
bens econômicos. É uma grande falsidade e falta de respeito com o nome
de Deus e de Jesus Cristo, seu único filho.

    Podemos observar a falta de religiosidade sendo passada dos pais
para os filhos, numa decadência extrema, fazendo assim o aumento dessa
intolerância religiosa, preconceituosa e racista.

    Um dos casos mais recentes é da menina Kailane de apenas 11 anos
de idade que foi apedrejada simplesmente porque ama a sua religião,
conforme descrito abaixo:

"Com apenas 11 anos de idade, Kailane Campos conheceu a intolerância
religiosa na noite de domingo de forma dolorosa. A menina, iniciada no
Candomblé há quatro meses, seguia com parentes e irmãos de santo para
um centro espiritualista na Vila da Penha, quando foi atingida na
cabeça por uma pedra, atirada, segundo testemunhas, por um grupo de
evangélicos.
Ainda segundo os relatos, momentos antes, eles xingaram os adeptos da
religião de matriz africana.

"Eles gritaram: "Sai Satanás, queima! Vocês vão para o inferno."

Mas nós não demos importância. Logo depois, o pedregulho atingiu minha
neta e, enquanto fomos socorrê-la, eles fugiram em um ônibus", contou
a avó da menina, Kathia Coelho Maria Eduardo, de 53 anos, conhecida na
religião como Vó Kathi."


    Infelizmente esse não é um caso isolado, são vários casos de
preconceito religioso que acontece em nosso Brasil. Dentre tantos
outros temos também o radicalismo de fanáticos, também induzidos por
falsos líderes religiosos que levou a morte no dia 1º de junho, de uma
ialorixá, de 90 anos de idade, em Camaçari, na Bahia.

    Segundo seus parentes e filhos de santo, a religiosa enfartou
depois da instalação de um igreja evangélica em frente ao seu
terreiro.

    Conhecida como Mãe Dede de Iansã, Mildreles Dias Ferreira teria
morrido após seguidores da igreja, terem passado uma madrugada inteira
em vigília proferindo ofensas em direção à casa de santo.


    E isso meus amigos de fé seria o que Jesus pregaria?

    Essa intolerância sem limites, esse desamor sem fundamento, esse
ódio a nossos semelhantes?

    Devemos sempre lembrar que, mesmo tendo bancadas religiosas no
Congresso Nacional, ele, o Congresso, tem o dever legal de zelar pela
plenitude da liberdade religiosa e de pensamento, e nunca esquecer que
somos um estado laico.

    Os aquecidos discursos fundamentalistas e de extremistas de certos
segmentos religiosos, que imaginam serem os donos absolutos das
verdades sagradas e que, por vezes, perseguem as religiões
afro-brasileiras, devem ser denunciados de forma intransigente.

    A liberdade religiosa é algo precioso e tem proteção jurídica na
Constituição, na legislação e nos tratados internacionais.

    Corremos cérios riscos de chegarmos ao ponto em nosso país de
termos religiões extremistas, que a princípio estaria vitimando as
religiões Afro-Brasileiras e seus adeptos, assim como aconteceu com a
menina Kailane, e com a Ialorixá Mãe Dede de Iansã, e que logo logo
estaria vitimando outras religiões, como o catolicismo por exemplo.

    O respeito à liberdade religiosa é um Dever e acima de tudo um
Direito.

    O dia nacional de combate a intolerância Religiosa é comemorado no
dia 21 de janeiro, e foi criado pelo desencarne de uma Mãe de Santo
que infartou nesse dia, após ter lido uma matéria falsa no jornal
"Folha Universal", de propriedade da Igreja Universal, a acusando de
ser uma charlatã. Com sua foto estampada na manchete principal, e os
dizeres: "Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos
clientes.". Com essa falta de responsabilidade, de esclarecimento e
num preconceito extremoso, muitos seguidores de alguns dogmas não
entendem que a crença religiosa dispensa lógica e razão. Quem crê, crê
e pronto. É algo que, teoricamente, não se discute. Um direito
fundamental reconhecido pela Constituição de 1988.

