quarta-feira, 25 de setembro de 2013 49 comentários

Ibeiji e as Crianças da Umbanda


Ibeiji

     Ibeiji, o único Orixá permanentemente duplo. É formado por duas
entidades distintas e sua função básica é indicar a contradição, os
opostos que coexistem. Num plano mais terreno, por ser criança. A ele
é associado a tudo o que se inicia: a nascente de um rio, o germinar
das plantas, o nascimento de um ser humano.
     No dia de Ibeiji, 27 de setembro (o mesmo de Cosme e Damião, com
quem são sincretizados), é costume as casas de culto abrirem suas
portas e oferecerem mesas fartas de doces e comidas para as crianças,
elevadas à condição de representantes na terra do Orixá.

Regem a falange das crianças que trabalham na Umbanda.




CARACTERÍSTICAS:

Cor:
Rosa e azul (branco, colorido).

Fio de Contas:
No Candomblé, contas e miçangas leitosas coloridas.
Na Umbanda, contas leitosas Azul e Rosa.

Ervas:
jasmim, alecrim, rosa.

Símbolo:
Gêmeos.

Pontos da Natureza:
Jardins, praias, cachoeiras, matas...

Flores:
Margaridas, rosa mariquinha.

Essências:
De frutas.

Pedras:
Quartzo rosa.

Metal:
Estanho.

Saúde:
Alergias, anginas, problemas de nariz, raquitismo, acidentes.

Planeta:
Mercúrio.

Dia da Semana:
Domingo.

Elemento:
Fogo.

Chacra:
Todos, especialmente o Laringe.

Saudação:
Oni Beijada.

Bebida:
Guaraná (Suco de frutas, água de coco, água com mel, água com açúcar, caldo de cana).

Animais:
Animais de estimação.

Comidas:
Caruru, doces e frutas.

Número:
2.

Data Comemorativa:
27 de Setembro.

Sincretismo:
São Cosme e São Damião.

Incompatibilidades:
Coisas de Exú. Morte, Assovio.

ATRIBUIÇÕES.

Zelar pelo Parto e Infância. Promover o amor(união).


Lendas de Ibeiji

Como Os Irmãos Ibeiji Viraram Orixá:

     Existia num reino dois pequenos príncipes gêmeos que traziam
sorte a todos. Os problemas mais difíceis eram resolvidos por eles; em
troca, pediam doces balas e brinquedos. Esses meninos faziam muitas
traquinagens e, um dia, brincando próximos a uma cachoeira, um deles
caiu no rio e morreu afogado. Todos do reino ficaram muito tristes
pela morte do príncipe. O gêmeo que sobreviveu não tinha mais vontade
de comer e vivia chorando de saudades do seu irmão, pedia sempre a
orumilá que o levasse para perto do irmão. Sensibilizado pelo pedido,
orumilá resolveu levá-lo para se encontrar com o irmão no céu,
deixando na terra duas imagens de barro. Desde então, todos que
precisam de ajuda deixam oferendas aos pés dessas imagens para ter
seus pedidos atendidos.

    Agora vamos entender a diferença entre Ibeiji e as Crianças
(Ibeijada ou Erê).

    Como lemos acima, falamos dos Orixás Ibeiji, agora falaremos das
Entidades de Luz os Erês ou Ibeijadas, que são espíritos desencarnados
de crianças.

As Crianças (Ibeijada ou Erê)

     São a alegria que contagia a Umbanda. Descem nos terreiros
simbolizando a pureza, a inocência e a singeleza. Seus trabalhos se
resumem em brincadeiras e divertimentos. Podemos pedir-lhes ajuda para
os nossos filhos, resolução de problemas, fazer confidências,
mexericos, mas nunca para o mal, pois eles não atendem pedidos dessa
natureza, assim como todas as Entidades de Luz da Umbanda.

     São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram
por continuar sua evolução espiritual através da prática de caridade,
incorporando em médiuns nos terreiros de Umbanda. Em sua maioria,
foram espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena), por isso
trazem características de sua última encarnação, como o trejeito e a
fala de criança, o gosto por brinquedos e doces.
     Assim como todos os servidores dos Orixás, elas também tem
funções bem específicas, e a principal delas é a de mensageiro dos
Orixás, sendo extremamente respeitados pelos caboclos e pelos
pretos velhos.

     É uma falange de espíritos que assumem em forma e modos, a
mentalidade infantil. Como no plano material, também no plano
espiritual, a criança não se governa, tem sempre que ser tutelada. É a
única linha em que a comida de santo (Amalás), leva tempero especial
(açúcar). É conhecido nos terreiros de Nação e Candomblé, como (ERÊS
ou IBEJI). Na representação nos pontos riscados, Ibeji é livre para
utilizar o que melhor lhe aprouver. A linha de Ibeji é tão
independente quanto à linha de Exú.

Ibeijada, Erês, Dois-Dois, Crianças, Ibejis, são esses vários nomes
para essas entidades que se apresentam de maneira infantil.

