sábado, 3 de agosto de 2013

Aborto na Visão da VERDADEIRA UMBANDA

    Antes de prosseguir com esse texto, gostaria de esclarecer o seu
título, e o porque friso o "VERDADEIRA UMBANDA".

    Como é sabido, dentro de todas as classes ou religiões encontramos
pessoas que realmente vivem o ato de ser, de fazer parte dessas
determinadas classes ou religiões, e encontramos também os que apenas
usam o nome delas para alguns fins de causa própria, como por exemplo,
usar o nome de uma determinada religião para conseguir satisfação numa
melhoria econômica ou social.

    Para melhor entendimento, vamos entrar com a nomenclatura de
"umbandista", assim poderemos demonstrar com mais exatidão o que é
"verdadeira Umbanda".

    Temos dois tipos de religiosos, o "SER UMBANDISTA," e o "ESTAR
UMBANDISTA". E a diferença de um para o outro é simples, o "ser
umbandista" segue as leis e regras espirituais da Umbanda, independente
se essas leis possam de alguma forma não dar uma vantagem esperada
ou dar uma sensação de justiça para satisfazer o ego de quem
usando o nome da Umbanda tenta fazê-las.
   Como por exemplo, dentro da lei da Umbanda usamos de fazer a
caridade e lutar de todas as formas para que o bem seja sempre o
caminho a ser seguido.
    Para demonstrar essas duas regras do "ser umbandista", o cobrar
por trabalhos espirituais dentro de uma gira de Umbanda, ou o pedir o
mal de seu semelhante a alguma Entidade de Luz, está totalmente fora
de cogitação para a verdadeira Umbanda, enquanto que para o "estar
umbandista", que se utiliza do nome da religião, isso é algo do cotidiano.
Então essa é a diferença da "VERDADEIRA UMBANDA" para a
Umbanda mentirosa que os farsantes pregam para seus interesses
particulares.

    Voltando ao tema principal, vamos ver como o aborto é visto dentro
da verdadeira Umbanda.

    Os umbandistas que realmente vivem as leis da maravilhosa Umbanda,
aprendem com nossas Entidades de Luz, que estamos constantemente em
evolução espiritual, que estamos seguindo por várias reencarnações,
que a cada passo dentro dessas reencarnações estamos aprendendo
lições, e que a cada lição aprendida nos eleva um degrau a mais para
nosso melhoramento e logicamente a evolução como ser.

    Se estamos nessa evolução espiritual, logicamente todos os seres
estão, e se estão temos a necessidade de reencarnar, de sermos
gerados, de nascermos, de crescermos, evoluirmos, amadurecermos,
envelhecermos até desencarnarmos para que assim um novo ciclo volte a
acontecer e novamente fazermos toda a caminhada evolutiva, para que
assim chegarmos a uma evolução determinada por Deus.

    E então, com todo esse ciclo preparado, já tão aguardado pelo
espírito, é interrompido de uma forma covarde, brusca e totalmente
radical por intermédio do aborto, feito por uma mulher, na maioria das
vezes com aval de um homem, no qual chegaram a essa situação pelo
simples fato de se entregarem a um prazer carnal de alguns minutos.
Então para entendimento, reduzindo, se aniquila a possibilidade de
anos e anos de lições e  evolução espiritual de um ser gerado, pela
falta de responsabilidade de um casal sem estrutura, que sem a menor
culpa assassinou um futuro ser, ser esse que tem o nome sagrado de
filho.


   Abaixo descrevo a visão espírita dessa ação perversa e covarde:

O Espírito Emmanuel nos fala deste hediondo crime:

"O aborto provocado, mesmo diante de regulamentos humanos que o
permitem, é um crime perante as Leis de Deus."
Emmanuel (Leis de Amor , Cap. XI)

 "A insensibilidade humana na prática do aborto cruel mostra quanto
estamos distantes das Leis Divinas, ainda mais quando as instituições
dos códigos humanos criam leis aprovando o direito à mulher de negar a
continuidade da vida a um ser que está desenvolvendo-se dentro de seu
próprio organismo."

" O aborto provocado destrói não somente o corpo do bebê, mas também o
santuário divino das formas humanas na mulher."

"As consequências imediatas do aborto delituoso logicamente se
refletem, primeiro e em maior grau, no organismo fisiopsicossomático
da mulher, pois abortar é arrancar violentamente um ser vivo do
claustro materno."


    O centro genésico, que é o santuário das energias criadoras do
sexo e tem sua contraparte na organização perispiritual da mulher, com
a prática do aborto condenável sofre desequilíbrios profundos, ainda
desconhecidos da ciência terrena. O Espírito André Luiz em seu livro
"Evolução em Dois Mundos" descreve os resultados no mundo psíquico da
mulher que comete o aborto delituoso. Conforme descrito abaixo:

" É dessa forma que a mulher e o homem,  acumpliciados nas
ocorrências do aborto delituoso, mas principalmente a
mulher, cujo grau de responsabilidade as faltas dessa
natureza é muito maior, à frente da  vida que ela prometeu
honrar com nobreza, na maternidade sublime, desajustam as
energias psicossomáticas, com mais penetrante  desequilíbrio
do centro genésico, implantando nos tecidos  da própria alma
a sementeira de males que frutescerão,  mais tarde, em regime
de produção a tempo certo."
(Evolução em Dois Mundos, Cap. XIV - Parte II).

O crime do aborto não é simplesmente o de destruir um corpo que está
se formando, mas também o de interferir no direito do Espírito
reencarnante que realmente está dando vida ao feto, pois a partir do
momento da concepção, o Espírito passa a atuar profundamente no
crescimento do embrião.