    Abaixo descrevemos uma pequena parte do tratado internacional
firmado desde o 1969, que frisa "religião" em seu conteúdo, conhecido
como Pacto de San José da Costa Rica (que o Brasil é signatário).

Artigo 12 - Liberdade de consciência e de religião.

1. Toda pessoa tem direito à liberdade de consciência e de religião.
Esse direito implica a liberdade de conservar sua religião ou suas
crenças, ou de mudar de religião ou de crenças, bem como a liberdade
de professar e divulgar sua religião ou suas crenças, individual ou
coletivamente, tanto em público como em privado.

2. Ninguém pode ser submetido a medidas restritivas que possam limitar
sua liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar
de religião ou de crenças.

3. A liberdade de manifestar a própria religião e as próprias crenças
está sujeita apenas às limitações previstas em lei e que se façam
necessárias para proteger a segurança, a ordem, a saúde ou a moral
públicas ou os direitos e as liberdades das demais pessoas.

4. Os pais e, quando for o caso, os tutores, têm direito a que seus
filhos e pupilos recebam a educação religiosa e moral que esteja de
acordo com suas próprias convicções.

Constituição Federal do Brasil.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer
natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes
no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade,
à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo
assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na
forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência
religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa
ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para
eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir
prestação alternativa, fixada em lei; (...)

A Lei nº 9459/1997 prevê no seu art. 1º, que alterou o art. 20 do
Código Penal:

Art. 1º Os arts. 1º e 20 da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989,
passam a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de
discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou
procedência nacional."

Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito
de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada
pela Lei nº 9.459, de 15/05/97) Pena: reclusão de um a três anos e
multa.

    Esperamos que a lei seja cumprida, esperamos que casos como o que
aconteceu com a menina Kailane não se repita, esperamos que nossas
autoridades não sejam coniventes com essa intolerância, pelo bem de
nossa fé, pelo bem de nossas religiões, pelo bem de nosso país.

    A intolerância religiosa pode ser algo sem muitas gravidades, como
um simples xingamento dentro dos comentários de um blog, assim como
acontece quase diariamente conosco, até as agressões físicas e mesmo
assassinatos de pessoas que não tem a vergonha ou medo de expressar o
amor por sua religião, como acontece frequentemente, sendo as
principais vítimas os adeptos as religiões Afro-brasileiras. E tudo
isso pelo simples fato das religiões neopentecostais necessitarem de
criar um suposto inimigo a ser combatido para arrebanhar adeptos e
patrocinadores as suas ditas crenças, conforme pesquisa feita pela
professora aposentada da Pontifícia Universidade Católica do Rio de
Janeiro, Denise Fonseca, que coordenou pesquisa sobre templos de
religiões de matriz africana.

    Ela diz acreditar que por trás das agressões aos praticantes de
candomblé e umbanda está a necessidade de religiões neopentecostais
criarem um inimigo a ser combatido, para depois cooptar fiéis.

"Há um projeto de aliciamento de pessoas em estado de vulnerabilidade
emocional ou material, por neopentecostais, ao satanizar a trazer para
dentro de suas igrejas oferecendo o que chamam de "libertação". Nada
mais estão fazendo do que roubando adeptos."

    Deus nos pede mais respeito uns com os outros, mais coerência,  e
mais amor.

    Não seja um fundamentalista, não se entregue ao ódio religioso, não
se deixe levar por falsos líderes religiosos que ficaram bilionários
usando o nome de Deus para espalhar a intolerância, o preconceito e o
desamor.

    Deus é apenas um, está em todas as religiões, em todos os seres, em todos os corações, basta deixar ele agir e demonstrar o imenso amor que tem a seus filhos. Mas para isso devemos agir como o amor de Deus, e não é atacando a pedradas uma criança de 11 anos, simplesmente porque ela ama outra religião, que conseguiremos espalhar esse amor divino.

A casa do Pai tem muitas moradas, não queira dizer que a sua religião é a certa, e as outras são erradas. Todas tem seus caminhos para chegar até Deus.

A melhor religião é aquela que te aproxima das pessoas através do amor, e não a que te afasta delas através do preconceito.

