terça-feira, 20 de fevereiro de 2018 0 comentários

A História da Pombo Gira Maria Quitéria

                          

**********************************************************************
Eu tenho nome tão lindo,
mas eu só uso em tempo de guerra.
Quer saber o meu nome?
Eu sou Maria,
mas não vão se confundir por aí,
porque eu sou Maria,
Maria Quitéria

 Fui convidado para um baile na calunga,
mas quando eu cheguei lá,
quem comandava era Maria Quitéria.

Quando eu bato palmas,
Saravá a encruzilhada,
Saravá Exú mulher,
quando eu bato palmas,
Saravá Maria Quitéria,
Rainha da madrugada.
**********************************************************************


    A Pombo Gira Maria Quitéria é uma das mais conhecidas no reino
umbandista. Com seu jeito peculiar, forte, batalhadora, guerreira, ela
chama atenção por onde passa, deixando sempre saudades quando parte.

    Maria Quitéria trabalha na mesma banda ou legião da Pombo Gira
Maria Padilha, e é normal uma médium bem preparada em seu
desenvolvimento mediúnico, que tenha dona Maria Padilha na Coroa, ter
também a bela senhora Maria Quitéria.

    Dona Maria Quitéria, como já falamos acima é uma Entidade muito
forte, e sendo assim ela comanda uma enorme falange de mulheres, entre
tantas se destaca a Pombo Gira Maria Navalhada, que é sua subordinada.
Maria Quitéria em terreiros bem firmes, sem mistificação e com médium
preparado é acompanhada por sete Exús, Exús esses que formam uma
legião de trabalho e proteção onde dona Maria Quitéria for e estiver.

    Essa bela Entidade se apresenta sempre sem rodeios quando bem
incorporada, porém se notar que seu médium não esteja tão preparado,
ela simplesmente se vai, por não aceitar que seu trabalho seja
prejudicado.

    A história dessa linda Pombo Gira teve início na cidade de Lisboa
em Portugal, nos meados do século XIX, quando nascia uma bela menina
de olhos negros e penetrantes na casa de uma família economicamente
abastada.

    Seu nascimento fora uma festa para a família, pois sua mãe, uma
jovem portuguesa, após alguns anos de matrimônio com um militar
brasileiro, não conseguia realizar seu grande sonho, que era ter um
filho de seu amado. Após as esperanças se findarem, veio a grande
surpresa, uma gravidez, gravidez essa que foi a grande felicidade de
todos.

    E então chegou o tão esperado dia, o nascimento da criança que já
era tão amada e aguardada.

    O primeiro choro emocionou a todos, a jovem portuguesa, em
lágrimas, abraça o esposo e mostra a bela menina de pele não muito
clara.

    Uma pequena princesa, que teve como nome a tradicional Maria, para
seguir a tradição familiar, e o composto de Quitéria, pois a mãe da
menina era muito devota e extremamente agradecida a Santa Quitéria.

    E sete anos se passaram, a menina Maria Quitéria era muito esperta
e falante, e assim criava muitas amizades com todos da região.

    Nessa época o rei de Portugal estipulou uma lei na qual eram
tomadas a coroa terras que mesmo produtivas viraram propriedades do
poder, deixando os trabalhadores rurais sem ter onde morar e o que
comer. E assim foi nascendo grandes revoluções e invasões em torno da
região.

    Em uma dessas invasões alguns malfeitores se entraram em meio dos
trabalhadores rurais, e assim aproveitando a confusão, assaltavam as
casas das pessoas que residiam na cidade, e faziam isso com extrema
covardia, chegando a assassinar moradores inocentes.

    E uma dessas casas foi a da pequena Maria Quitéria, que ao ver a
invasão na casa de seus pais ficou desesperada, pois os assassinos já
tinham alcançado os mesmos.

    Uma serviçal da residência ao notar o acontecido pegou a menina
pela mão e saiu escondida pela parte de trás da casa, indo se esconder
por entre as árvores que ficavam em um pomar.

    Ficaram ali por horas escondidas, enquanto dentro da residência
os malfeitores roubavam tudo, agrediam os pais de Maria Quitéria e os
serviçais.

    Diante de uma fúria incontrolável esses larápios atacaram a todos
que ali estavam com punhais pontiagudos, assassinando a todos, e sem o
menor arrependimento, os sanguinários atearam fogo por toda a casa
queimando os corpos, até mesmo os que ainda não tinham desencarnado,
sobre os olhos mareados de lágrimas da pequena Maria Quitéria que
observava tudo.

    Os assassinos saíram apressadamente, e sem olhar para trás
deixaram aquela grande dor no coração da menina.

    Sem ter onde ir, a serviçal levou a menina a um acampamento de
Ciganos, implorando ajuda e explicando o que havia acontecido. Pedia
ela que os Ciganos tomassem conta da pequena criança, pois não tinha
condições de ficar com a menina.