    Para entendimento e esclarecimento sobre a falácia de algumas
pessoas que tentam demonstrar que um ser recém concebido não é
considerado um ser com alma, e sendo assim não teria gravidades
espirituais ao ser expulso do ventre de sua genitora, analisemos o que
nos esclarecem os Espíritos Superiores em "O Livro dos Espíritos" , na
Questão 344:

"Em que momento a alma se une ao corpo?

A união começa na concepção mas só é completa por ocasião do
nascimento. Desde o instante da concepção, o Espírito designado para
habitar certo corpo a este se liga por um laço fluídico, que cada vez
mais se vai apertando até o instante em que a criança vê a luz. O
grito, que o recém-nascido solta, anuncia que ela se conta no número
dos vivos e dos servos de Deus."


    Como na organização fetal existe um Espírito administrando o seu
crescimento em simbiose mental com a mãe, em realidade já é o dono
desse corpo em formação, e em sã consciência a mulher gestante não
poderá dizer que é dona do feto e faz dele o que lhe aprouver, pois
ela já está trabalhando em parceria com um Espírito, filho de Deus
como ela mesma, e com os mesmos direitos de possuir um corpo e de
voltar à Terra.

    A mulher que cometeu aborto delituoso passa a sofrer consequências
desagradáveis imediatas em seu próprio organismo, seja pelo surgimento
de enfermidades variadas ou pelos processos sombrios da obsessão, em
virtude da antipatia nascida no Espírito reencarnante, que vê seu
tentame frustrado. Meditemos nas explicações de Emmanuel:


"O aborto oferece consequências dolorosas especiais para as mães?

Resposta - O aborto oferece funestas intercorrências para as mulheres
que a ele se submetem, impelindo-as à desencarnação prematura, seja
pelo câncer ou por outras moléstias de formação obscura, quando não se
anulam em aflitivos processos de obsessão." (Leis de Amor, Cap. IV)

    Deus nos deixa com o livre-arbítrio para decidirmos se cometeremos
ou não o hediondo crime do aborto, uma vez que somos responsáveis
pelos nossos próprios atos. Mas Deus não dá a ninguém o direito de
eliminar a vida de um ser que está em formação no organismo materno,
pois este direito somente Ele o possui. Quem está patrocinando o
renascimento de qualquer criança, antes de tudo, é DEUS.


    Podemos refletir, que além da covardia de estar assassinando um
ser, que além de estar interferindo na evolução de um espírito, que
além de estar atrasando a evolução de seu próprio espírito, que além
de estar declinando de uma das maiores bençãos de Deus que é de ter um
filho, ao interromper uma vida com o gesto cruel e imoral como o
aborto, a mulher e o homem, que em muitos casos são cúmplices nessa
ação assassina, estão arriscando a saúde física da própria genitora.

Vamos esclarecer:

    As consequências desagradáveis do aborto delituoso podem ser
imediatas e a longo prazo, principalmente para a mulher, seja no seu
corpo físico, na atual existência, seja na vida espiritual após a morte,
e também na próxima reencarnação. Já analisamos o problema da
obsessão por parte do Espírito reencarnante que não pôde ser um filho
na Terra.

    Vejamos agora as enfermidades na organização física da mulher,
tendo como causa a prática do aborto. Esses desequilíbrios, que têm
começo nesta existência, seguirão por muito tempo na organização
psicossomática da mulher que engendrou o aborto cruel. Os
desajustamentos do centro genésico no penspírito da mulher irão
refletir-se em enfermidades graves do corpo físico, ao longo da
existência terrena:

  Arrancar uma criança ao materno seio é infanticídio confesso. A
mulher que o promove ou que venha a cometer semelhante delito é
constrangida, por leis irrevogáveis, a sofrer alterações deprimentes
no centro genésico de sua alma, predispondo-se geralmente a dolorosas
enfermidades, quais sejam a metrite, o vaginismo, a metralgia, o
enfarte uterino, a tumoração cancerosa, flagelos estes com os quais
muitas vezes, desencarna, demandando o Além para responder, perante a
Justiça Divina, pelo crime praticado. E, então, que se reconhece
rediviva, mas doente e infeliz, porque, pela incessante recapitulação
mental do ato abominável, através do remorso, reterá por tempo longo a
degenerescência das forças genitais."
Ação e Reação, Cap. XV)

       Na vida corpórea, dificilmente percebemos que nossas
enfermidades são resultados positivos de nossos deslizes diante da Lei
Divina, mas na Vida Espiritual cada Espírito vê, sente e vive em si
mesmo os reflexos negativos de seus pensamentos enfermiços, emoções
inferiores e ações criminosas, praticadas na existência humana
irresponsável. A miséria moral se estampa perfeitamente no mundo
mental e tem como consequência a desorganização e a deformidade do
corpo espiritual. E o que acontece com as mulheres que praticaram o
aborto com plena liberdade e consciência do que estavam fazendo,
segundo as declarações de André Luiz:

" O aborto provocado, sem necessidade terapêutica, revela-se
matematicamente seguido por choques traumáticos no corpo espiritual,
tantas vezes quantas se repetir o delito de lesa-maternidade
mergulhando as mulheres que o perpetram em angústias indefiníveis,
além da morte, de vez que, por mais extensas se lhes façam as
gratificações e os obséquios dos Espíritos Amigos e Benfeitores que
lhes recordam as qualidades elogiáveis, mais se sentem diminuídas
moralmente em si mesmas, com o centro genésico desordenado e infeliz,
assim como alguém indebitamente admitido num festim brilhante
carregando uma chaga que a todo instante se denuncia."
(Evolução em Dois Mundos, Cap. XIV - Parte II)

    Para a mulher que praticou o aborto, injustificadamente, os
sofrimentos continuarão na próxima encarnação, através dos
desequilíbrios psíquicos diversos, enfermidades do útero e a grande
frustração pela impossibilidade de gerar filhos. Mesmo a mulher que
praticou o aborto, após já ter concebido o primeiro ou o segundo
filho, receberá, na próxima encarnação; os sintomas perturbatórios de
seu crime, justamente depois do primeiro ou do segundo filho, período
exato em que praticou o aborto na existência anterior. Diversos
problemas que sofrem hoje as mulheres no exercício da maternidade têm
suas causas profundas nos deslizes do passado, que hoje surgem no
corpo físico como reflexo positivo da desorganização perispirítica.