Ame sua religião sim, estude sua religião sim, mas jamais pense que ela é a melhor dentre todas, para todos, e sim para sua evolução.

Deus não tem religião, é universal, não pode ser limitado e nem receber rótulos humanos.

Não existe religião ruim, existem pessoas ruins dentro das religiões.
Dito por: Preto Velho Pai Joaquim.

    Que Deus possa abençoar a todas as religiões que levam o amor, a caridade, a humildade, a tolerância e a fé como caminhos para um mundo melhor.




Carlos de Ogum

Link para o vídeo do Deputado Átila Nunes, que é um lutador contra a
intolerância religiosa.

https://www.youtube.com/watch?v=xCLtHITFrUk

49 comentários:

Aninha de Iemanjá disse...

Que triste isso. Que falta de amor, respeito e fé em Deus. Julgam como se fossem donos da verdade e agora isso? Machucar uma criança?
Que Deus nos ajude para que essas guerras por intolerância religiosa acabem e que ninguém mais saia machucado, tanto no corpo físico quanto na alma.

Oxalá nos ilumine!

Anônimo disse...

Muito bem colocada suas palavras meu querido Carlos. Seu texto demonstra
tudo que está acontecendo nesses tempos de ódio e intolerância. Devemos
nos unir contra esses falsos líderes religiosos, esses pregadores do
nome do demônio, esses coletores de bens econômicos. Temos que unir não
só as religiões afro-brasileiras, mas todas as crenças sérias não
dominada por falsos rivais, inventados pelos que comandam certas
religiões. Não culpo somente esses líderes fundamentalistas e
arrogantes, culpo a quem se presta a ouvir e agir em favor do mal,
pessoas abitoladas, fanáticas e ignorantes. Desculpe meu amigo Carlos
por esse desabafo, mas eu também já fui vítima desses maníacos, mas
pode ter certeza que não abaixei minha cabeça, pois minha religião me
ensina a lutar contra o mal, e não a patrociná-lo. Eu queria novamente
lhe dar os parabéns pelo texto, você está se mostrando um exemplo de
luta contra a intolerância. Parabéns. Que a Paz de Oxalá esteja sempre
conosco. E nosso Deus é único, seja ele o nome que seja conhecido dentro
de qualquer religião. Muito Axé. Mãe Maria de Oxum.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto amigo Pai Carlos de Ogum. Ficou sensacional. Amaury

Anônimo disse...

Uma vergonha o que vem acontecendo. Temos que falar mesmo, denunciar e
debater também com essa bancada evangélica que desejam dominar o país e
tornar a todos patrocinadores das causas furadas deles. Mário Resende

Anônimo disse...

Pai Carlos eu sofri na pele essa intolerancia. Sou filha de santo de um
terreiro de Umbanda aqui em Belo Horizonte MG. Saindo do meu terreiro
com meu filho de 4 anos e minha filha de 9 fui seguida por umas 5
pessoas entre elas um senhor de terno e gravata dizendo que era o pastor
de Jesus e que ia acabar com o manifesto do demonio. Meus filhos
assustados choravam e fui ajudada por 2 motoristas de taxi que estavam
num ponto proximo, e botaram o grupo para correr, que foram xingando o
nome do coisa ruim. Me senti muito mal, mas não deixei de ir a minha
casa amada. Seu texto mexeu muito comigo. Parabens. Maria de Fátima
Couto Xavier.

Anônimo disse...

Vamos lutar contra esse desamor e essa falta de humildade.
Intolerancia religiosa fora.

Anônimo disse...

Carlos de Ogum, estamos em acordo sobre a intolerância religiosa, isso
deve acabar, Deus é um só independente do nome que se da a ele. Sou
católica, amo minha religião, tenho amigas evangélicas, umbandistas e
candomblecistas, saimos para conversar e nunca foi menosprezado a
religião uma das outras. Seu texto foi muito bem elaborado, e eu abraço
essa causa. Rosângela Espíndola.

Anônimo disse...

Amigo e irmão em Ogum, como sempre soube mandar a letra na hora certa.
Parabéns pelo seu divino texto. Estou com você nessa. Fora a
intolerância. Marcelo de Ogum.