    O Povo Cigano tinha na alma a caridade extrema, e acolheram a
menina como se fosse uma deles. E ali ela ficou por dez anos, viajando
de cidade a cidade em Portugal como uma verdadeira nômade, até que por
questões do rei, começaram perseguições implacáveis sobre os Povos
Ciganos, fazendo assim com que o grupo no qual se encontrava Maria
Quitéria, partisse para o Brasil.

    E foi assim que Maria Quitéria veio para o Brasil, já uma jovem,
linda, guerreira, sabendo as magias ciganas, caridosa e extremamente
forte.

    E o tempo foi passando, e de cidade em cidade, agora no Brasil,
Maria foi tendo novas experiências, até que um belo dia o chefe do clã
Cigano na qual ela fazia parte decidiu retornar a Portugal, porém a
jovem estava decidida a ficar, e assim houve a despedida dela daquele
tão generoso Povo Cigano que a acolheu com tanto carinho e dedicação.

    Ela então se tornou uma nômade solitária, como uma andarilha
buscava lugares para pernoitar, e assim foi conhecendo muitas pessoas
e tendo novas experiências. Entre essas pessoas ela passou por meio de
grandes fazendeiros, de prostitutas, de malandros, pessoas do bem e do
mal, e a todos elas buscava demonstrar palavras de auxilio, de luz,
de caridade. Auxiliou diversas pessoas com que aprendera com os
Ciganos, trouxe paz aos desesperados, comida aos famintos, água aos
sedentos, luz aos que se encontravam na escuridão.


    Por viver nas ruas ela aprendeu se defender e defender seus
semelhantes, e tinha nessa colocação a sua dádiva de vida.

    E em um fato assim Maria Quitéria teve seu desencarne já com seus
trinta anos, pois em uma das suas andanças pelas noites e sem destino,
encontrou uma jovem prostituta desesperada a correr, e chorando muito,
e vendo esse fato logo se pôs a tentar ajudá-la.

    A jovem esclarece que está sendo perseguida por covardes homens na
qual ela não aceitou ceder a proposta que lhe fizeram, e com a
negativa eles decidiram matá-la. E nesse momento chega a frente delas
um homem forte e com olhar covarde, gritando que ela deveria o
acompanhar, e a jovem em negativa se esconde atrás de Maria Quitéria,
que toma a frente da situação, tirando de sua saia um punhal afiado. O
homem avança sobre as duas, e nesse momento Maria o ataca acertando o
punhal na barriga, fazendo um grande e profundo corte. Ele cai, e as
duas correm pela escuridão.

    Nesse momento chega até o homem os outros que também estavam
perseguindo a jovem prostituta, e ao vê-lo ao chão ferido e
desacordado, ficam sem entender o acontecido. Acreditando que o homem
ferido estava morto, um dos perseguidores se joga de joelhos ao chão,
e em um grito de desespero e dor grita a frase: "Meu irmão, quem fez
isso com você?"

    Nesse momento Maria Quitéria vê o desespero do rapaz e diz a
jovem para fugir, pois ela iria retornar para auxiliar o ferido e
assim acalmar o coração de seu irmão.

    E assim foi feito, ela retornou, e chegando junto ao homem ferido
e seu irmão, ela diz:

    "Meu rapaz, tome esse frasco com essa poção Cigana, dê um bom gole
a boca de seu irmão, e depois jogue o restante no ferimento."

    O rapaz seguindo as orientações da mulher, fez o que devia fazer,
enquanto ela sumia na escuridão, sem ser notada, pois todos estavam
apáticos ao verem a reação do homem, e da ferida que fechava e
cicatrizava na frente dos olhos de todos.

    E assim se passaram sete dias, o homem que antes ferido já andava
normalmente pelas vielas da cidade, e andava não a esmo, pois em seus
olhos brilhavam o sentimento de vingança.

    Em certo ponto de uma viela escura, ele vê Maria Quitéria
dormindo ao relento, e se aproximando como uma serpente, decide se
vingar estocando um punhal no coração da mulher que dormia indefesa.

    E assim Maria Quitéria desencarna, e em seu redor e diante dos
olhos assustados do assassino, espíritos obsessores tentavam levar o
espírito de Quitéria para a escuridão, pois viam nela uma grande
força. Porém diante desse fato foram surgindo espíritos de luz, uma
legião de sete Exús, que vieram resgatar Maria e levarem ela para o
lugar das divindades de luz, para que pudesse, com a benção de Oxalá,
se tornar uma Entidade de Luz lutadora em prol da caridade e guerreira
contra a escuridão da maldade.

    Os Exús pegaram Maria Quitéria pela mão, dando-lhe o caminho a
seguir, e ela sorridente se foi formando um lindo caminho de luz
brilhante.