    Em razão disso, nem sempre a mulher recupera a saúde, afetada por
esses transtornos, somente com o uso de medicamentos e hábeis
cirurgias da medicina terrestre, pois há que resgatar em si mesma, à
custa de muitos sofrimentos, suportados com fé e abnegação, os crimes
do ontem, para aprender a valorizar, respeitar e amparar a vida dos
filhos que Deus temporariamente lhe entrega nas mãos.

    Todos aqueles que induzem ou auxiliam a mulher na eliminação do
nascituro possuem também a sua culpabilidade no ato criminoso: maridos
ou namorados que obrigam as esposas, médicos que estimulam e o
realizam, enfermeiras e parteiras inconscientes. Para a justiça humana,
não há crime, nem processo, nem punição, na maioria dos casos,
mas para a JUSTIÇA DIVINA todos os envolvidos no ato criminoso
sofrerão as consequências sombrias, imediatas ou a longo prazo, de
acordo com o seu grau de culpabilidade.

Emmanuel nos esclarece bem isso:

 " O aborto oferece consequências dolorosas especiais para os pais?

Resposta: Os pais que cooperam nos delitos do aborto, tanto quanto os
ginecologistas que o favorecem, vêm a sofrer os resultados da
crueldade que praticam, atraindo sobre as próprias cabeças os
sofrimentos e os desesperos das próprias vítimas, relegadas por eles
aos percalços e sombras da vida espiritual de esferas inferiores."


    Então nenhum dos envolvidos nesse assassinato inconsequente
estarão livres de uma cobrança divina, contudo tanto a Umbanda como
qualquer outra designação espiritualista, não interfere em algo que
todos os seres humanos tem, que é o livre arbítrio. Portanto a
reflexão extrema antes de tomar uma decisão deve ser profunda, pois
mesmo tendo o livre arbítrio de seguir o caminho desejado, sendo ele
bom ou ruim, todos nós devemos estar preparados para futuras
cobranças, pois de forma nenhuma ao tomar a decisão de assassinar um
inocente, ainda em formação no ventre de sua genitora, esse ato sairá
impune.


    As Entidades de Luz nos ensinam que temos que ser caridosos, que
de forma nenhuma poderemos subtrair a vida de um semelhante, pregam o
amor e a compreensão, a luta pela vida e o acolhimento e a proteção de
nossos filhos. Nos lembram constantemente das mulheres negras
escravizadas, que tinham seus filhos retirados de seus braços após o
nascimento, e o quanto elas sofriam por isso. Nos lembram quantas
mulheres incapacitadas de terem filhos, choram pela grande vontade de
serem mães, de alimentar seus filhos em seus seios, de darem e
receberem carinho de um pequeno ser que pelos laços do amor seriam
gerados em seu ventre.

    Enquanto tudo isso é lembrado pelas nossas Entidades divinas,
mulheres capacitadas a dar a luz, que podem ter a felicidade de ter em
seus braços a extensão de um relacionamento de amor, que tem a seu
alcance a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento de um novo ser
que busca a evolução espiritual, matam sem culpa através do aborto
seus filhos, que julgados e condenados por essas mesmas assassinas
irresponsáveis, que exterminam a chance desse ser que acabaram de
serem concebidos, a busca de uma nova vida e evolução.

    Aborto é crime!

    E para a mulher que acha isso um tanto normal, reflita, e rogue a
Deus que sua pena não seja tão dolorida quanto a dor desse pequeno
ser que foi arrancado do seu ventre.

    Para concluir, deixo uma mensagem do saudoso e tão iluminado
Francisco Cândido Xavier, o nosso instrutor das leis divinas:

"ABORTO DELITUOSO.

    Comovemo-nos, habitualmente, diante das grandes tragédias que
agitam a opinião. Homicídios que convulsionam a imprensa e mobilizam
largas equipes policiais... Furtos espetaculares que inspiram vastas
medidas de vigilância... Assassínios, conflitos, ludíbrios e assaltos
de todo jaez criam a guerra de nervos, em toda parte; e, para coibir
semelhantes fecundações de ignorância e delinquência, erguem-se
cárceres e fundem-se algemas, organiza-se o trabalho forçado e em
algumas nações a própria lapidação de infelizes é praticada na rua,
sem qualquer laivo de compaixão. Todavia, um crime existe mais
doloroso, pela volúpia de crueldade com que é praticado, no silêncio
do santuário doméstico ou no regaço da Natureza... Crime estarrecedor,
porque a vítima não tem voz para suplicar piedade e nem braços
robustos com que se confie aos movimentos da reação. Referimo-nos ao
aborto delituoso, em que pais inconscientes determinam a morte dos
próprios filhos, asfixiando-lhes a existência, antes que possam sorrir
para a bênção da luz. Homens da Terra, e sobretudo vós, corações
maternos chamados à exaltação do amor e da vida, abstende-vos de
semelhante ação que vos desequilibra a alma e entenebrece o caminho!
Fugi do satânico propósito de sufocar os rebentos do próprio seio,
porque os anjos tenros que rechaçais são mensageiros da Providência,
assomando no lar em vosso próprio socorro, e, se não há legislação
humana que vos assinale a torpitude do infanticídio, nos recintos
familiares ou na sombra da noite, os olhos divinos de Nosso Pai vos
contemplam do Céu, chamando-vos, em silêncio, às provas do reajuste, a
fim de que se vos expurgue da consciência a falta indesculpável que
perpetrastes.

