sábado, 28 de fevereiro de 2015

Ser Pai De Santo Na Umbanda

                       



    Hoje venho falar de algo muito especial, ser Pai de Santo.

    Antes vamos observar apenas a palavra "Pai".

    Ser Pai é algo tão sublime como ser Mãe, apesar de muitas pessoas
darem uma importância suprema a palavra "Mãe".

    E entendo esse exaltar, entendo o amor pela palavra Mãe, mas dou a
mesma importância ao Pai. E falo isso por mim mesmo, pois sou pai. Um
pai na doce expressão de ser realmente um pai.
O pai que cuida, educa, se preocupa, ama seu filho acima de tudo. O
pai que se levanta nas madrugadas frias para verificar se seu filho
não passa frio, o pai que vela pelo sono tranquilo de seu protegido em
noites de tempestade, o pai que se desespera pelo pequeno atraso de
seu menino já crescido, o pai que chora com o choro de sua eterna
criança, o pai que ri das piadas sem graça de seu comediante mirim.
Enfim, o pai que ama seu filho como se ele fosse o único ser existente
na face da terra.

    Acredito que todos os pais deveriam ter esse sentimento, essa
preocupação, esse amor.

    E alguns pais, que amam seus filhos, se estendem com essa
nomenclatura de "Pai" para algo um tanto maior, pois levam esse amor
tão imenso para dentro da religião que ama, como por exemplo a nossa
linda e sagrada Umbanda. E a partir daí se tornam nossos Pais de
Santo, que na maioria das vezes são tão importantes para nós como
nossos pais consanguíneos.

    Abaixo gostaria de anexar um texto que recebi de uma amiga, Fernanda Almeida,  para
melhor demonstrar o amor de um Pai de Santo aos filhos de seu
Terreiro. Em um tom de desabafo, esse texto é uma verdadeira
demonstração de amor aos Filhos de Santo, e que muitos desses filhos
que frequentam uma casa de Umbanda, não entendem ou não percebe o
imenso carinho e amor que um Pai de Santo, e gostaria nessa frase
também mencionar as queridas Mães de Santo, pois o amor é igual, tem
por seus amados Filhos de Santo.

**********************************************************************

                    Desabafo de um Pai de Santo.

Autor: Cláudio Alessandro Lino.

"Queridos filhos de santo que hoje se reúnem para falar mal de pais e
mães de santo, Gostaria em nome de meus co-irmãos pedir-lhes desculpas
por termos abertos nossas portas para recebê-los sem muitas vezes
conhecê-los profundamente.

    De perdermos nossas noites de sono tentando arrumar uma solução
para os problemas que vocês criaram para suas vidas, de nos privar de
algumas coisas em nossas vidas pessoais porque precisávamos ajudar um
filho que não fez sua parte na casa.

    De ampará-los, de brigarmos com vocês achando que nossos conselhos
iriam lhe encaminhar para o melhor, de suas vidas terem melhorado um
pouquinho, mais para vocês não ser o suficiente, de nos importarmos em
querer o melhor para vocês.

Simplesmente desculpem, continuaremos aqui, muitas vezes magoados com
suas atitudes e falhas, porém com a certeza de que daqui há pouco
passará e faremos tudo novamente pois o nome disso é MISSÃO!!!

Reflitam!"

**********************************************************************

    Esse relato em forma de desabafo de nosso amigo acima demonstra
bem que até mesmo alguns filhos de Santo de uma casa não compreendem,
não percebem e não valorizam seus verdadeiros Pais de Santo.

    E o que podemos entender como "verdadeiro Pai de Santo"?

    O Pai de Santo é aquele que vemos como um caminho a seguir, é
aquele que não usa de seu título para induzir seus filhos a errar, é
aquele que mostra que a Umbanda é uma religião não um comércio da fé,
é aquele que protege seu terreiro e seus consulentes contra médiuns
prepotentes, vaidosos, mentirosos e mistificadores, é aquele que
abraça seu Filho de Santo como abraça um filho consanguíneo,
educando-os, encaminhando-os e amando-os.

    Gosto de frisar para deixar muito claro, que nem todas as pessoas
que estão a frente de um Terreiro, que vestidos com o branco de nossa
Umbanda, que paramentado com Guias de contas sejam Pais de Santo,
pois, um Pai de Santo não é feito por roupas ou guias, ele é feito de
um intenso grau de mediunidade, honestidade, caráter, humildade e
amor.

    Não se deixem enganar pelos falsos Pais e Mães de Santo que
transformaram sua missão em poço de vaidade ou em um modo de adquirir
bens econômicos enganando seus semelhantes.