    Sem quase acreditar o assassino se põe de joelhos, sem perceber
que os espíritos sem luz que antes tentavam desviar o caminho do
espírito de Maria Quitéria, colocavam-se em volta dele, sugando suas
energias, até o ponto de seu desencarne, e assim o levaram para o
reino da escuridão, como mais um escravo.

    Hoje Maria Quitéria trabalha nos terreiros de Umbanda, sua linha é
a das Pombo Giras, e ela tem um jeito muito peculiar de falar,
parecendo um tanto radical, e bastante brava, assim como demonstrava
nas ruas e vielas que vivia, não como demonstração de prepotência,
mas sim pela sobrevivência.


    Saravá as Pombos Giras !

    Laroiê Dona Maria Quitéria !


Carlos de Ogum.
                            
sábado, 10 de fevereiro de 2018 18 comentários

A Homossexualidade na visão da Umbanda




    Antes de começarmos esse texto gostaríamos de frisar que o tema que falaremos hoje, não tem nenhuma ligação com a visão social ou com a opinião pessoal de um ou de outro. Esse texto é uma visão espiritual umbandista, ou seja, o que é ensinado ou demonstrado dentro do dogma descrito. Estamos frisando isso, pois não desejamos ser taxados como incoerentes, preconceituosos, radicais, ou mesmo que não nos importamos com o que é feito ou dito, dentro e fora do terreiro pelos filhos de nossa casa ou mesmo por consulentes assíduos.

    Devemos entender primeiramente que esse fato não se limita apenas como a explicação obtida em dicionários, ou seja:

"Significado de Homossexualismo: Substantivo masculino.
Psiquiatria: Refere-se aos que se sentem atraídos (sexualmente e/ou emocionalmente) por pessoas do mesmo sexo. Que pratica relações sexuais com pessoas do mesmo sexo. “Pessoa que se envolve tanto sexualmente quanto emocionalmente com pessoas do mesmo sexo.”

    Como podemos observar na explicação obtida em alguns dicionários, tudo se limita aos relacionamentos e relações sexuais com alguém do mesmo sexo, porém isso só é visto a grosso modo, pois dentro da Umbanda se deve olhar mais profundamente caso a caso.

    Na mente do ser humano, quando se fala de homossexualidade, nasce à imagem apenas de uma relação sexual, inclusive na mente do próprio homossexual, e assim se cria o preconceito, a intolerância, a promiscuidade, enfim, sentimentos e vícios que sempre vão atrasar a evolução espiritual.

    Outra coisa que devemos entender é que nos tempos modernos temos dois tipos de homossexualidade:

A que é estabelecida pela "moda atual", ou seja, muitas pessoas se dizem homossexuais apenas para fazer parte de um grupo. Talvez acreditem que possam ser, porém é mais para atacar a sociedade hipócrita do que realmente ter uma alma feminina em corpo masculino ou vice-versa. Porém não falaremos desse grupo, pois como sabemos isso é livre arbítrio, e a Umbanda respeita o livre arbítrio de todos.

A homossexualidade de alma, ou seja, a pessoa nasce realmente em um corpo masculino e com a alma feminina ou vice-versa, e é sobre esse grupo que falaremos.

    Para a Umbanda essa questão vai muito além da relação sexual, a questão envolve afetividade, relação de atração, relação de amor a outra pessoa na qual dedicamos carinho verdadeiro, construir uma vida.

    Devemos pensar antes de tudo que o espírito não tem gênero, pois não são criados por Deus como masculino ou feminino, e será que em nossas inúmeras reencarnações sempre vestimos a roupagem de um só gênero?

    Certamente tivemos e teremos ainda diversas reencarnações, e reencarnaremos em diversas roupagens materiais, sendo algumas vezes essas roupagens sendo masculina e em outras vezes feminina; entretanto temos a maior tendência em reencarnarmos em determinada roupagem.

    Porém devemos entender que estamos aqui para evoluirmos, e essa evolução deve ser feita de acordo com a vontade e os ensinamentos de Deus, nosso Pai Maior, e devemos aceitar sem revelias o que está em nosso destino de crescimento espiritual.

    A Umbanda nos ensina que muitos casos de homossexualidade verdadeira, ou desencarnamos em uma roupagem masculina e reencarnamos em um tempo considerado curto, em uma roupagem feminina, ou vice-versa, que esse tempo foi tão curto que o espírito não entendeu os novos hábitos, mesmo estando em um corpo contrário do referente ao espírito, ou que viemos reencarnando por séculos e séculos em uma mesma roupagem, e devemos passar por outra para podermos evoluir e dar continuidade ao trabalho dessa evolução, para aprendermos algum tipo de lição que ainda nos resta, como o aceite aquele corpo tão diferenciado do espírito que estamos acostumados a demonstrar.