No Candomblé, o Erê, tem uma função muito importante. Como o Orixá não
fala, é ele quem vem para dar os recados do pai. É normalmente muito
irrequieto, barulhento, às vezes brigão, não gosta de tomar banho, e
nas festas se não for contido pode literalmente botar fogo no oceano.
Ainda no Candomblé, o Erê tem muitas outras funções, o Yaô, virado no
Erê, pode fazer tudo o que o Orixá não pode, até mesmo as funções
fisiológicas do médium, ele pode fazer. O Erê muitas vezes em casos de
necessidade extrema ou perigo para o médium, pode manifestar-se e
trazê-lo para a roça, pegando até mesmo uma condução se for o caso.

     Na Umbanda mais uma vez, vemos a diferença entre as
entidades/divindades. A Criança na Umbanda é apenas uma manifestação
de um espírito cujo desencarne normalmente se deu em idades
infanto-juvenis. São tão barulhentos como os Erês, embora alguns são
bem mais tranquilos e comportados. Mas com toda a força espiritual de
ajuda, a quem dessas crianças iluminadas necessitam para um caminhar
iluminado.

     No Candomblé, os Erês, tem normalmente nomes ligados ao dono da
coroa do médium. Para os filhos de Obaluaiê, Pipocão, Formigão, para
os de Oxossi, Pingo Verde, Folinha Verde, para os de Oxum, Rosinha,
para os de Yemanjá, Conchinha Dourada e por ai vai.

     As Crianças da Umbanda tem os nomes relacionados normalmente a
nomes comuns, normalmente brasileiros. Rosinha, Mariazinha, Ritinha,
Pedrinho, Paulinho, Cosminho, Joãozinho, Zezinho, Cosmezinho, etc...

     As crianças de Umbanda comem bolos, balas, refrigerantes,
normalmente guaraná e frutas, os Erês do Candomblé além desses, comem
frangos e outras comidas ritualisticas como o Caruru, etc... Isso não
quer dizer que uma Criança de Umbanda não poderá comer Caruru, por
exemplo. Com Criança tudo pode acontecer.

     Quando incorporadas em um médium, gostam de brincar, correr e
fazer brincadeiras (arte) como qualquer criança. É necessária muita
concentração do médium (consciente), para não deixar que estas
brincadeiras atrapalhem na mensagem a ser transmitida.

     Os "meninos" são em sua maioria mais bagunceiros, enquanto que as
"meninas" são mais quietas e calminhas. Alguns deles incorporam
pulando e gritando, outros descem chorando, outros estão sempre com
fome, etc... Estas características, que às vezes nos passam
desapercebido, são sempre formas que eles têm de exercer uma função
específica, como a de descarregar o médium, o terreiro ou alguém da
assistência.

     Os pedidos feitos a uma criança incorporada normalmente são
atendidos de maneira bastante rápida. Entretanto a cobrança que elas
fazem dos presentes prometidos também é. Nunca prometa um presente a
uma criança e não o dê assim que seu pedido for atendido, pois a
"brincadeira" (cobrança) que ela fará para lhe lembrar do prometido
pode não ser tão "engraçada" assim.

     Poucos são aqueles que dão importância devida às giras das
vibrações infantis.
     A exteriorização da mediunidade é apresentada nesta gira sempre
em atitudes infantis. O fato, entretanto, é que uma gira de criança
não deve ser interpretada como uma diversão, embora normalmente seja
realizada em dias festivos, e às vezes não consigamos conter os risos
diante das palavras e atitudes que as crianças tomam.

     Mesmo com tantas diferenças é possível notar-se a maior
características de todos, que é mesmo a atitude infantil, o apego a
brinquedos, bonecas, chupetas, carrinhos e bolas, como os quais fazem
as festas nos terreiros, com as crianças comuns que lá vão a busca de
tais brinquedos e guloseimas nos dias apropriados. A festa de Cosme e
Damião, santos católicos sincretizados com Ibeiji, à 27 de Setembro é
muito concorrida em quase todos os terreiros do país.

     Uma curiosidade: Cosme e Damião foram os primeiros santos a terem
uma igreja erigida para seu culto no Brasil. Ela foi construída em
Igarassu, Pernambuco e ainda existe.

As festas para Ibeiji, tem duração de um mês, iniciando a 27 de
setembro (Cosme e Damião) e terminando a 25 de outubro, devido a
ligação espiritual que há entre Crispim e Crispiniano com aqueles
gêmeos, pela sincretização que houve destes santos católicos com os
"ibejis" ou ainda "erês" (nome dado pelos nagôs aos santos meninos que
têm as mesmas missões.

     Nas festas de ibeiji, que tiveram origem na Lei do ventre Livre,
desde aquela época até nossos dias, são servidos às crianças um "aluá"
ou água com açúcar (ou refrigerantes adocicados no dia de hoje), bem
como o caruru (também nas Nações de Candomblés).