    Por várias vezes as pessoas me perguntam se eu acho agradável ser
um Pai de Santo, e por mesmo número de vezes eu não sei bem o que
responder. Não porque não ache agradável, em alguns casos até poderia
dizer que sim, pois a Umbanda é algo tão sublime em suas
demonstrações de amor e fé, que extremamente agradável fazer parte
desses grupos, e mais ainda de ser uns dos que está a frente dessa
disseminação de caridade e fé.

    Dentro da Umbanda não há um tradicionalismo, como em outras
religiões, pois não tendo regras escritas dando poderes de líder ao
Pai de Santo, estando ele a frente de uma casa de Umbanda, será ele
que vai dirigir o terreiro, sendo assim sua palavra tem uma grande
força nas decisões tomadas dentro daquela casa.

    O fato é que, em muitas casas, ele não é nomeado nem eleito, ele
tem fiéis seguidores que aceitam e acreditam no que é pregado pelo
mentor da coroa dele.

    O Pai ou Mãe de Santo são os chefes da comunidade de fiéis que
buscam ajuda, desenvolvimento mediúnico, tratamento espiritual e
abrigo sobre o teto de seu Terreiro.

    O Orixá do Pai de Santo será sempre o chefe espiritual da casa.
Ele marca a linha de trabalho do terreiro e a entidade dessa linha que
incorpora nele sempre será o chefe espiritual do terreiro que ditará
todas as normas e regras para o seu funcionamento.


    Finalizando, o Pai de Santo é um Médium extremamente preparado,
mas é um médium como todos os Médiuns frequentadores de uma casa de
Umbanda. Foi desenvolvido mediunicamente e espiritualmente para ser "O
Pai de Santo", o que vai mostrar caminhos, o que vai buscar ajudar ao
filho que necessita, o que vai trabalhar ´para o desenvolvimento dos
Filhos de Santo. E isso além de missão é uma obrigação.

    Então não é necessário que idolatre um Pai de Santo, mesmo que ele
exija isso.

    Pai de Santo não é para ser idolatrado, apenas basta respeitá-lo
como líder da religião, que é tão linda e sagrada, a nossa Umbanda.

Saravá todos os Pais, Mães e Filhos de Santo de nossa Umbanda!



Carlos de Ogum.

39 comentários:

Aninha de Iemanjá disse...

Um Pai de Santo tem realmente a mesma missão que um Pai consanguíneo, que é a de cuidar, proteger, amar, ensinar seus filhos e mostra-lhes o melhor caminho. Uma pena muitos não abraçarem e tentarem cumprir essa missão, mas agradeçamos aos que os fazem com amor e dedicação. Tenhamos o exemplo do Pai Maior, Deus, que apesar de sermos tão falhos, não nos abandona.

Agradeço à Ele por ter colocado em meu destino um Pai de Santo que para mim é incomparável e insubstituível.
O senhor, Meu Padrinho, cumpre com amor o papel de Pai de Santo, amigo, conselheiro e Anjo de Guarda, e faço essa afirmativa por experiência própria, pois me proteges como nenhuma pessoa nesse mundo jamais protegeu.
Lhe agradeço todo o cuidado e carinho e espero poder retribuir-lhe da melhor forma e de todo o coração.

Obrigada, obrigada, obrigada!
Sua bença,
Muito Axé!

Mayara Marques disse...

Pessoas assim que precisamos e é raridade encontrar. Realmente muito bom!

Anônimo disse...

Agradeço a Zambi pelo pai de santo que tenho, honesto, humilde e protetor!!!! Ele tem como seu mentor nosso amado rei congo que sempre que precisamos ele está lá com sua doçura!!!! Salve a casa de ogum, salve nosso pai Carlos!!!!! Priscila

Paula Cunha disse...

Achei o texto maravilhoso. Seria lindo se todos que se dizem Pai de Santo agisse como um de verdade. Parabéns ao Senhor Pai Carlos de Ogum por ser um verdadeiramente. Tenho orgulho de ser sua amiga. Sua benção.

Anônimo disse...

Grande texto Pai, uma lição para muitos ai que se dizem pais de santo.
Só poderia ter vindo de suas mãos esse belo texto. Parabéns e continue
ensinando esses comerciantes da fé, sendo eles pais de santo, pastores
ou qualquer safado que tentam enganar os fieis. O senhor Pai Carlos é um
exemplo a ser seguido, trabalhando em favor da caridade e tentando
mostrar as pessoas fanaticas que religião é muito mais que dizimos,
ofertas e cobranças por trabalhos. Tenho orgulho do senhor querido pai
Carlos. Um beijão, sua benção e continue nos auxiliando com todo esse
carinho de sempre. Axé. Patricia Farad Gomes.