    Em casos assim devemos refletir da seguinte maneira, se Deus nosso Pai Maior, nos deu a missão de seguirmos a caminhada evolutiva em um corpo diferente daquele que nosso espírito possa estar ligado, talvez estejamos indo contra a Deus e suas lições quando por falta de informações, transformamos nosso corpo de acordo com a roupagem que nosso espírito estivesse acostumado em reencarnações passadas, pois certamente necessitamos vir de forma diferenciada do costume espiritual para termos novas lições e aceites.

    Vamos dar um exemplo básico do que foi dito acima para ficar mais claro:

    Imaginemos um espírito que por séculos vem com a roupagem feminina, e nesse tempo de encarnação e reencarnações esse espírito é reprimido por espíritos em roupagem masculina em diversas épocas diferentes. Essa repressão faz com que cresça rancores e sentimentos de ódio, e esses sentimentos atrasam a evolução espiritual desse ser. Nesse ponto Deus decide que esse espírito deverá passar por uma reencarnação na roupagem masculina, para entendimento sobre o ser que odeia, e assim buscar a retirada dos sentimentos adversos de reencarnações passadas. E assim é feito conforme a vontade de Deus, uma roupagem masculina, com uma alma acostumada com a forma e hábitos femininos. Porém esse ser não consegue dentro de si aceitar essa missão de evolução, e busca a entrega de transformação da roupagem decidida por Deus a uma roupagem na qual o espírito está acostumado, e ai vem à entrega a homossexualidade, e claro a perda da chance de evolução pretendida por Deus a nós, evolução essa necessária para alcançar mais um patamar no degrau espiritual que nos leva a busca de uma perfeição, com objetivo de chegarmos a Deus e a não reencarnação novamente, pois o grande objetivo dos espíritos é não precisarmos mais reencarnar.

    E ai perguntamos: Isso tudo não seria pecado?

    Não posso dizer nem que sim e nem que não, pois a Umbanda não está ligada a pecados, e sim ligada no livre arbítrio de cada um, ou seja, errado ou não, todos nossos atos e ações serão cobrados ou vão ser bonificados na hora do desencarne de cada um de nós, para a demonstração do quanto tivemos de evolução na reencarnação que está se findando, ou seja, isso não é apenas ligado à homossexualidade e sim a tudo que nosso livre arbítrio possa estar preparado para decidir.

    Portanto a visão da Umbanda é acima de tudo respeitar todos os seres, independente de opção sexual, cor, raça, posição social ou econômica.

    Sendo assim a homossexualidade para a Umbanda é irrelevante, pois o aceite da missão dada por Deus, só pode ser bonificada ou cobrada à própria pessoa que recebeu a missão de evolução, e se essa pessoa por um acaso pedir orientações a qualquer Entidade de Luz da Umbanda sobre esse fato, certamente vai ser mostrado o porquê disso ou daquilo, mas jamais será cobrado ou julgado.

    A Umbanda jamais dirá que um filho ou filha que seja homossexual deverá ser tratado, curado, ou que está "endemoniado", jamais dirá que esse filho ou filha não poderá frequentar seus terreiros, casas, barracões ou templos, pois a Umbanda está de braços abertos a todos.

    A única coisa que a Umbanda e suas Entidades de Luz podem desejar demonstrar a um filho homossexual é que a homossexualidade não pode ser confundida com promiscuidade, e infelizmente muitas e muitas pessoas acreditam que essa ligação é o que rege o gênero, fazendo assim acontecer uma grande falta de respeito com o próprio corpo e certamente com o próprio espírito.

    A Umbanda ama seus filhos acima de tudo, de todos os sentimentos, de todos os atos e ações.

    E porque não amar sendo um desses filhos homossexual?

Sabemos que muitos deles já travam suas próprias batalhas interiores, sabemos também que muitos espíritos aceitam os novos corpos onde farão essa nova jornada terrena, porém outros espíritos não aceitam os corpos que reencarnaram, fazendo assim um conflito emocional enorme.

    Sendo assim porque qualquer dogma ou religião deveria ver um homossexual com olhos diferenciados a um heterossexual, por exemplo?

    Certamente muitos já tem pensamentos e emoções suficientes para ter com o que se preocupar. E sendo assim será que cabe a nós ou a Umbanda, ou a qualquer religião julgar seus atos ou atitudes?


    Logicamente não!

    E nessa colocação é que a nossa amada Umbanda demonstra que sua visão para a homossexualidade é a mesma do que para a heterossexualidade, para qualquer pessoa, de qualquer raça, qualquer cor, qualquer grau de instrução, qualquer nível social e qualquer nível econômico, ou seja, portas abertas, amor e caridade a todos que buscam a Umbanda, seus Orixás e suas Entidades de Luz.