     Não gostam de desmanchar demandas, nem de fazer desobsessões.
Preferem as consultas, e em seu decorrer vão trabalhando com seu
elemento de ação sobre o consulente, modificando e equilibrando sua
vibração, regenerando os pontos de entrada de energia do corpo humano.

     Esses seres, mesmo sendo puros, não são tolos, pois identificam
muito rapidamente nossos erros e falhas humanas. E não se calam quando
em consulta, pois nos alertam sobre eles.

     Muitas entidades que atuam sob as vestes de um espírito infantil,
são muito amigas e têm mais poder do que imaginamos. Mas como não são
levadas muito a sério, o seu poder de ação fica oculto, são
conselheiros e curadores, por isso foram associadas à Cosme e Damião,
curadores que trabalhavam com a magia dos elementos.


Magia da Criança:

     O elemento e força da natureza correspondente a Ibeji são todos,
pois ele poderá, de acordo com a necessidade, utilizar qualquer dos
elementos.

     Eles manipulam as energias elementais e são portadores naturais
de poderes só encontrados nos próprios Orixás que os regem.

     Estas entidades são a verdadeira expressão da alegria e da
honestidade, dessa forma, apesar da aparência frágil, são verdadeiros
magos e conseguem atingir o seu objetivo com uma força imensa, atuam
em qualquer tipo de trabalho, mas, são mais procurados para os casos
de família e gravidez.

     A Falange das Crianças é uma das poucas falanges que consegue
dominar a magia. Embora as crianças brinquem, dancem e cantem, exigem
respeito para o seu trabalho, pois atrás dessa vibração infantil, se
escondem espíritos de extraordinários conhecimentos.

     Imaginem uma criança com menos de sete anos possuir a experiência
e a vivência de um homem velho e ainda gozar a imunidade própria dos
inocentes. A entidade conhecida na umbanda por erê é assim. Faz tipo
de criança, pedindo como material de trabalho chupetas, bonecas,
bolinhas de gude, doces, balas e as famosas águas de bolinhas, o
refrigerante, e trata a todos como tio, tia, Vó e vô.

Os erês são, via de regra, responsáveis pela limpeza espiritual do
terreiro.



Origem de Doum:

     Este personagem material e espiritual surgiu nos cultos Afros
quando uma macamba (denominação de mulher, na seita Cabula) dava a luz
a dois gêmeos e, caso houvesse no segundo parto o nascimento de um
outro menino, era este considerado "Doum", que veio ao mundo para
fazer companhia a seus irmãos gêmeos.

     Foram sincretizados com os santos que foram gêmeos e médicos, tem
sua razão na semelhança das imagens e missões idênticas com os "erês"
da África, mas como faltava "Doum", colocaram-no junto a seus irmãos,
com seus pequenos bastões de pau, obedecendo à semelhança dos santos
católicos, formando assim a trindade da irmanação.

Dizem também, que na imagem original de São Cosme e São Damião, entre
eles (adultos) havia a imagem de uma criança a qual eles estavam
tratando, daí para sincretizarem Doum com essa criança, foi um pulo...


Onde Moram as Crianças?

     A respeito das crianças desencarnadas, passamos a adaptar um
interessante texto de Leadbeater, do seu livro "O que há além da
Morte".
   
 "A vida das crianças no mundo espiritual é de extrema felicidade.
O espírito que se desprende de seu corpo físico com apenas alguns
meses de idade, não se acostumou a esse e aos demais veículos
inferiores, e assim a curta existência que tenha nos mundos astral e
mental lhe será praticamente inconsciente. Mas o menino que tenha tido
alguns anos de existência, quando já é capaz de gozos e prazeres
inocentes, encontrará plenamente nos planos espirituais as coisas que
deseje. A população infantil do mundo espiritual é vasta e feliz, a
ponto de nenhum de seus membros sentir o tempo passar. As almas
bondosas que amaram seus filhos continuam a amá-los ali, embora as
crianças já não tenham corpo físico, e acompanham-nas em seus
brinquedos ou em adverti-las a evitar aproximarem-se de quadros pouco
agradáveis do mundo astral."

     "Quando nossos corpos físicos adormecem, acordamos no mundo das
crianças e com elas falamos como antigamente, de modo que a única
diferença real é que nossa noite se tornou dia para elas, quando nos
encontram e falam, ao passo que nosso dia lhes parece uma noite
durante a qual estamos temporariamente separados delas, tal qual os
amigos se separam quando se recolhem à noite para os seus dormitórios.
Assim, as crianças jamais acham falta do seu pai ou mãe, de seus
amigos ou animais de estimação, que durante o sono estão sempre em sua
companhia como antes, e mesmo estão em relações mais íntimas e
atraentes, por descobrirem muito mais da natureza de todos eles e os
conhecerem melhor que antes. E podemos estar certos de que durante o
dia elas estão cheias de companheiros novos de divertimento e de
amigos adultos que velam socialmente por elas e suas necessidades,
tomando-as intensamente felizes."