Anônimo disse...

Lindo texto para entendimento querido Pai Carlos. Sei de seu trabalho e
sei que leva com dedicação, honestidade, carinho e humildade. Que Ogum e
Oxum iluminem muito mais sua vida. Axé. Mãe Maria de Oxum.

Gizele Aquino disse...

Pai Carlos, belo texto!!!

Sempre o chamei de pai, mesmo não sendo meu pai de santo nem o conheço pessoalmente, mas pelo respeito e pelo carinho.
Mesmo sem me conhecer sei que também faço parte da sua casa estamos todos numa mesma corrente de fé.

Realmente existem pais e Pais, mães e Mães de Santo um dom uma missão que infelizmente alguns fazem de profissão usam de má fé para benefício próprio.

Axé irmãos

Anônimo disse...

Que todos os pais de santo possam se espelhar no senhor Pai Carlos de
Ogum. Saravá e muita luz na sua caminhada. Claudete Rocha.

Anônimo disse...

Ser Pai de Santo não é apenas vestir branco realmente. Eu sou apaixonada
pela Umbanda, estive em alguns momentos extremamente ruins a algum tempo
atrás, não entendia o porque da perda de alguém que de uma hora para
outra nos deixa e se vai para os braços da morte. Nesses momentos
procurei ajuda em vários lugares, estive em igrejas católicas e
evangélicas. Nas católicas ninguém me demonstrou atenção que precisava
naquele momento, nas evangélicas só buscavam me dizer que eu estava com
o demônio e para me livrar deveria pagar isso e aquilo. E eu continuava
perdida. Fui a Umbanda, encontrei Pais de Santo, alguns conseguiram até
me erguer um pouco, mas pouco depois desabava de novo. E um dia
encontrei o autor desse texto, e foi por acaso em uma rede social. Pedi
que me escutasse, pedi ajuda. Ele me ouviu. E de pouco a pouco conseguiu
me fazer entender um pouco mais sobre a morte. Que ao nossos olhos ela é
fria e terrível, mas é a chance de evolução de um espírito, espírito
esse que pela nossa falta de entendimento não queríamos que partisse
nunca. Obrigado Pai Carlos de Ogum, o senhor foi realmente um verdadeiro
Pai de Santo, não fazendo questão do tempo que foi dispensado a meu
entendimento. Fez com carinho, caridade e humildade, para que eu me
erguesse e elevasse a minha fé que andava tão perdida. O senhor é um Pai
de Santo, o senhor é meu Pai de Santo. Desculpe a extensão do
comentário. Sua benção. Rafaela Custódio Moura. Gramado - RS.


Anônimo disse...

A sua benção Pai Carlos. O senhor está no grupo dos grandes Pais de
Santo com certeza. Parabéns. Roselina Mattos.

Anônimo disse...

Esse texto me deu uma força maior a continuar no caminho da Umbanda. Eu
já estava sem fé por achar que todos os pais de santos eram da mesma
linha do que o que conheci. que era apenas um mercenario. Obrigado
Carlos de Ogum por me dar esperança de continuar nesse caminho que tanto
amo. Maria das Graças Pereira.

Anônimo disse...

Um Pai de Santo não é Santo, mas tem que ser honesto e caridoso.
Maravilha de texto. Amei. Fabiana Cotes

Anônimo disse...

Gostei do texto e me ensinou muita coisa. Temos Pais e Pais de Santo.

Anônimo disse...

Postagem muito boa para quem quer entender as coisas da umbanda.
Mucoio. Renato Lima.

Anônimo disse...

Post muito inteligente demonstrando tudo que devemos nos reguardar com
os falsos pais de santo, na verdade são poucos hoje em dia que podemos
pedir a benção. Ao senhor Pai Carlos de Ogum tenho o prazer em dizer que
lhe peço a benção sem receios. Jéssica Resende.

Anônimo disse...

Um Pai de Santo é alguém que deve ser especial. Ele deve acima de tudo
não ser um vendido como vemos tantos por ai. Digo isso por experiencia
propria, precisei de aconselhamentos e luz para caminhar e onde fui me
cobraram caro por isso. Queria agradecer ao Pai Carlos de Ogum por me
receber tão bem e me ajudar de uma forma expontanea e sem me cobrar nada
por isso. Esse é o verdadeiro Pai de Santo. Julia Moreira - Belo Horizonte

Anônimo disse...