    Salve a Umbanda!




Carlos de Ogum
terça-feira, 30 de janeiro de 2018 42 comentários

Banhos de Descarrego e Proteção para serem tomados na semana de: MÃE IEMANJÁ


    Vamos dar sequência nos textos em que estamos falando sobre os procedimentos para que possamos fazer banhos de descarregos e de proteção de um determinado Orixá na semana que saudaremos o mesmo.

    Hoje iremos falar da Orixá Rainha do Mar, a linda e doce Mãe Iemanjá, que é saudada no dia 2 de fevereiro.

    Frisando novamente, como no texto anterior, que foi de Pai Oxossi, que esses banhos podem ser feitos por qualquer pessoa, sendo ela filha do Orixá ou não.

                        BANHO DE DESCARREGO:

    Em uma panela grande, colocar quatro litros de água para ferver, após fervida, colocar os seguintes ingredientes:

Pétalas de sete rosas brancas;
Sete colheres de sopa de perfume de alfazema.

    Quando começar a ferver a água, adicionar as pétalas das rosas brancas, ir mexendo devagar em sentido horário com uma colher de pau, deixando em fogo baixo por uns três a cinco minutos. Desligar o fogo, tapar a panela e deixar em infusão por umas três horas. Coar, e adicionar o perfume de alfazema, pode aumentar a quantidade do banho com água do chuveiro. Após o banho normal, jogar desde a cabeça aos pés, pedindo à Iemanjá que leve para o fundo do mar todas as perturbações presentes em sua vida. Faça uma oração oferecendo a Mãe Iemanjá fazendo seus pedidos com coerência.

As pétalas que foram coadas do banho podem ser despachadas em um jardim ou em um rio de água corrente.

                         BANHO DE PROTEÇÃO:

    Esse banho deverá ser preparado no dia anterior pela manhã, e deve-se ferver em uma panela, quatro litros de água. Após fervida adicionar um punhado das seguintes ervas:

Erva colônia;
Flores de Alfazema;
Flores e folhas de pata de vaca;
Jasmim;
Oriri;
Pétalas de rosa branca.

    Mexendo sempre em sentido horário e com uma colher de pau por aproximadamente cinco minutos. Após esse tempo desligar o fogo, tapar e deixar em infusão por três horas. Coar, e após seu banho normal, jogar esse banho dos ombros até os pés. As ervas que foram coadas podem ser despachadas em um rio de água corrente ou em um jardim.



          BANHO TANTO PARA PROTEÇÃO QUANTO PARA DESCARREGO:

    Nesse banho você vai utilizar os seguintes ingredientes:

Alfazema;
Jasmim;
Alecrim;
Hortência;
Folha de laranjeira;
Aguapé;
Rosas brancas.

    Ferver sete litros de água, após fervida adicionar as ervas, deixe o fogo baixo, e mexa com uma colher de pau em sentido horário. Faça isso por sete minutos. Após esse tempo, apague o fogo, tape a panela, e deixe assim por sete horas. Quando for tomar esse banho, faça primeiro seu banho de higiene, pode adicionar água quente do chuveiro para ficar uma boa temperatura, jogar o banho de limpeza da cabeça aos pés. Faça seus pedidos com coerência juntamente com orações a Mãe Iemanjá. Despachar as ervas em um jardim, no mar ou em um rio de água corrente.

                 BANHO PARA PROTEÇÃO E PROSPERIDADE:

    Em uma panela grande colocar cinco litros de água para ferver, após fervida colocar os seguintes ingredientes, mexendo sempre em sentido horário com uma colher de pau:

Alfazema;
Flores e folhas de pata de vaca;
Sete palmas brancas.

    Após fervida, apagar o fogo e tapar a panela deixando em infusão por quatro horas. Coar, adicionar mais água, e após seu banho normal jogar esse banho da cabeça aos pés. Fazer seus pedidos com coerência, e fazer uma Oração a Mãe Iemanjá. Despachar os ingredientes coados no mar, ou em um jardim, ou mesmo ainda em um rio de águas claras.


BANHO PARA OS FILHOS DE IEMANJÁ QUE ESTÃO EM DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO:
         (PARA ATRAIR A ENERGIA E A VIBRAÇÃO DE MÃE IEMANJÁ)

    Separe com antecedência as seguintes ervas e materiais:

Bacia de louça branca.
Água Mineral;
Alecrim do campo;
Alfazema;
Crisântemo;
Flores e folhas de pata de vaca;
Folhas de lágrima de Nossa Senhora;
Folhas de tapete de Oxalá (boldo);
Pétalas de sete rosas brancas;
Sete palmas brancas.