Regina Passos disse...

Senhor Carlos, estou bastante feliz com a divulgação desse texto. Além
de nos dar informaçoes nos traz ensinamentos. Parabéns.

Anônimo disse...

Otimo texto. Deveria ser enviado a esses pastores ladrões que pregam
em nome do chifrudo. Paulo Sardinha.

Anônimo disse...

Pai Carlos do Ogum, eu e minha irmã estamos lendo esse texto, e
estamos aqui para comentar que estamos juntas nessa luta com o senhor.
Meu nome é Renata e de minha irmã e Raquel, somos gêmeas temos 16 anos e
sofremos essa intolerância dentro de casa por nossa mãe que é da
Universal, e amamos a Umbanda que é a religião de nosso pai, que hoje está
separado de nossa mãe pelo motivo dele ser da Umbanda. Só um detalhe
nosso pai tem 50 anos e nasceu dentro da Umbanda, e nossa mãe é da
Universal a 8 meses, e eles conseguiram virar a cabeça dela para se
separar de nosso pai. Gente horrivel aquela lá. Um beijo Pai Carlos.
Renata e Raquel Tatuapé SP

Anônimo disse...

Sou de Umbanda e amo a todos de qualquer crença, cor ou raça. Abaixo a
qualquer tipo de intolerancia.

Anônimo disse...

Senhor Carlos, vou relatar sobre minha mãe que é de Umbanda desde que
nasceu. Em dezembro do ano passado, teve uma festinha dos irmãos de
nossa casa de Umbanda em comemoração ao Natal, fomos e quando estávamos
no portão do centro passou um casal que se diziam evangélicos e do nada
começou a nos xingar. Minha mãe me disse para entrar e quando me virei a
mulher que nos xingava partiu pra cima de minha mãe, rasgando a roupa de
santo dela, então eu fiquei nervosa e dei um murro na cara da mulher.
Resumindo, ela se foi e nós entramos pro centro, meia hora depois tinha
um carro da polícia la para me prender por lesão corporal. Minha mãe de
santo conversou com os PMs, explicando o que havia acontecido, e disse
que eu deveria ir com eles, mas para fazer um boletim de ocorrência, por
racismo, pois somos negras e a dona nos chamou de macacas do sangue do
demonio, e também por lesão corporal, tanto em minha mãe quanto em mim,
e detalhe sou menor, tenho 15 anos. Então os atacantes evangélicos
acharam que deveriam retirar a denuncia se nós não registrassemos
também. E assim foi feito, mas foi bem ruim ser atacada só porque somos
negras e umbandistas. Kelly Cristyne Sampaio - Penha RJ

Anônimo disse...

Muito bem colocado Carlos. Devemos sim combater essa intolerância em
todos os casos. Essa disseminação de crueldade de falsos religiosos
contra as religiões afros brasileiras e de dar nojo. Raphael Martins.
Goiânia GO

Anônimo disse...

Sou Evangélica, e prego a palavra de Deus, faço amigos de todas as
raças e religiões. Minha amiga de Umbanda me mostrou esse texto, e eu
como evangélica digo que dentro de muitas igrejas tem pastores que
pregam essa intolerância absurda. Infelizmente desejam criar um monstro
que nunca existiu e nunca vai existir apenas para amedrontar e fazer
que fiéis paguem por bençãos. Frisando que não é a religião que faz
isso, é o ser humano. Letícia de Almeida Esteves. RJ

Anônimo disse...

Acredita Pai Carlos que fui atacada por um cachorro cujo o dono era um
doido que se dizia evangélico, e mandou o cão me pegar gritando assim.
"Pega tufão pega a filha do satanás. Mata essa maldita negra
macumbeira." Se não fosse dois rapazes que passavam na hora, nem sei que
seria. Jorgina de Oiá. Feira de Santana - BA

Anônimo disse...

Vergonha essa intolerancia. Mas isso vem dos grandes lideres
evangelicos e dessa bancada corrupta do congresso. Devemos nos unir em
nome de Deus.

Anônimo disse...