Espírito: EMMANUEL
Médium: Francisco Cândido Xavier


    Volto a afirmar: A Umbanda é totalmente contra a ação do aborto.
O umbandista verdadeiro jamais se utilizará, apoiará  e incentivará esse
ato criminoso.

    As mulheres que pregam a liberação do aborto por alegarem que seus
corpos são de sua propriedade, e elas podem fazer deles o que bem
desejarem. Afirmo que sim, seus corpos realmente são seus, e
logicamente poderão fazer deles o que bem entender, mas para reflexão,
os seres gerados em seus ventres não fazem parte de seu corpo,
portanto não são de vossa propriedade, sendo assim, não poderão
simplesmente eliminá-los.

Se permitirmos que uma mãe mate seu filho no próprio ventre, como
dizer às pessoas que não matem umas às outras? (Madre Teresa de
Calcutá)

Aborto é a mais alta falta de amor ao próximo. Umbanda condena
totalmente o aborto.

Reflita: Antes da concepção já estão designados os Orixás de proteção,
as Entidades de cada ser e a vontade de Deus. O Aborto mata tudo isso.


    Gostaria de dedicar esse texto as mães verdadeiras, mães que lutam
bravamente pela vida de seus filhos, mães como a genitora do pequeno
Jorge Renan de Araújo, que nasceu com insuficiência renal, e após 3
meses de luta contínua, desencarnou, ou como a mãe das gêmeas, Sara e
Esther, que após ficar os últimos 3 meses internada em estado crítico,
com sua gravidez de risco, continua agora ao lado das pequenas no
hospital, implorando a Deus que com sua benevolência, restaure a saúde
de suas pequenas princesas.


Carlos de Ogum




 


75 comentários:

Anônimo disse...

Lindo, adorei e me emocionei, parabéns. Eu sou umbandista! Priscila

Talita Sousa disse...

Uma pessoa que se diz umbandista ou kardecista nunca deve ser a favor do aborto! Afinal, se acredita no plano espiritual, como aceitar um corte na reencarnação de alguém? Uma pessoa considerar um aborto é a maior prova de que é uma criatura extremamente materialista, que só pensa nas vantagens do lado de cá da vida e não da verdadeira vida , que é a do espírito no plano espiritual.
Pai Benedito do meu terreiro sempre fala da responsabilidade da mulher que é gerar Amor. O verdadeiro umbandista é contra o aborto, e quem se acha umbandista e é a favor do aborto, deveria procurar ler mais, estudar mais ou invés de sair falando bobagens por aí!

"Espíritas: amai-vos, eis o primeiro mandamento; INSTRUÍ-VOS, eis o segundo". Esta frase ditada pelo Espírito de Verdade, em Paris, 1960

Aninha S. disse...

As pessoas deveriam entender que nenhum ser é culpado pela forma em que foi concebido, assim também em caso de estupro. Não é porque um homem foi tão cruel a ponto de explorar o corpo de uma mulher à força, que essa tal deve ser tão cruel quanto à ponto de MATAR a vida de um ser que, repito, NÃO TEM CULPA PELA FORMA EM QUE FOI CONCEBIDO.

NÃO ao Aborto!

Anônimo disse...

Maravilhoso ensinamento espiritual. Obrigado por esse texto lindo.

Jessica Mairynk

Anônimo disse...

Tudo que muitas mães assassinas deveriam ler. Parabens!!!

Renatinha Soares

Anônimo disse...

Aborto não é uma saída para um fato que chamam de "problema", é a entrada para um fato que a justiça tinha que chamar de "Homicídio culposo". Não sou Umbandista, mas a partir desse maravilhoso texto,
quero dizer que passei a admirar extremamente essa religião.

Profº Arnaldo Barreto

Anônimo disse...

Queria que minha filha tivesse lido esse texto a um ano atras. Acredito que estaria com meu neto nos braços e não com essa dor que tenho no coração.

Maria Cândida (Voluntaria do lar Anjos sem amor)

Anônimo disse...

Triste é saber que tem idiotas tanto mulheres como homens que acham isso normal.

Paulinho

Anônimo disse...

Saber que uma vida pode ser tirada antes de sair do ventre de sua mãe é de destruir qualquer coração humano, e agora sabendo que esse assassinato ainda destroi uma oportunidade de evolução espiritual é de dar nojo de alguns seres humanos. Fiquei chocada.

Cíntia Pereira

Anônimo disse...

Penso no dia em que ainda viveremos como seres humanos amaveis e caridosos, assim como Pai Oxalá nos ensinou. Aborto não.

Sidney Moura

Anônimo disse...

Lindo texto... Diga não ao aborto.

Maria Amelia Ramos

Anônimo disse...

Gracias por enviar a mí en español.
Me encantó este texto y que era mucho más en contra de este hecho se llama aborto.
Felicitaciones al querido Padre Carlos por más que la enseñanza.

Carmelita Sanches Daia

Anônimo disse...

Gostei demais dessa explicação sobre o aborto, beijos.

Suzy

Anônimo disse...

Mais um texto magnifico, mais um ensinamento sem igual para nós umbandistas. Como sempre se superando.

Renato Brito

Anônimo disse...

Eu era a favor do aborto, achava que a mulher tinha esse direito. Nunca tinha visto por esse lado espiritualista. Obrigado Carlos de Ogum por me tirar a venda da ignorancia. Belo ensinamento para pessoas que como eu via o caso de aborto como algo simples. Me envergonho de ter pensado assim um dia.

Solange Limeira Cunha. Brasília DF

Anônimo disse...