    Esse banho deverá ser feito um dia antes de ser utilizado. Pega-se a bacia branca, coloque as ervas na quantidade que desejar e achar necessário, junto a ervas coloque a água mineral bem devagar, comece a macerar com cuidado, coloque sete gotas de perfume de alfazema, e peça proteção a Mãe Iemanjá em forma de oração, peça as forças dos mares, praias e Oceanos, para restabelecer suas energias, e fortalecer sua Coroa.

    Deixe esse banho descansar, coberto com um pano branco, e principalmente onde ninguém possa mexer nele, pois esse banho só pode ser manipulado pelo filho que vai utilizá-lo.

    Importante: Esse banho não pode ser fervido, para esquentá-lo, caso desejar que fique em uma temperatura mais agradável, esquente um pouco mais de água em um recipiente não metálico e jogue junto à água do banho e as ervas maceradas no momento que for tomar o banho. Esse banho deve ser jogado da cabeça aos pés, após seu banho normal. Acenda uma vela azul, e faça uma oração a Iemanjá.

    A fé que estamos dispostos a demonstrar é que faz as firmezas desses banhos, façamos com boas intenções e extremo de fé.


    Salve a mãe dos peixes nossa Rainha do Mar!

    Odoiá Iemanjá!




Carlos de Ogum
sábado, 20 de janeiro de 2018 43 comentários

Banhos de Descarrego e Proteção para serem tomados na semana de: PAI OXOSSI

                   

 Vamos iniciar uma sequencia de textos nos quais falaremos de algo
em que muitas pessoas nos procuram para tirar dúvidas, esses textos
serão uma pequena descrição de procedimentos para que possamos fazer
banhos de descarregos e de proteção de um determinado Orixá na semana
que saudaremos o mesmo.

    Vamos dar inicio ao Orixá Oxossi, que é comemorado no dia 20 de
janeiro.

    Frisando que esses banhos podem ser feitos por qualquer pessoa,
sendo ela filha do Orixá ou não.

                        BANHO PARA PROTEÇÃO:

    Em uma panela grande, colocar cinco litros de água para ferver,
após fervida, colocar um punhado das seguintes ervas:

Caapeba.
Carapiá.
Cipó Caboclo.
Jurema.
Pariparoba.
Salgueiro chorão.
Samambaia.

    Ao adicionar essas ervas, deixar fervendo em fogo baixo, e com uma
colher de pau ficar mexendo em sentido horário. por uns cinco minutos.
Após isso, desligar o fogo, tapar a panela deixando em infusão por
quatro horas. Coar esse banho, e após seu banho normal, jogar esse
banho de proteção da cabeça aos pés. Faça uma oração oferecendo a Pai
Oxossi e faça seus pedidos com coerência. As ervas restantes podem ser
despachadas em um jardim ou em um rio de água corrente.

                        BANHO DE DESCARREGO:

    Em uma bacia colocar um punhado das seguintes ervas com água limpa
e com temperatura ambiente para macerar bem com as mãos:

Alecrim do campo.
Alfavaca.
Folhas de eucalipto.
Jurema.
Pariparoba.
Salgueiro chorão.
Samambaia.

    Deixar esse banho descansar por 24 horas, coar, adicionar mais
água, e após seu banho normal, jogar esse banho dos ombros até os pés.
As ervas que foram coadas podem ser despachadas em um rio de água
corrente ou em um jardim.

          BANHO TANTO PARA PROTEÇÃO QUANTO PARA DESCARREGO.

    Nesse banho você vai utilizar os seguintes ingredientes:

07 espigas de milho verde.
Uma pitada de açúcar.

    Coloque o milho verde para cozinhar com o açúcar. Quando estiver
bem cozido, retirar a água do cozimento e reserve. Adicionar mais água
no caldo do cozimento das espigas de milho, e após seu banho normal
jogar o banho de limpeza da cabeça aos pés. Faça seus pedidos com
coerência juntamente com orações a Pai Oxossi.
    Coloque as espigas de milho em um alguidar, ofereça a Oxossi, e
acenda uma vela branca ou verde, após a vela se apagar colocar o
alguidar em uma árvore, ou na entrada de uma mata, caso não consiga
deixar nos lugares descritos, pode deixar em um jardim.

                 BANHO PARA PROTEÇÃO E PROSPERIDADE.

    Em uma panela grande colocar cinco litros de água para ferver,
após fervida colocar os seguintes ingredientes, mexendo sempre em
sentido horário com uma colher de pau:

Um punhado de alpiste.
Um punhado de feijão fradinho.
Um punhado de painço.
Um punhado de sementes de girassol.
Uma espiga de milho verde ralada.

    Após fervida, apagar o fogo e tapar a panela deixando em infusão
por quatro horas. Coar, adicionar mais água, e após seu banho normal
jogar esse banho da cabeça aos pés. Fazer seus pedidos com coerência,
e fazer uma Oração a Pai Oxossi. Jogar as sementes que coou em um
jardim para que os pássaros comam as sementes.