Assim é a vida espiritual das crianças que desencarnaram e aguardam,
sempre felizes, acompanhadas e protegidas, uma nova encarnação. É
claro que essas crianças, existindo dessa maneira, sentem-se
profundamente entristecidas e constrangidas ao depararem-se com seus
pais, amigos e parentes lamentando suas mortes físicas com gritos de
desespero e manifestações de pesar ruidosas que a nada conduzem. O
conhecimento da vida espiritual nos mostra que devemos nos controlar e
nos apresentar sempre tranquilos e seguros às crianças que amamos e
que deixaram a vida física. Isso certamente as fará mais felizes e
despreocupadas.


Casos de Criança:

Algumas vezes, ficamos deslumbrados com a eficiência de seus
trabalhos. Seguem-se duas narrações de casos antigos resolvidos pelas
crianças, que guardamos para demonstrar como é maravilhoso o trabalho
dessas maravilhosas pequenas Entidades de Luz.

     Caso relatado por um frequentador de um Terreiro de Umbanda no
interior de Minas Gerais, do ano de 1985.

    "Uma vez telefonou-me um fazendeiro assustado pelas mortes de seu
gado. Achava ser trabalho feito. Ele foi no terreiro tendo sido
atendido normalmente. No final do trabalho uma criança incorporada
chamou-o e, com uma pemba, fez um desenho no chão como se fosse um
mapa todo recortado. No meio desenhou três corações e um risco como um
rio, fazendo um encontro com outro. "Tio", falou, "os corações
simbolizam seus três filhos." O homem confirmou. Mostrando o mapa,
disse ser a sua casa construída com vários pedaços. O homem explicou
ter sua fazenda sido constituída por várias áreas. Apontando
exatamente no encontro dos riscos, disse estar ali o problema, estando
a água cheia de veneno e onde os bichinhos do tio estavam morrendo.
Mais tarde o fazendeiro telefonou-me dizendo estar a água do rio
realmente envenenada por agrotóxico."

    Relato de um Cambono de uma Casa de Umbanda, ano de 1988.

    "Uma vez, no encerramento do trabalho uma experiente médium deu
sinais de incorporação de criança. Ela incorporou e batendo palmas,
veio ao meu encontro pedindo um dólar. "Um dólar?" Respondi. "O que
você vai fazer com um dólar?" Ela insistiu: "quero um dólar". Achamos
graça. A cena foi alegre e descontraída. "Alguém tem um dólar para a
criança?" perguntei ironicamente. Da assistência uma moça fez sinal
afirmativo. Fiquei perplexo. Somente eu conhecia o seu problema. Tinha
câncer maligno nas cordas vocais e testava com a cirurgia marcada. Da
ironia à seriedade, convidei a moça para entrar no terreiro e fazer a
entrega do dólar ao erê. A entidade fez festa ao dólar, deixou-o de
lado e agarrou-se na garganta da moça fazendo-lhe leves passes
magnéticos. Ela fez a cirurgia na terra, mas está curada."


    Os detalhes não se devem ser deixado de lado quando demonstrado
por Ibeijada, como por exemplo nos casos relatados acima, os encontros
dos pontos riscados pelo Erê, ou saber que alguém ali teria uma cédula
de dólar. Portanto entre sorrisos e brincadeiras devemos prestar a
máxima atenção no que é dito e feito pelas crianças, pois isso com
toda a certeza é o encaixe do quebra cabeça, que poderá trazer-lhe uma
resposta para sanar um problema que lhe aflige.

    Vamos nos entregar com fé a essas Crianças divinas, pois assim que
um Erê chega no terreiro a alegria de Deus nos abraça.

Salve Cosmezinho de Oxum, Joãozinho das Matas, Zezinho e Rosinha.

Salve as crianças!!!
Oni Ibeijada!

Carlos de Ogum




Prece a Ibeiji e a Ibeijada

Cosme e Damião, luzeiros espíritos da corte de Oxalá, amados
benfeitores, queridos guias, nós vos imploramos a vossa proteção,
força, saúde e resignação para que possamos cumprir com os desígnios
de Pai.

Dai-nos sempre os fluídos de paz, amor alegria e felicidade que vos
são peculiares. Curai nossos males, fortalecendo-se nosso corpo
material proporcionando aos nossos espíritos as satisfações que lhes
sejam agradáveis.

Protegei-nos e a nossos familiares; protegei também, a todos as
criancinhas para que tenham cada dia, uma vida melhor, sob o prisma
material. Que vosso fluídos sacrossantos, recaiam sobre nossas
cabeças, é o pedido que humildemente vos fazemos.

*Faça seu pedido)

Saravá São Cosme e São Damião!

Saravá os Orixás Ibeiji!

Saravá Ibeijada !