Oxalá e todos os Orixás condenam esse massacre feito por mulheres que eram para ser as primeiras que deveriam lutar pelas vidas que a elas
foram dadas para tomarem conta e protegerem por nosso Pai maior.
Excelente texto.

Cleide Santana Marques

Anônimo disse...

Não tem covardia maior que assassinar um filho no próprio ventre.
A Umbanda condena o aborto sempre. Parabéns Pai Carlos de Ogum.

Mãe Rosália de Obaluaiê

Anônimo disse...

O fim dessas pessoas que são a favor do aborto será algo que não tem descrição. Vamos rezar por essas almas perdidas e rezar muito mais pelas
almas que não tiveram chance de evoluir por um gesto covarde feito pelas mulheres e homens assassinos.

Carla de Oxum

Anônimo disse...

Divino texto. Ensinamento maravilhoso a essas assassinas. Parabéns.

Suelen

Anônimo disse...

Jamais imaginei que era algo tão demoníaco dessa forma, apesar de ser totalmente contra ao aborto. Mas é ´pior ainda do que imaginava. Amei esse texto.

Clarissa Gomes

Anônimo disse...

Divina visão sobre o aborto. parabéns.

Cleyton Nunes

Anônimo disse...

E ainda tem vagabundas e vagabundos que não se importam com isso. Bando de assassinos de criancinhas.

Rogério Gusmão

Anônimo disse...

Pai Carlos de Ogum, sua sabedoria nos da animo de ler e divulgar esses posts. A cada leitura uma lição. Obrigado.

Talita Cruz. Centro de Umbanda Pai Joaquim de Angola.

Anônimo disse...

Perdi um filho por aborto espontâneo a um ano e meio atrás. Lutei até o ultimo segundo para que isso não acontecesse, meu marido chorou comigo,
ficamos dilacerados. Para nós foi algo terrível. E mais terrível ainda foi ter ficado no mesmo quarto de uma mulher que estava ali porque fez
um aborto provocado, e não se sentia culpada,. Existem mães e pais e existem monstros como essa mulher.

Edilene Maria Nóbrega Duarte e José Roberto Cunha Duarte

Anônimo disse...

Maravilhoso texto parabéns pai.

Bianca

Anônimo disse...

Esse texto me deixou refletindo sobre a minha própria vida. Sou umbandista a quase um ano. E hoje me considero uma grande ´pecadora, pois já fiz 2 abortos, um eu tinha só 16 anos e outro eu tinha 24 anos. Hoje tenho 31 anos, ja tinha noção do meu erro, mas ao ler esse texto estou me sentindo a pior das criaturas. Que os Orixás me perdoem.

Ana Bella Saraiva - Campinas SP

Anônimo disse...

A crueldade do ser humano é de enojar qualquer um. E Aborto não é de Deus.

Adilio Silva

Anônimo disse...

Um texto desses deveria estar num livro e ser repassado como lição a muitas pessoas desalmadas. Fiquei extasiada e emocionada. Parabéns.

Maria das Graças

Anônimo disse...

Que texto, que texto, que texto. Amei.

Claudia Gonçalves

Anônimo disse...

Amei esse ensinamento.

Juliana

Anônimo disse...

Pai Carlos, você me fez chorar. Que texto lindo.

Paola Camila

Anônimo disse...

O carma de alguem que faz algo assim sera eternamente dolorido.

Junior

Anônimo disse...

Minha namo engravidou ano passado, os pais dela disseram pra abortar, lutamos e tivemos nossa filhinha que esta com 9 meses. Vou pegar esse texto e esfregar na cara deles. Parabens.

Victor Salgado

Anônimo disse...

Vou levar esse texto para minha irmã ler, para ela entender o pq ela tem um problema no utero, apos fazer um aborto ela sonhou com uma menina loirinha chorando, e agora apos casada nao engravida pq esta com algo no utero. Aqui se faz aqui se paga. Aborto eu nunca farei.

Monique Alves

Anônimo disse...

Uma aula de espiritismo umbandista. Com sua permissão meu Pai vou levar esse texto até meus filhos de Santo, um texto assim tem que servir de lição para o verdadeiro umbandista. Parabéns e axé.

Roberto de Oxossi. Terreiro Caboclo Mata Virgem.

Anônimo disse...

Texto para muita reflexão. Adorei.

Maria Sampaio

Anônimo disse...

Fui as lágrimas lendo esse texto. Fico imaginando os sofrimentos de ambos os lados, do filho que se foi e da mãe que ficará eternamente com essa culpa. Que Oxalá tenha piedade de todos.
Texto maravilhoso e emocionante.

Mãe Maria de Xangô

Anônimo disse...

Uma mãe que assassina o próprio filho dentro do ventre nunca mais será a mesma pessoa. Parabéns pelo maravilhoso texto. E sua benção Pai Carlos de Ogum.

Reinaldo de Oxossi

Bianca Vital disse...

Texto maravilhoso... sempre achei o aborto um tema muito complicado, e cientificamente "fácil" de lidar... Mas quando vc entra pelo espiritismo, a lei do livre arbítrio e a evolução do espírito,é realmente algo impensável de se fazer... Meu Livre Arbítrio deve ser muito bem pensando quando existem outras pessoas envolvidas, ainda mais num caso como esse.
Obrigada por essa visão tão esclarecedora, Pai Carlos :)
axé!

Mariana Pereira disse...

Muito bom, seu texto me ajudou a fazer um debate escolar sobre "porque devemos ser contra o aborto", e como esse assunto envolve religiões,quis usar o ponto de vista umbandista para dar credibilidade ao meu trabalho.

Anônimo disse...

E quando há perigo de morte no parto tanto para a mãe quanto para o bebê? Qual a visão da Umbanda sobre isso? Abraço!

Carlos de Ogum disse...