Esse caso da menina Kailane não é um fato isolado. No meu trabalho
tenho uma grande amiga Umbandista que foi hostilizada por colegas de
trabalho que eram evangélicas, e eu que sou católica fui a favor de
minha amiga umbandista. Resumindo deu uma confusão e um clima ruim
dentro do trabalho. Horrível essa situação. Beth Maciel.

Anônimo disse...

Que tudo isso acabe e todos os filhos de Deus deem as mãos e se amem
acima de tudo em nome de Deus.

Anônimo disse...

Amaremos nossos irmãos assim como Deus nos ama. Que esses intolerantes
religiosos entendam isso.

Anônimo disse...

Sou de Umbanda sou do amor de Deus. Não fico nas ruas xingando as
pessoas, não fico jogando pedras, não fico nos templos e igrejas
chamando o nome do demônio, não fico invadindo santuários destruindo
motivos de fé. Essa é a Umbanda, esse é o Candomblé, essa é o
Catolicismo, religiões milenares que se respeitam independente da crença
ou da fé. Esses mau carater de certas religiões que estão nadando em
dizimos, doações, intenções feitas por fiéis ignorantes e fanaticos
deviam ter vergonha na cara ou serem presos pelo absurdo das coisas que
pregam. Joguem pedra em mim, continuarei sendo umbandista, porque sou de
Deus e sou da paz. Fanáticos sem noção e covardes. Maria das Graças
Rubens Sampaio. Niterói RJ.

Anônimo disse...

Texto maravilhoso para demonstrar a situação de hoje com essa vergonha
dessa intolerância de todos os tipos, principalmente a religiosa onde se
prega o desamor em Deus e a exaltação ao diabo para engabelar
patrocinadores de ditos pastores. Enquanto se ve Bispos, pastores e sua
máfia ficando bilionária em nome da fé alheia e a disseminação do ódio,
não se ve uma só autoridade politica contra esses atos desumanos. O
Brasil está podre, em todos os setores. O dinheiro e o demônio reinam
nesses templos monumentais no Planalto e Congresso. Isso é o fim dos
tempos. Roberta Vieira. Advogada e Umbandista. Rio de Janeiro RJ

Anônimo disse...

Muito bem elaborado seu texto. Parabéns. Temos que nos unir para viver
em prol de Deus e não cultivar o ódio em nome e elevação do demôniom
fazendo assim o desecaminhar da fé para o lado financeiro da coisa.
Mariane Pinho.

Anônimo disse...

Se o mundo não tivesse tantas intolerancias como essas ditas tudo seria
muito mais tranquilo, seriamos muito mais felizes.

Anônimo disse...

Muito bem colocado. Abaixo a intolerancia.

Anônimo disse...

Uma vergonha essa intolerancia, devemos sim denunciar tudo isso e acabar
com essa lenda demoniaca criada em cima da Umbanda e do Candomblé por
esses pastores de araque.

Anônimo disse...

Temos que acabar com essa coisa horrivel mesmo.Vamos denunciar.

Anônimo disse...

Texto muito inteligente. Devemos por um fim nessa intolerancia
principalmente as que sao feitas contra a umbanda e o candomblé.
Matheus.

Anônimo disse...

Abaixo a intolerância nesse Brasil. Temos que mostrar que somos
religião e que temos direitos. Maria do Carmo.

Anônimo disse...

As vezes tenho medo de sair do nosso barracão com minha roupa de
Santo. Algumas vezes já me olharam torto e falavam gracinhas, como
macumbeira. Espero que Deus entre nos corações dessas pessoas.

Anônimo disse...

Um ex colega evangelico que frequentava minha casa com sua esposa, me
hostilizou dentro de minha residencia quando soube que eu era
umbandista. Primeiro tentou me converter, depois viu que eu não estava
dando chance, ele simplesmente apontou o dedo na minha cara e disse
(você é um filho do demonio, capacho do diabo, macumbeiro e feiticeiro
de matriz africana. Você vai apodrecer junto com o satanás.), eu fiquei
perplexo sem entender muito bem a reação dele e quando me caiu a ficha,
coloquei ele pra fora de minha casa. E saiu ele e a doida da mulher
dele xingando todos da rua. Gente muito fanatica.
Lauro Müller São Gonçalo RJ

Anônimo disse...