Que assim Seja!



quarta-feira, 18 de setembro de 2013 241 comentários

Conhecendo o Exú Tranca Ruas


    Muito se ouve falar de Senhor Exú Tranca Ruas, ouvimos falar bem
pelas pessoas que realmente entendem e conhecem a Religião Umbandista,
e ouvimos falar mal por pessoas ignorantes que desconhecem a essência
e o trabalho dessa nobre Entidade de Luz.

    O Senhor Exú Tranca Ruas é o chefe da esquerda subordinado a Ogum.
Tranca Ruas é a Entidade de Luz que abre ou fecha os caminhos
dependendo da necessidade. Existem muitas histórias sobre Tranca Ruas
porque não existe apenas uma entidade com este nome, na verdade é uma
falange que trabalha nas trevas em nome da luz e cada uma tem sua
história em particular. O Senhor Tranca Ruas não é o demônio, e as
pessoas ignorantes são criminosas quando condenam e acusam esta
entidade de demônio, falta de conhecimento e fanatismo que no final
leva ao ridículo. Tranca Ruas é um dos principais guardiões da
Umbanda. Ele merece e tem que ser respeitado como tal, ele é o caminho
dentro da Religião, assim como todos os Exús e Pombos Giras, para que
seja retirado todo o mal e maledicências de quem é merecedor.

Nome Esotérico: Tranca Ruas.

Nome Cabalístico: Tarchitmache

Características: É assistente direto de Beelzebuth (Mór), no Reino do
Poder. Da mesma forma que Seu Sete Encruzilhadas (Aschtaroth), Seu
Tranca Ruas tem o domínio das estradas e caminhos, onde executa as
ordens dos maiores. Sendo uma Entidade que dirige um grande número de
trabalhadores, tem a sua posição na escala hierárquica do seu povo, em
quase idêntica igualdade de condições do seu "mano" Marabô. Possui o
seu ponto esotérico, bem como, os seus pontos riscados e cantados,
diferindo os mesmos de acordo com as irradiações nas quais são
realizados os seus infindáveis trabalhos de alta magia. à Seu Tranca
Ruas são entregues todos os pedidos feitos nas encruzilhadas. Seu
Tranca Ruas foi o primeiro enviado, pelo seu maioral, para fazer
contato para a formação de segurança e abertura de trabalhos de magia,
condição esta do máximo respeito que deve-se a esta Entidade, e também
a razão do tridente, que o identifica, aparecer em todos os pontos
riscados de esquerda e nas tronqueiras deverá ser assentado o seu
ponto como segurança geral.

História de Tranca Ruas:

    Senhor do mundo espiritual onde está sua origem e sua morada.
Senhor dos caminhos, mensageiro dos Orixás e vencedor de demandas.

    Na Umbanda, Exú Tranca Ruas não é considerado como um "Deus", mas
como uma Entidade em evolução que busca, através da caridade, a
evolução de si mesmo. Não é uma peculiaridade só dos Exús, mas de
todos os espíritos no infinito cosmo espiritual. Não existe espírito
evoluído,como se fosse um produto acabado. Todos os espíritos,
independente da forma, estão em eterna evolução, partindo do
pressuposto que só existe um ser plenamente perfeito, um modelo de
absoluta perfeição, o próprio Absoluto, Deus.

    Em síntese, O grande agente Mágico do Equilíbrio Universal. É o
Guardião dos Caminhos, companheiro dos Pretos Velhos, Caboclos,
aparador entre os homens e os Orixás, lutador incansável, sempre de
frente, sem medo, sem mandar recado. Senhor da escuridão e do plano
negativo atuam dentro de seus mistérios, regendo seus domínios e os
caminhos por onde percorre a humanidade.

    Senhor Tranca Ruas tem o poder de fechar e abrir os caminhos para
o ser humano e também de ter as almas perdidas sem luz como escravos
para prestar-lhe reverencias e fazer o que ele ordenar. Este é um dos
motivos pelo qual ele foi enviado aqui no plano físico, para pegar as
almas perdidas e formar uma hierarquia para que essas almas perdidas
fossem transformadas em seu exército, e desta forma encontrem o
caminho novamente para a luz através dele mesmo, podendo assim vigiar
e manter esses espíritos sem luz afastados dos seres humanos
que ora estão encarnados.

    Seu vestuário é cartola sofisticada de época, sua capa varia nas
cores azul turquesa, roxo e negro tendo contrastes em vermelho
decorada de safira de preferência amarelo dourada que simboliza sua
riqueza e a presença de seu reino. É extremamente educado e fino,
poderoso e radical . Transita além dos limites da bondade e da
maldade. Sendo um mensageiro de orixá, ele profundamente identifica
com os seres humanos. Guardião das casas, das vilas, das pessoas. Exú
não tem nada haver com demônios, pois ele é a própria alegria da vida.

    O Mestre Tranca ruas (O Guardião dos Caminhos), não é demônio que
muitos acreditam que ele seja. Sua atribuição é trancar a evolução dos
desqualificados, desequilibrados e desvirtuados espíritos humanos. Não
deseja ser amado ou odiado, mas apenas respeitado e compreendido.