Amigo(a) anônimo(a), a resposta já está dentro do texto, basta refletir.

"a Umbanda como qualquer outra designação espiritualista, não interfere em algo que todos os seres humanos tem, que é o livre arbítrio.

Portanto a reflexão extrema antes de tomar uma decisão deve ser profunda, pois mesmo tendo o livre arbítrio de seguir o caminho desejado, sendo ele bom ou ruim, todos nós devemos estar preparados para futuras cobranças

""O aborto provocado, mesmo diante de regulamentos humanos que o permitem, é um crime perante as Leis de Deus." Emmanuel (Leis de Amor , Cap. XI)"""

E resumindo a minha visão, que não é necessária ser a visão de todos, se uma mulher grávida passa por males da carne pelo motivo de uma geração de um novo ser, já é uma cobrança de uma reencarnação passada, pelo fato talvez de ter cometido um aborto, sendo essa cobrança feita nessa reencarnação presente, e se feito de novo para se proteger, o
destino com toda certeza vai agir sobre o caso, podendo essa genitora perder sua vida da mesma forma, e ainda teria a cobrança numa próxima reencarnação. Da mesma maneira que o feto, pois ali estão acertando os erros do passado para continuar a caminhada rumo a evolução.

Axé!

Carlos de Ogum disse...

Em resposta à um comentário que foi excluído desse post, gostaríamos de dizer a senhora Tailane Rodrigues que de forma nenhuma a Umbanda com seus Orixás e suas Entidades de Luz dariam crédito a um pedido tão imbecil e covarde que nos foi colocado aqui. Fica firmado que quando se deseja o mal há alguma pessoa, seja ela quem for, esse mal retorna em dobro ao pedinte, principalmente quando se inclui o nome das Pombo Giras e a ignorância em pedir o aborto de um inocente. A Umbanda é totalmente contra o aborto!

Fabiana Resende disse...

Uma lição a muita gente sem vergonha e assassina que anda nesse mundão
de meu Deus. Esse texto demonstra que temos que tomar jeito e virarmos
gente, pois do jeito que está a coisa ta feia. Muita gente sem
responsabilidade matando seres inocentes por minutos de prazer. E isso é
evolução? Acho que estamos regridindo como seres humanos. Ao Senhor
Carlos de Ogum só tenho que me curvar pelo texto e pela coragem de falar
para tanta gente hipocrita dentro de todas as religiões. Parabéns.

Anônimo disse...

Pai eu a 4 anos atrás sofri um aborto espontâneo. Fiquei muito mal com
isso, e lendo seu texto eu me pergunto. Será que fiz algo errado nessa
gravidez? Será que sou igualada as mulheres que provocam um aborto?
Tire minha duvida meu pai, alivie minha alma. Verônica de Paula

Carlos de Ogum disse...

Cara Verônica, não! Não é considerado um pecado na Umbanda o aborto desta forma. O aborto espontâneo pode ser algo destinado de vidas anteriores, sendo assim, nesta vida você não fez nada de errado.

Axé!

Anônimo disse...

Uma lição sem igual. Parabéns. Adorei e serviu para muita gente. Axé.

Anônimo disse...

Um texto de arrepiar. Para muitas pessoas pensarem antes de fazerem essa besteira que e de matar um filho dentro da barriga de uma mae.

Jurandir Filh disse...

Um texto maravilhoso, que deveria ser respeitado nesses tempos de que assassinar uma criança no ventre ainda é normal. Parabéns.

Anônimo disse...

Senhor Carlos, acabei de passar esse texto a minha irmã, ela infelizmente é uma pessoa sem compreensão e a duas semanas atras fez um aborto, e para a surpresa de todos o pai da criança ficou chocado, pois ele desejava muito ser pai. Minha irmã tem 21 anos e disse que não ia se prender a um filho agora. Estamos em choque com tanta frieza dela. Minha mãe fica consolando o rapaz que está muito triste e disse que não quer ver minha irmã nem pintada. Na verdade todos estamos assim. Minha mãe e de Umbanda e eu li esse texto pra ela, que desabou em lágrimas. Minha irmã vai pagar por isso.

Anônimo disse...

Muito bem colocado. Garanto que muitas pessoas não gostaram desse post. Acerta na ferida de muita gente. Espetacular. Andressa Amorim

Anônimo disse...

Aborto é assassinato sobre alguém indefeso. Não se pode aceitar uma patifaria dessas em troca de alguns minutos de prazer. O texto e maravilhoso, parabéns. Pena que muita gente vai fingir que nem leu. Aborto é crime contra Deus. Regianne Faraco.

Robson Resende disse...

Maravilha de texto. Parabéns pela escrita e pelo tema. Suas palavras
deviam virar hino para acabarmos com essa covardia. Robson Resende

nicole disse...

Não sei oque dizer,nunca fui uma pessoa evoluida,frequentava igrejas raramente e cometi um erro que sei que vou pagar. É muito importante se apegar na Fé seja na umbanda ,católica,evangelica ou espirita.certamente se a maioria das pessoas se apagassem na fé e estudassem a doutrina que seguem muitos casos seriam evitados

Renatinha disse...

Que texto grandioso. Meus parabéns por divulgar algo assim, pra mim que sempre vi o aborto como uma coisa covarde demais, foi maravilhoso ler isso. Renata

Anônimo disse...