Esse texto vai servir para um amigo que se diz pai de santo. O sem
vergonha cobra 80 reais para consulta. Um dia ele vai pagar né. E
parabéns Pai Carlos por mostrar a verdade a todos, seu trabalho de
caridade é lindo. Vou mandar meu amigo ler seu texto.
Adriana Carvalho (Amiga de um Pai de Santo descarado)

Anônimo disse...

Saravá aos pais e mães de santo. Que Oxalá nos abençoe. Axé.

Anônimo disse...

Saravá todos os pais de santo que levam com seriedade essa missão.

Anônimo disse...

Um texto de excelente teor. Parabéns.

Anônimo disse...

Ótimas palavras amigo de fé. Parabéns pela colocação sobre o que é ser
um pai de santo. Maurício.

Anônimo disse...

Um grande axé a todos os pais e mães de santo de verdade. Oxalá Babá. André

Patricia Cardoso disse...

Uma das mais lindas missões que alguém pode ter para si. Ser um bom Pai
de Santo é fazer crescer a fé nessa religião tão divina.

Anônimo disse...

Pai Carlos, gostaria de sua ajuda sobre uma questão muito delicada que
aconteceu no terreiro que frequento. Fui aconselhada a me desenvolver, e
fui até essa casa de umbanda, lá o Pai do terreiro me disse o que eu
deveria fazer para ser iniciada na religião. Preferia não esclarecer
aqui pois é algo muito constrangedor além de extremamente estranho.
Fiquei de dar a resposta a esse pai de santo daqui a um mês, pois achei
que era algo que não cabia dentro da religião. E logo de inicio me
lembrei do senhor, que tenho certeza que é um Pai de Santo honesto, e
tenho essa certeza pelos relatos de amigas minhas que já procuraram o
senhor por vários motivos e as respostas foram dadas de acordo com o
nexo de cada coisa, sem desejar tirar proveito de nenhuma forma.
Portanto meu Pai, pediria a sua autorização para nos falarmos, seja por
cel, seja por e-mail, what sap ou qualquer forma que seja melhor para o
senhor, para eu poder contar o que aconteceu e o senhor me dar um
caminho, um auxilio. Pois eu estou muito desconfiada desse Pai de Santo
que me atendeu. Agradeço o senhor pela atenção. Meu nome e Isabella
Coutinho Moraes, tenho 19 anos, estou nesse terreiro a 4 meses e sou de
Florianópolis em Santa Catarina. Um beijo com carinho e axé. Sua benção.

Carlos de Ogum disse...

Cara Isabella, mande-nos um e-mail relatando o fato que tentarei tirar suas dúvidas e esclarecer a forma correta de desenvolvimento. O endereço é: umbanda.yorima.rj@hotmail.com

Axé!

Anônimo disse...

como faco pra falar com o senhor estou mandando e mail mais da erro por favor assim q o senhor puder entre em contato comigo saracarrijoluz@gmail.com

Carlos de Ogum disse...

Sara, desejando, tente entrar em contato por um desses e-mail's abaixo: umbanda.yorima.rj@hotmail.com, umbanda.yorima.rj2@hotmail.com, umbanda.yorima.rj@gmail.com ou umbanda.yorima,rj2@gmail.com

Axé!

enganada disse...

a velha safada marmoteira de bauru continua dando golpes!! o nome dela e mae nair o zap dela e14997317785 pede pra depositar no banco itau em nome de kiziah lima ja encontrei tres pessoas que foram enganadas por ela a pouco tempo quem nao acreditar pode add ela e vai conferir ela fala que e especialista em amarracao e que nunca perdeu uma amarracao, velha desgraca safada marmoteira

Carlos de Ogum disse...

Cara "enganada", como foi dito no texto, muitas pessoas sem caráter usam o nome da Umbanda para enganar pessoas desavisadas. Infelizmente ainda temos pessoas que acreditam em coisas assim, e ai as "Velhas de Bauru" fazem o que querem. Denunciem mesmo essas pessoas. Pois a unica coisa que vai acontecer é encher o bolso dessas pessoas, pois amarração não existe.

Axé!

Anônimo disse...

Otimo texto. Parabens. Já vi cada pai de santo de arrepiar cabelo de careca de tao pilantra q era. Muito bom termos ainda pais de santo honestos. Axé Paulo

Anônimo disse...

Muito bom texto Pai Carlos. É exatamente esse o ponto que foi descrito. Infelizmente temos muitos Pais de Santo que visam outros objetivos além de caridade e fé. Joyce Padilha

Roseane Dias Coutinho disse...