    Para os mal informados que julgam e condenam essa maravilhosa
Entidade, sem reconhecer a verdadeira essência e trabalho feito,
abaixo um pequeno texto mostrando só para entendimento de quem
desejar realmente perceber a magnitude do tão estimado Senhor Tranca
Ruas.

    "O Guardião Tranca Ruas pode ser tudo o que queiram, menos como tentam
mostrar: Um demônio. Jamais foi ou é o que este termo deturpado
significa na atualidade e nem o aceita como qualificativo das suas
atribuições: Trancar a evolução dos desqualificados, desequilibrados e
desvirtuados espíritos humanos. Odeia os que odeiam, sente asco dos
blasfemos, nojo dos invejosos, repulsa pelos falsos, ira pelos soberbos
e pena dos libidinosos."


    Assim é TRANCA RUAS, por Origem, Natureza e Formação, um Exú de
força consistente, que vem na terra fazer a caridade, ajudar os
aflitos e obsediados, derrubar magias negras, proteger seus filhos
queridos, ensinar o caminho da evolução.

    Senhor Tranca Ruas , senhor do Sétimo Grau de Evolução da Lei
Maior de Ogum, conhecedor de todas as magias e demandas praticadas por
seres sem luz, interceda no caminho de todos os filhos de fé,
livrando-nos de toda a energia que possa atrapalhar a evolução de
todos os seres iluminados; fazei de meus pensamentos uma porta fechada
para a inveja, discórdia e egoísmo.

    Dos sete caminhos por ti ultrapassados, foi na rua que passou a
ser dono de direito, abrindo as portas para os espíritos que merecem
ajuda e evolução e fechando para os que querem praticar a maldade e a
inveja contra seus semelhantes. Fazei dos nossos corações o mais puro
que nossos próprios atos.

    Senhor Tranca Ruas agradecemos por tudo que fizeste nos aprender
nesta vida e em outras que passamos lado a lado, rogo por vós a
proteção, para os irmãos de fé, para toda a família e porque não para
todos os inimigos. Abençoe e guarde esses filhos que um dia entenderão
o verdadeiro sentido da palavra Umbanda.

Muito grande, muito forte, Seu Tranca Ruas vem trazendo a sorte!

Salihed, Mehi Mahar Selmi Laresh Lach Me Yê!

Saravá, Senhor Exú Guardião Tranca Ruas!


Abaixo um lindo texto enviado pela nossa querida amiga Talita Sousa,
que como sempre nos ilumina com sua colaboração.


                  Conversando Com Sr. Tranca Ruas

    Sei que muitos não entendem quem somos. Sei também, que por não
saberem, especulam e inventam histórias mirabolantes e porque não
dizer, fantásticas até. Quando não, nos vestem através de seus desejos
mais impuros e nos culpam por suas atitudes não condizentes com a Lei
Divina.

 Mas sou Exú seu moço!

    Sou aquele que entra e sai de todo e qualquer tipo de antro sem
sofrer alguma deficiência, tanto energética, quanto espiritual. E se
realizo isto com maestria é porque tenho e sou um Ser de Luz.

Dizem alguns, que não somos bons, nem maus.

Será???

Lhe digo então seu moço, que só sendo muito benevolente, complacente e
condescendente, para atuar, e somos nós que atuamos, na vida dos moços
e moças em desequilíbrio.

    Somos nós, que apesar de conhecermos os erros, as falhas, os
desejos obsessivos e o fanatismo inconsequente dos seres encarnados e
desencarnados, que ainda assim, atuamos em todos os sentidos da vida
ensinando enfaticamente a ação da Lei da Afinidade, Lei da Ação e
Reação e da Lei da Atração.

 Somos nós, meros Exús, que trabalhamos ativamente na eliminação dos
desequilíbrios e vícios do seres, por isso agimos na vida de vocês
ativando o que é de merecimento e o que é necessário para sua melhora,
ainda que essa ação seja incompreendida e dolorida. E acredite muitos
de vocês ainda precisam sentir dor para melhorar, precisam de desafios
para superar, precisam vivenciar a escuridão para enxergar a Luz,
precisam perder para dar valor ao que têm e sentir desespero para
aprender a ter Fé.


Sim, somos os Executores da Lei, porque essa é a nossa missão.

    Sim, somos nós que ativamos os merecimentos de cada um.
Propiciamos vitórias e derrotas, pois quase sempre vocês não sabem
lidar com a vaidade, o ego, o egoísmo e a soberba que aflora de forma
acentuada quando conquistam algo ou alguém.

Exú abre caminhos, mas também fecha, tranca e acorrenta quando vocês
se encontram em desequilíbrio e viciados em uma maldade e possessão
sem fim. Isso é a Lei!

Somos nós que atuamos no seu negativo para equilibrar a ação.

Exú age conforme a sua necessidade ou merecimento, sempre respeitando
a Lei de Ação e Reação. Exú não faz o que você quer, faz o que a Lei
Divina ordena e determina que você mereça.