Jesus, venho pedir perdão. Sei que errei. Talvez pela minha pouca idade,
talvez por achar que amava demais. Não interessa o porque, só sei que
errei, estou muito deprimida. Tenho só 18 anos, e me sinto um lixo pelo
que eu fiz ou pelo que me mandaram fazer. Jesus me perdoe, tirei a vida
de meu filho. Meu ex namorado me levou a fazer isso. Ele errou, eu errei
mais. Mereço pagar, eu sei disso, mas essa dor que estou sentindo dentro
do peito é fora do normal. Preciso desabafar, não tenho com quem. Meu
namorado depois de tudo foi embora da minha cidade, meus pais não sabem
de nada, não tenho ninguém de confiança para desabafar. Jesus preciso de
ajuda de verdade. Não estou contendo essa dor imensa. Sinto saudades de
uma criança que não tive. Preferia morrer a sentir tudo isso. Eu fiz um
aborto, eu fiz no desespero, agora vivo meu desespero pior, sozinha e
uma assassina. Preciso de ajuda Jesus. Preciso de paz ou preciso deixar
essa vida. Me ajude. MSF

Carlos de Ogum disse...

Cara anônima, seu desespero é compreensível, talvez a dor que você esteja sentindo nunca passe. Realmente foi algo errado, mas pensar em tirar sua própria vida não é a solução. Se arrependa, reze e peça uma nova oportunidade a Deus para uma nova gravidez, na qual você se compromete a ser uma mãe maravilhosa que com certeza será.
Qualquer coisa, se desejar desabafar, entre em contato conosco pelo e-mail: umbanda.yorima.rj@hotmail.com

Fique na Paz de Oxalá,
Axé!

Anônimo disse...

Texto de luz. Parabéns. Maria Estela

Anônimo disse...

Bença Pai. Nunca pensei que o aborto era tão cobrado na Umbanda. Sei que é horrivel, mas os traumas espirituais que traz são do extremo. Lição mais que maravilhosa. Heloisa Rubens

Alanna Morim disse...

Carlos de Ogum, meu nome é Alanna Morim, sou da cidade de Sorriso em MG,
tenho 14 anos e uma pergunta sobre algo que me aconteceu a uns4 meses
atrás, e que está me deixando confusa demais. A 1 ano estou indo a um
centro de Umbanda com meus primos e meus tios, meus pais não gostaram
muito, mas eu conversando com eles acabaram me deixando ir. Após algumas
vezes que fui, me senti muito estranha, comecei a sonhar com muitas
coisas estranhas, as vezes ouço vozes e coisas assim. Conversando com a
senhora do terreiro ela disse que sou médium e iisso que me acontece é
normal nesses casos. A uns 4 meses atras tive um sonho com uma menina
muito parecida comigo, e no sonho ela chama meu nome e vem ao meu
encontro dentro de meu quarto, se senta e diz assim: Eu era para ser sua
irmã, mas como não deixaram eu nascer fui destinada a ser sua filha.
Quando isso acontecer não me expulse de seu ventre assim como sua mãe
fez comigo. Por favor. E assim ela começou a chorar. Eu acordei chorando
e muito assustada, até então eu não sabia que minha mãe tinha feito um
aborto. Dia seguinte a primeira coisa que perguntei a ela foi se ela
tinha abortado alguma vez. Ela assustada perguntou porque eu estava
falando aquilo. Contei meu sonho. E ela desabou a chorar. Disse que
tinha feito e tinha se arrependido muito. Era uma gravidez antes de mim
e depois de meu irmão. Ficamos muito emocionadas. Esse texto me fez
lembrar de tudo, e eu prometi a mim mesma de só engravidar na hora
certa, e nunca pensarei em aborto. Desculpe o desabafo Carlos de Ogum,
mas seu texto mexeu muito comigo e com minha mãe. Foi muito bom ter
lido e aprendido muito mais. Beijos carinhosos.

Anônimo disse...

Deveria ter lido esse texto a dois anos atrás. Desculpe Deus, desculpe aos Orixás, desculpe as Entidades de Luz. Desculpe ao espírito da criança que abortei. Estou arrasada em agora entender o que fiz. Perdão. RRM RJ

Jeniffer Marinho disse...

Adorei esse texto. Mas amei mais ainda os comentários. A repercução os relatos os desabafos. Parabéns demais ao senhor Carlos de Ogum por levantar tão bem esse tema pela visão espírita.

Beatriz Gamma disse...

Senhor Carlos de Ogum, tenho 33 anos, sou de uma cidade do interior de
MG, e gostaria de demonstrar meu agradecimento pelo texto postado. Para
mim deu um salto em minha consciência que me fez ver e agir. Eu fiz
abortos,, na verdade quatro, entre 16 a 25 anos de idade, era uma pessoa
sem noção de nada e nunca me apeguei ao lado espiritual da coisa. Esse
ano de 2015 fui chamada para participar de um grupo de mulheres que
também fizeram aborto e lutam para que isso não aconteça com outras
mulheres, dando informação sobre o assunto. Eu me neguei, achei que não
era necessário, pois ainda não via o aborto como um erro. Achei seu
texto na internet, li e reli várias vezes, chorei muito com cada palavra
que cabia a minha pessoa. Imprimi seu texto e decidi ir ao encontro das
mulheres do grupo contra o aborto. Nos reunimos em uma escola de minha
região, e a sala de palestra estava lotada, tinha mulheres de diversas
idades, e de diversas visões sobre o assunto, inclusive de diversas
religiões. Quando começou a reunião, algumas componentes do grupo falava
sobre o fato aborto, de um modo mais na demonstração social e feminista,
era um debate atrás do outro. Muitas mulheres contra o aborto e muitas
a favor. E o debate ficou sem controle. Então chegou a minha vez de
falar, eu pedi silêncio, pedi atenção, pedi respeito, pois eu sabia que
ali tinha diversas pessoas de diversas religiões, expliquei que o texto
que eu ia ler era de um blog de Umbanda, mas o fato em si se dedicava ao
aborto, e não queria mostrar se era errado ou certo na visão social, na
justiça, ou no feminismo. Mas queria que prestassem atenção no que dizia
o lado espiritual da coisa, o lado de Deus, o senhor dos Senhores. E li
seu texto. No final, um grande silêncio, muitas, mas muitas mulheres
mesmo chorando, e as que eram a favor se calaram, de cabeça baixa. Eu
agradeci, e disse que o autor desse texto, por mais ligação a uma
religião, na verdade estava mostrando a visão de todas as religiões que
acreditavam em Deus. A reunião acabou senhor Carlos, mas esse texto saiu
marcado na mente de muitas pessoas, e que começaram a ver, assim como
eu, que o aborto é algo realmente que vai de contra todos os preceitos
de Deus. Muito obrigado por essa oportunidade de me esclarecer e
esclarecer um grandioso grupo que pregava o aborto.