BANHO PARA OS FILHOS DE OXOSSI QUE ESTÃO EM DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO:
         (PARA ATRAIR A ENERGIA E A VIBRAÇÃO DE PAI OXOSSI)

    Separe com antecedência as seguintes ervas e materiais:

bacia de louça branca.
Quartzo verde.
Água Mineral.
Alecrim do campo.
Alfazema de caboclo.
Capim limão.
Eucalipto cheiroso.
Guaco.
Samambaia.

    Esse banho deverá ser feito um dia antes de ser utilizado. Pega-se
a bacia branca, coloque as ervas na quantidade que desejar e achar
necessário, junto as ervas coloque o quartzo verde. Coloque a água
mineral, bem devagar nas ervas, comece a macerar,, de olhos fechados
peça proteção em forma de oração a Pai Oxossi, peça forças das matas
e das cachoeiras, para restabelecer suas energias, e fortalecer sua
Coroa.

    Deixe esse banho descansar, coberto com um pano branco, e
principalmente onde ninguém possa mexer nele, pois esse banho só pode
ser manipulado pelo filho que vai utilizá-lo..

    Importante: Esse banho não pode ser fervido, para esquentá-lo,
caso desejar que fique em uma temperatura mais agradável, esquente um
pouco mais de água em um recipiente não metálico e jogue junto a água
do banho e as ervas maceradas no momento que for tomar o banho. Esse
banho deve ser jogado da cabeça aos pés, após seu banho normal. Acenda
uma vela verde e faça uma oração a Oxossi. A pedra de quartzo deve ser
guardada como amuleto e proteção de Pai Oxossi.


    Todos os banhos devem ser feitos com muita fé, e sempre com boas
intenções.

    Okê Arô Oxossi!

Carlos de Ogum.
                              
quarta-feira, 10 de janeiro de 2018 34 comentários

Calendário de Correntes Espirituais do ano de 2018



                             Terreiro de Umbanda Pai Ogum Megê (TUPOM)

Mentor: Vovô Rei Congo das Almas.



Médium Responsável pelos trabalhos de desobsessão:
Mãe Priscila de Omulú.

Médium responsável pelos trabalhos de Encaminhamentos:
Fillyp de Oxossi.

Médium responsável pelos trabalhos de descarrego:
Ana de Iemanjá.

Responsável Geral:
Pai Carlos de Ogum.


    Abaixo informamos, a quem possa interessar, o calendário das Giras
com Correntes Espirituais do Terreiro de Umbanda Pai Ogum Megê
(TUPOM), referente ao ano de 2018.


Mês: Janeiro.
Dia 06: Senhor do Bonfim e Baianos.
Dia 13: Pai Oxossi.
Dia 20: Pai Oxossi.
Dia 27: Mãe Iemanjá.

Mês: Fevereiro.
Dia 03: Mãe Iemanjá.
Dia 10: Não haverá Gira e Correntes, pelo feriado de carnaval.
Dia 17: Não haverá Gira e Correntes, pelo feriado de carnaval.
Dia 24: Pombo Giras.

Mês: Março.
Dia 03: Pombo Giras, Zé Pilintra e os Malandros.
Dia 10: Zé Pilintra e os Malandros.
Dia 17: Boiadeiros.
Dia 24: Boiadeiros.
Dia 31: Caboclos e Desenvolvimento de médiuns do TUPOM.

Mês: Abril.
Dia 07: Caboclos.
Dia 14: Pai   Ogum.
Dia 21: Pai Ogum.
Dia 28: Desenvolvimento dos médiuns do TUPOM. Não haverá Correntes.

Mês: Maio.
Dia 05: Pretos Velhos.
Dia 12: Pretos Velhos.
Dia 19: Povo Cigano.
Dia 26: Povo Cigano e Desenvolvimento de médiuns do TUPOM.

Mês: Junho.
Dia 02: Exús.
Dia 09: Exús.
Dia 16: Pai Xangô.
Dia 23: Pai Xangô.
Dia 30: Desenvolvimento de médiuns do TUPOM.  Não haverá Correntes.

Mês: Julho.
Dia 07: Corrente exclusiva de Vovô Rei Congo, Vovô Benedito e
Pai Antero.
Dia 14: Corrente exclusiva de Vovô Rei Congo, Vovô Benedito e
Pai Antero.
Dia 21: Mãe Nanã Buruquê.
Dia 28: Mãe Nanã Buruquê e Desenvolvimento de médiuns do TUPOM.

Mês: Agosto.
Dia 04: Exús do TUPOM, com chefia de Senhor Tranca Ruas.
Dia 11: Exús do TUPOM, com chefia de Senhor Tranca Ruas.
Dia 18: Pai Obaluaiê/Omulú.
Dia 25: Pai Obaluaiê/Omulú e desenvolvimento de médiuns do TUPOM.