Exú não faz, não participa e não orienta nenhum tipo de magia para o
Mal. Porque Exú conhece a Lei Divina e a cumpre com perfeição a cada
momento. O Mal é a ação do homem que deseja mais do que pode, deve e
merece.

Isso é Amor, seu moço! Pois, Exú lida com o que há de mais negativo e
asqueroso dentro de cada um de vocês. E ainda assim, descemos até as
mais baixas profundezas para lhes salvar.

Somos nós que ouvimos seus pensamentos mais vaidosos e egoístas, mas
ainda assim, trabalhamos duro para que seus vícios sejam eliminados.

Só Exú ama e luta pela evolução de cada ser mesmo conhecendo
detalhadamente e lidando com o pior lado de cada um de vocês.

Boa Noite moço, boa noite moça, boa noite a todos! E que cada um tenha
aquilo que merece ter.

Exú Tranca Ruas.



Salve seu Tranca Ruas laroiê meu pai. Bara na rua bara Exú bara na rua
saravá seu Tranca Ruas !!!


Carlos de Ogum


  Oração Exu Tranca Ruas

Salve [Exu Tranca Ruas] compadre Exu Tranca Ruas!

Peço que com seu  poder e sua força abra meus caminhos e me fortaleça
perante meus inimigos!
Que tranque e afaste todas as trevas que me rodeiam.
Tranque todo o ódio e os sentimentos impuros que minha alma emana.
Peço que toda  falsidade que exala de meus poros seja trancada.
Que a miséria,o rancor e a soberba que habitam em meu coração sejam
trancados.
Que tranque minha língua e toda maldade que eu possa fazer ao
pronunciar  palavras de inveja.
Que toda maldade e egoísmo que possuo em minha mente, sejam trancados.
Que as palavras impuras que saiam de minha boca contra o próximo,
sejam trancadas.
Que eu não consiga,com meus olhos  magoar,amaldiçoar ou destratar
qualquer irmão.
Compadre abra e destranque todas as portas do meu caminho.
Destranque todas as passagens da minha jornada.
 Destranque toda prosperidade material e espiritual.
 Destranque o meu coração das amarguras.
 Destranque o meu sustento de cada dia.
Destranque meu corpo material da agonia, do desespero e da aflição que
me perturbam ao cair da noite.
Destranque  meus negócios e meus empregos,para que eu possa estar bem
no meio material e espiritual.
 Destranque toda minha família e todo mal que nos rodeia.
Abra meus olhos para que eu possa ver as maravilhas do mundo
espiritual.
 Destranque a minha liberdade!

Salve compadre Exu Tranca Ruas!!!

Laroiê!!!

Senhor Tranca Ruas é Mojibá!!!
segunda-feira, 9 de setembro de 2013 35 comentários

Cigana Magdalena


   A linda Cigana Magdalena, que para algumas pessoas é conhecida
como Madalena, era uma cigana de um povo com origem árabe. Ela
juntamente com seu povo viajou por todo Oriente Médio e Índia, e
nessas viagens ela, por ser muito observadora, aprendeu como se
comunicar serenamente dando a quem precisava de um caminho numa
dificuldade sempre a melhor resposta.

    Magdalena era conhecida dentro de seu clã como a conselheira, a
profunda sabedora e educadora das jovens ciganas, que buscavam com ela
o entendimento das regras ciganas, o conhecimento das magias, e a tão
sagrada sabedoria da quiromancia, que é a arte de adivinhar o futuro
das pessoas pelos exame das linhas das mãos.

    Magdalena tinha em seu sangue o dom de encantar com sua dança, que
a fazia plainar como plumas ao vento, fazendo assim ser envolvida em
olhares maravilhados de todos que acompanhavam seu bailar, tanto nos
acampamentos dentro de seu clã, como para o povo de algum vilarejo, na
qual ela se apresentava juntamente com um ou mais Zíngaros, enquanto
seu povo fazia coleta de doações, demonstrações de pequenas magias,
quiromancias e todas as relações de ciganices.

    Por volta do século XIV, muitos desses povos Nômades entraram na
Europa, em busca de difundir sua cultura cigana e em busca de melhores
oportunidades para suas ciganices.

 E em um desses povos ou Clãs, se
encontrava a bela Cigana Magdalena, que com seu sorriso cativante, seu
olhar fixo e firme, sua pureza nas palavras e seus dons de magia e
quiromancia, logo chamou atenção de poderosos reis por toda a Europa,
fazendo que ela fosse solicitada nos grandes reinos, para que assim
demonstrasse toda aquela beleza que já encantava a muitos Gadjôs e
fazia sonhar as belas moças de diversos reinos com suas previsões
sobre amores e entrelaces com lindos príncipes.