Julia Medeiros disse...

Amigos do blog, venho para dizer que faço parte do grupo de Beatriz Gama, e estava no dia dessa grande reunião. Chorei bastante juntamente com uma amiga que já tinha feito aborto, e toda vez que eu tocava no assunto ela vinha debatendo a favor. Para nós esse dia e esse texto foi uma lição. Abraços a todos. Julia MG

Fernanda Fidellis disse...

Pai Carlos ontem vi uma pessoa de nome Larissa debatendo com o senhor sobre esse tema no tw. Desculpe a franqueza, mas me deu uma vontade de dar uns tapas nela. Ela provavelnente fez aborto e se acha no direito de ir contra a opinião dos outros por um erro dela. O senhor como sempre com uma resposta no pé da letra e demonstrando seu preparo e sua coragem. E ainda a doida usou o nome de um Caboclo. Ah Pai Carlos, parabéns por essa sabedoria de resposta na hora correta. Adorei.

Lucia de Faria disse...

Um texto maravilhoso que com certezza incomoda muito as mulheres que optam por esse crime para se desfazer de um ser inocente após minutos de um falso prazer. Pois prazer intenso é amar e ter um filho para a gente amar. Parabéns Pai Carlos. Estou totalmente a favor de suas colocações. Axé

Renata Bastos disse...

Senhor Carlos seu texto me deixou um tanto reflexiva. Eu infelizmente tive 3 abortos expontaneos. Gostaria de saber se eu poderei ser vista como uma filha de Umbanda, ou se isso me leva a algum tipo de punição. Obrigado e aguardo. Paz para o senhor.

Carlos de Ogum disse...

Cara Renata, o aborto espontâneo já é uma cobrança ou punição de outras vidas. Portanto na reencarnação de agora você só prestou contas. Não é algo que fez por má intenção, então dai pra frente não terá cobranças por esse fato.

Boa sorte e paz!

Ju Silveira disse...

Eitaaaaaaaaaa Pai Carlos, que texto é esse. notável. Tapa na cara de muita mulher e homem sem noção. Adorei e já mandei para um casalzinho ai bem descarado, que acha que é só matar criança e o problema acabou. Adoreeeeeeei

Adélia França de Amorim Cardoso disse...

Aborto é uma das coisas mais despresiveis da vida. Seu texto diz bem isso. Vamos abortar essa ideia mesmo.

Anônimo disse...

Amigo de Luz Carlos de Ogum, estou no meio do desespero. Peço ajuda humildemente. Sempre fui contra ao aborto, sempre busquei ensinamentos espíritas. Tento ser uma pessoa boa. Porém meu amigo, eu pequei. Pequei da pior forma possível. Fiz um aborto a 3 meses atras, não consigo conviver com isso amigo de luz. Estou a ponto de explodir, pensei no sicidio, mas faltou coragem. Errei me relacionando com uma pessoa errada, não sabia que essa pessoa era tão cruel e tão errada. Engravidei, fiquei feliz, e ele demonstrou seu ódio por mim, mandou eu abortar, me deu dinheiro, eu recusei, ele me bateu, e eu continuei recusando, então ele me deu um prazo, ou eu fazia o aborto ou ele ia se vingar em minha familia, pais, irmãos, tios e em minha avó que tanto amo. Eu desesperada aceitei. Mas estou em frangalhos, perdida, mereço a morte. Venho atras de uma palavra, um caminho, não sei porque mas confiei em suas colocações, e espero uma luz. O que o amigo disser eu vou seguir, seja qualquer coisa, mas preciso sair dessa lamúria e dessa agonia de culpa. Me ajude meu irmão de luz Carlos de Ogum. JJRC - Niterói RJ

Carlos de Ogum disse...

Cara JJRC, o aborto é realmente algo que devemos ver como uma grande falta de sensibilidade e de amor para com o próximo; porém, o seu caso tem que ser muito bem analisado, pois a questão de ter feito o aborto não foi por um motivo de sua vontade, e sim por uma violência incabída de um obsessor em vida. A sua escolha pode lhe tornar aflitiva nesse momento, pois nada justifica condenar um ser inocente; mas os sentimentos de medo e fragilidade, juntamente com a arrogância e a prepotência desse homem, fez com que, infelizmente, você seguisse por esse caminho. Aos olhos de Deus, diante de toda a situação, a sua culpa é mínima, portanto aconselharia à você a estabelecer sua fé erguida e se livrar de pensamentos suicidas, pois esses pensamentos sim poderá tornar você um espírito perdido. Rogue a Deus, e reze pelo espírito daquele que o aborto não deixou vir à terra para evoluir.
Fique em paz!

Juarez Filho disse...

Texto de muita luz e inteligencia espiritual. Saravá

Paulinha Sampaio disse...

Aborti é umas das coisas mais nojentas feitas pelo ser humano. Depois do prazer que muitos não conseguem ficar sem vem a covardia de matar um inocente pelo fogo que muita gente tem. Tirar vidas assim é ir de contra a Deus.

Anônimo disse...

Senhor Carlos de Ogum, gostei demais desse texto explicativo. Obrigado pela lição

Postar um comentário

 
;