Fanaticos e fundamentalistas deviam ser presos. Abaixo a intolerancia
religiosa

Anônimo disse...

Sem tirar nem por, seu texto disse tudo. Estamos juntos nesse combate.
6 Abraço essa causa. Vamos salvar as religiões desses animais.

Anônimo disse...

Deus é um só. Abaixo a intolerancia religiosa.

Anônimo disse...

Eu sou do candomblé há 6 meses e já sofro muito com isso. Tenho 15 anos, então ainda estudo. Eu sofro bastante com um meninos que estudam comigo, porque eles ficam gritando "macumbeira maldita" , "macumbeira desgraçada" , "vai pro inferno" e eu me sinto muito mal. Minhas amigas dizem pra eu deixar pra lá e ignorar, mas não me sinto bem nessa situação. Quando aconteceu isso pela primeira vez, eu chamei a diretora e expliquei a situação, ela conversou com quem estava fazendo isso, me pediram desculpas e por um tempo não houve mais implicância.
Mas de uns tempos pra cá alguns voltaram a implicar comigo. A mãe de uma colega de sala proibiu ela de ficar perto de mim por causa da minha religião e me senti muito mal. Eu sou humana como qualquer um, apesar da minha religião nunca fiz nada ruim pra ninguém e acho isso desnecessário.

Lívia Vasconcellos - Petrópolis - RJ

Anônimo disse...

Maravilhoso texto. Vamos espalhar aos 4 cantos do mundo que Deus é
unico. Paz a todos.

Anônimo disse...

Intolerancia existe mesmo. Eu ja sofri na pele. Fiquei muito triste pois foi feita pelo pai de uma grande amiga minha que era pastor. E ele me proibiu de entrar na casa dele enquanto eu for de centro umbandista. Gosto muito de minha amiga e ela ficou muito triste com o pai dela. Mas nao troco minha religiao, e minha amiga ficou decepcionada com a religiao dela por causa disso. Ela sempre foi muito bem recebida em minha casa e contiruara sendo. O pai dela e um intolerante e nao denunciei pela minha amiga. :( Catielle Moura Nourato.

Anônimo disse...

Pai Carlos de Ogum, venho aqui fazer um desabafo. Sofro intolerância religiosa pela minha própria família. Tias, tios, primas, primos e até minha avó. Eles são da Igreja Universal, e os pastores de lá pregam a eles essa intolerância. Eles falam de mim que sou umbandista, e amo a Umbanda, para os pastores, e esses idiotas mandaram eles falarem para minha mãe que eu sou o demonio encarnado. E que era pra levar-me a força lá. Felizmente meus pais não tem essa mentalidade nazista e não deram importância. Mas todo o resto acha que sou a capetinha da familia e pararam de falar comigo. Fazer o que né. Beijos Carlos, e muito axé nessa nossa caminhada a verdadeira casa de Deus. A nossa Umbanda é linda. Monique Frazão RJ

Rafaella Esteves disse...

Difícil de entender como o ser humano acha que pode determinar as opções
de outros seres humanos. A Religião é algo que não se deve ser imposta,
e o que vemos por ai são esses medonhos, principalmente dessas seitas
satanistas que erroneamente leva nome de evangélicos, e que na verdade
não são, pois se fossem respeitavam a opção de todos. Sou a favor de
penas judiciais severas para pessoas assim. Sobre seu texto nem tenho
nada a falar além de dizer que é sensacional. Parabéns.

Anônimo disse...

Pai Carlos, levei seu texto a minha professora de religião, eu sempre fui olhada de um modo diferente por ela por ser da Umbanda. Ela leu, e depois me pediu desculpas se algum dia ela me tratou diferente das outras colegas, agradeço o senhor. Me ajudou demais. Beijanzão. Kamilly Barroso 12 anos de Cabo Frio RJ

Anônimo disse...