    Com essas apresentações e ensinamentos, a Cigana Magdalena, se fez
ser diferenciada por sua casta, pois sempre foi muito bem recompensada
pelos poderosos reis quando solicitada, ou para demonstrar suas
magias, ou para dizer o futuro de nobres princesas através de suas
previsões pela quiromancia, ou mesmo para demonstrar sua magnífica
leveza ao dançar ao som dos violinos dos Ciganos Zíngaros.

    Mesmo sendo de uma casta maior que a maioria das ciganas do clã em que
Magdalena fazia parte, isso não a afastava das outras, pois Magdalena
sempre ficava fascinada com as histórias e ensinamentos das velhas
ciganas, e sempre tinha muito que dizer e ensinar as adolescentes que
estavam já prometidas ao entrelace matrimonial.


    A doce Cigana Magdalena, com seu coração sempre aberto a
solucionar conflitos dentro de seu clã, ficou vista como caridosa,
gentil e amável. Por esse motivo ela hoje é vista dentro da Religião
Umbandista, como a "Cigana Conselheira", a que ajuda em casos de
aconselhamentos amorosos, a que tem uma resposta em momentos de
aflição, a que tenta encaminhar as moças a um caminho de luz,
fidelidade e amor com o próprio corpo, não aceitando que suas
protegidas sejam promíscuas.

    Enquanto encarnada, Magdalena tinha a grande responsabilidade com
as pequenas jovens ciganas, dentro da Umbanda, espiritualmente se faz
o mesmo papel, com seu sorriso cativante, suas palavras serenas, suas
cobranças por castidade e pudor, a faz ser conhecida como "a Mãe de
Muitas Filhas", assim como era vista dentro de seu clã.

    Magdalena era bela, forte, sensível, terna. Quando precisava
também sabia chamar a atenção, mas sempre de forma positiva.
    Ninguém conseguia esquecer sua dança. Ela era assim lembrada pelo
seu povo: Como mãe, amiga e mulher.


Vem cigana Madalena,
com safiras no olhar,
tua saia vermelha esvoaça,
vem me ensinar a dançar.

Quando danças teu véu esconde,
um misterioso enigma,
de quem muito já viveu,
aprendendo com a vida.

Sois um misto de tudo,
mãe, amiga e mulher,
tens a ironia divertida,
de quem sabe o que quer.

Sois dona de um perfume,
raro, suave e sedutor,
perfume que a tudo encanta,
o teu nome é AMOR.

    Saravá a Cigana Magdalena!!!





Opchá,  ARRIBA MEU POVO CIGANO!!!

    Homenagem a nossa Mãe Pequena Priscila de Omulú, que tem em sua
coroa essa tão maravilhosa cigana.

Carlos de Ogum
quarta-feira, 4 de setembro de 2013 11 comentários

Oi, Sou Seu Orixá!


  Oi, Sou Seu Orixá!

    Eu estou ao seu lado, e sou aquele que nunca desacredita dos seus
sonhos.

    Sou eu que as vezes altero seu itinerário, e até atraso seus
horários para evitar acidentes ou encontros desagradáveis.

    Sim, sou eu que falo ao seu ouvido aquelas “inspirações” que você
acredita que acabou de ter como “grande ideia".

    Sou eu quem te causa aqueles arrepios quando você se aproxima de
lugares ou situações que vão te fazer mal.

    E sou eu quem chora por você quando você com a sua teimosia
insiste em fazer tudo ao contrário só para desafiar o mundo.

    Quantas noites passei na cabeceira de sua cama velando por sua
saúde, cuidando de sua febre e renovando suas energias.

    Quantos dias eu te segurei para que você não entrasse naquele
ônibus, carro e até avião?

    Quantas ruas escuras eu te guiei em segurança? Não sei, perdi a
conta, e isso não importa.O que realmente importa, e o que me deixa
triste e preocupado, é quando você assume a postura de vítima do mundo;

    Quando você não acredita na sua capacidade de resolver os
problemas, quando você aceita as situações como insolúveis;

    Quando você para de “lutar” e simplesmente reclama de tudo e de todos;

    Quando você desiste de ser feliz e culpa outra pessoa pela sua
infelicidade;

    Quando você deixa de sorrir e assume que não há motivos para rir,
quando o mundo está repleto de coisas maravilhosas;

    Quando se esquece até de mim, seu Orixá, aquele que Olorum deu a honra
de auxiliar nessa missão tão difícil que é viver e progredir.

    Já que me deixaram falar diretamente com você, gostaria de te
lembrar, que estou ao seu lado sempre, mesmo quando você acredita
estar totalmente só e abandonado, até nesse momento eu estou segurando
a sua mão, eu estou consolando seu coração.

    Eu estou te olhando, e por te amar demais, fico triste com a sua
tristeza, mas, como eu sei que você nasceu para brilhar, eu agradeço a
Olorum a oportunidade bendita de te conhecer e cuidar de você, porque
você é realmente muito especial.

    Seu Orixá, que acredita em você!


Esse texto nos foi enviado pela amiga Gizele Aquino.

Agradecemos a colaboração.

Carlos de Ogum.
 
;