São poucos os Pais de Santo de verdade, muitos em busca de dinheiro, vaidade, obscenidades. Uma vergonha grandiosa nos terreiros de Umbanda. Uma vergonha saber que temos pais de Santo com mesmo interesse de pastores e de alguns padres. Mas sei que temos pessoas que levam a serio seu trabalho de caridade. E em destaque eu queria falar do Senhor Pai Carlos de Ogum, um exemplo a ser seguido. Sua benção.

Silvana Santos disse...

Acredito que ser pai de Santo não é para quem quer é para quem pode. Já me esbarrei com alguns que se diziam ser mas no fundo eram uns canalhas que usavam do nome da Umbanda para realizaçoes pessoais como encontros com filhas de terreiro e cobranças até para respirar. Uma falta de vergonha na cara. Acompanho o trabalho do autor desse texto, Pai Carlos de Ogum, e isso já tem alguns anos. Ele nunca foi uma virgula saindo das regras da religião, nunca disse a mim e as pessoas que eu conheço e que ja procuraram ele para pagar qualquer coisa. Ele é sem duvida um verdadeiro Pai de Santo, gostaria muito de ser de seu terreiro Pai Carlos. axé.

Karen Mendes disse...

Pai Carlos de Ogum, vim comentar nesse texto de uma forma especial. Sei que temos milhares de Pais de Santo, eu mesma já conheci uma centena. Mas nunca encontrei uma pessoa que correspondece tão bem esse titulo como você. Digo isso por tudo que leio em seu blog, em seu tw, em tudo que me ensinou durante esse ano. Sai da ignorancia espiritalista para as portas abertas da verdadeira religião de Umbanda, tudo graças a voce. Então vim nesse post dizer o quanto sou grata por ser um verdadeiro Pai de Santo querido Carlos. E agradecer agradecer e agradecer por tantas coisas boas aprendidas. Feliz ano novo pra ti e toda a familia. Um beijo grande de sua filha de santo, (gostaria muito).

Rafaelly Garcia disse...

Maravilhoso encontrarmos um verdadeiro pai de santo. Felizes sao seus filhos de santo Pai Carlos.

Karol Macumbinha disse...

Pai Carlos ameis sua colocação Desejaria muito que você fosse meu pai de santo. amo.

Mayara Vieira disse...

Carlos de Ogum sou do RJ e gostaria muito de conhecer sua casa. Já me falaram sobre sua colocação como Pai de Santo da Umbanda e isso me chamou
bastante atenção, pois eu conheci muitos zeladores de santo, alguns bons outros nem tanto, mas verificando seu modo de ser pelas redes, eu tenho certeza que é um otimo zelador. gostaria de conhecê-lo. Espero ter essa oportunidade. Sua benção

Paulo de Odé. disse...

Uma bela função a quem é honesto. Venho de coração aberto aqui dizer que nunca conheci um Pai de Santo como o amigo Pai Carlos de Ogum. Seus aconselhamentos me ajudaram demais. Respeito eternamente. Mucoiô.

Mary disse...

Pai Carlos de Ogum

Deus nos surpreende com tantas situações em nossas vidas, que a princípio demoramos para entender, mas aos poucos, tudo vai ficando claro, tal qual a neblina que vai sumindo das estradas aos primeiros raios de sol....

Vejo o senhor dessa forma na minha vida! A luz do sol que clareou toda minha existência. Não tenho a honra de ser sua "filha de Santo", mas, carinhosamente, e sem pedir licença, "adotei" o senhor como meu "Pai de Santo", pois não consigo viver sem suas orientações, sem seus puxões de orelhas e seu direcionamento para o melhor para minha evolução espiritual!
Lembro-me quando da primeira vez que lhe perguntei como é quanto deveria pagar por algo que havia conseguido, o senhor disse:/ com sua prece !! Não pude conter as lágrimas, pois aquilo para mim era surreal .
E cada vez mais admiro essa firmeza que o senhor tem, essa humildade é generosidade! Exatamente como os pais fazem com seus filhos - educam, ensinam e Querem somente o melhor! Amor incondicional é isso!
As vezes vou em busca dos primeiros emails que trocamos, das tantas bobagens que acreditei durante a vida toda sobre a importância de coisas materiais, e o senhor, com a firmeza de um
Pai, zeloso como um
Pai, me mostrou todos os erros e todos os caminhos tortos que eu vinha trilhando!
Obrigada, mil vezes obrigada pela acolhida!
Que Oxalá o abençoe cada vez mais! Que vossos ensinamentos sempre me conduzam à evolução! E que um dia o senhor possa ter orgulho dessa "filha adotiva" que tanto necessita aprender!
Vossa benção, Pai Carlos de Ogum!
Axé e gratidão!

Postar um comentário

 
;