Sofri isso na pele na semana passada. Fui a casa de uma amiga para estudar para a prova junto com ela. Ao chegar os pais dela me trataram muito bem. Me deram um lanche e no meio desse lanche o pai dela que é pastor de uma igreja que diz tirar o demonio, me pergunta qual a minha religião. Disse como sempre falo com orgulho, sou umbandista. Ele arregalou os olhos, se levantou da mesa e disse a esposa, tire essa macumbeira da minha casa ja. A mulher dele no mesmo instante pegou minha mochila e disse poderia ir pra sua casa agora? A minha amiga de boca aberta sem entender nada, pois ela ja sabia que eu era de centro, e sempre me respeitou, foi falar com a mãe e ela disse, tu cala a boca e depois a gente conversa. Eu sai humilhada, e minha amiga ficou presa em casa. Dia seguinte ela contou que levou um sermao tao grande que deu vontade de fugir de casa. Contei minha mae e ela disse, para evitar essas coisas chame sua amiga para estudar aqui. Mas meu pai disse que vai tomar satisfaçao com o pastor demoniado

Maria das Graças Toledo disse...

Pai Carlos, sou Umbandista, e casada com um rapaz evangélico. Minha vida é um inferno, não pelo meu marido mas pelos parentes dele que me chamam de senhora satanás. Já não consigo ser feliz com meu marido por essa intolerancia. Que Deus e os Orixás nos ajudem contra essas pessoas.

Anônimo disse...

Pai adoro seus posts, parabéns esse foi algo divino. Acorda pessoas intolerantes. nós somos Umbanda, nós somos de Deus. Fabianne

João Gustavo disse...

Sensacional texto e maravilhosa colocação dessa coisa horrivel chamada intolerancia. Parabéns

Anônimo disse...

Esse texto foi muito importante pra mim. Swempre me achei culpada por ser de outra religiao que minha familia. Obrigado Pai. FFS MG

Anônimo disse...

Sofri muito isso dentro da escola. Desde os alunos até a diretora. Meus pais denunciaram a Secretaria de Educação daqui mas ninguem fez nada. Infelizmente tive que trocar de colégio. MASC

Anônimo disse...

Da nojo essa intolerancia. Eu estou sendo perseguida pela minha propria familia de evangelicos hipocritas. Todos tem a vida suja, e usam uma mascara falsa de boas pessoas. E julgam minha opção religiosa. Eu sou umbandista com muita honra. E a minha titia hipocrita chamada Rosana só tenho a dizer que eu sei do caso dela com o pastor da igreja, sendo ela casada e o safado também. E como vem falar da minha religião sua hipocrita. Lucimar Pereira Santos. Olaria. RJ

Anônimo disse...

É terrivel e sofrido essa intolerancia. Fui atacada por 5 evangelicos por estar com uma guia de proteção. Tentaram arrancar minha guia, me empurraram e me chutaram. Se e essa a caridade aprendida nas igrejas eu sou Umbanda até morrer, pois nunca meu Zelador pregou atacar as pessoas como animais, essas pessoas estavam com o demonio no corpo egritavam feito bichos rindo como hienas no cio. Uma vergonha ser de um grupo de marginais como esse se dizendo ser religioso. Para mim são pessoas podres que pagam dizimos para ser idiotas. Um bando de cretinos assassinos. O pastor que prega essa insanidade deveria apodrecer na cadeia, mas nesse Brasil não tem justiça. Acredito na justiça de Deus. Marginais e prostitutas em nome de um sadico pastor ganancioso e vadio. Nojo dessa intolerancia sofrida por mim e por dezenas de espíritas que conheço. Desculpem amigos leitores do blog e desculpe-me Pai Carlos de Ogum pelo desabafo, mas eu estou enojada mesmo com essas pessoas malditas e intolerantes que acham que tem a salvação com essas ladainhas podres e que nós umbandistas não somos de Deus. Eu amo a Umbanda é morrei umbandista. Crentes não são todos assim, mas em algumas igrejas podres sim. Sejam educados e virem gente seus animais escondidos na biblia. Fernanda Batista Linhares - BH - MG Umbandista com muita honra

Anônimo disse...

Muito me assusta a intolerancia no Brasil principalmente no Rio de Janeiro contra os Umbandistas, pior agora com esse novo prefeito

Postar um comentário

 
;