Mês: Setembro.
Dia 01: Ibeiji.
Dia 08: Ibeiji.
Dia 15: Ibeijada.
Dia 22: Ibeijada.
Dia 29: Desenvolvimento dos médiuns do TUPOM. Não haverá Correntes.

Mês: Outubro.
Dia 06: Anjos de Guarda.
Dia 13: Anjos de Guarda.
Dia 20: Santas Almas Benditas.
Dia 27: Santas Almas Benditas e desenvolvimento dos médiuns do TUPOM.

Mês: Novembro.
Dia 03: Pai Omulú/Obaluaiê.
Dia 10: Pai Omulú]/Obaluaiê.
Dia 17: Mãe Iansã.
Dia 24: Mãe Iansã

Mês: Dezembro.
Dia 01: Mãe Oxum e Pai Oxalá.
Dia 08: Mãe Oxum e Pai Oxalá.
Dia 15: Última Gira do ano de 2018. Limpeza e fechamento do Terreiro.
Não haverá correntes.
Dia 22: Recesso fim de ano.
Dia 29: Recesso fim de ano.

    A quem desejar mandar nomes as nossas Correntes Espirituais,
recebemos nos seguintes endereços de e-mail's:
umbanda.yorima.rj@gmail.com
umbanda.yorima.rj2@gmail.com
umbanda.yorima.rj@hotmail.com

Atenção: Só recebemos nomes até as 13 horas do dia anterior ao dia da
Gira, pois esses nomes e pedidos entram em processo de imantação a
partir desse horário.


Grande axé e paz a todos.

Carlos de Ogum


sábado, 30 de dezembro de 2017 26 comentários

Despedida do ano de Oxossi e Oxum

              


    O ano se fecha, e com ele vai terminando a regência de dois lindos e poderosos Orixás.

    É o momento dos filhos e filhas de Pai Oxossi e Mãe Oxum dizerem adeus a 2017, e fazerem o balanço de como foi essa passagem tão rápida desses dois Orixás nas vidas não só dos tão ditos filhos, mas de todos os seres humanos.

    Como foi dito já quase no final de 2016, o ano de 2017 iria passar como uma flecha de Oxossi, e realmente foi assim. Quando menos esperávamos já estávamos nos meados do ano, já entrando para reger o ano junto com Oxossi, a bela Oxum, mãe das cachoeiras, deusa do amor e da família, fazendo que assim o senhor das matas e florestas caminhasse muito bem acompanhado até o fim de 2017.

    Após o jogo de Búzios de nosso amado Rei Congo no ano de 2016, no qual ele previu e confirmou quais seriam os Orixás do próximo ano juntamente com nossos queridos Pai Antero e Vovô Benedito, já foi criado uma grande expectativa, principalmente no que foi dito na rapidez da passagem do ano, e realmente parece que foi ontem que tudo foi esclarecido.

    E a flecha voou pelos ares em uma rapidez tão intensa que mal percebemos.

    Mas depois de muito corrermos para que não ficássemos para trás, e depois de piscarmos e respirarmos para tomarmos um fôlego, sem percebermos o ano termina.

    E fica a pergunta no ar, será que conseguimos por em prática os ensinamentos dos Pretos Velhos?

    Será que não nos acomodamos em algum fato?

    Será que conseguimos alcançar nossos objetivos?

    Será que vencemos nossos obstáculos?

    Esse ano, conforme dito foi muito propício para estudos, para busca de um futuro, para nos afirmarmos de vez em nossa profissão, ou entendermos que estamos no caminho correto.

    Foi um ano maravilhoso para o saber, o entender e o crescer, fazendo com que aquele que realmente se aplicou, colhesse os frutos da vitória.

    Os estudantes certamente notaram que foi um ano de luta sim, mas para aqueles que não se acomodaram, venceram.


    O ano de Oxossi realmente foi um ano de muitas descobertas científicas, muitas delas que darão esperanças aos seres humanos, descobertas como por exemplo que os pulmões também servem para produzir sangue. Cientistas da Universidade da Califórnia descobriram que esses órgãos produzem à maior pare das plaquetas do sangue, cerca de 10 milhões por hora, ou que um novo órgão humano, o mesentério , foi encontrado. Em um estudo , cientistas descobriram que ele une o intestino com a parede do abdômen, ou mesmo ainda que segundo pesquisas feitas na Austrália, é possível que a síndrome do ovário policístico tenha início no cérebro, não nos ovários, e além dessas descobertas dezenas de outras foram reveladas.

    Portanto o ano de Oxossi como foi dito foi extremamente importante para a ciência, porém muitas ainda não foram reveladas, principalmente na área de saúde humana por lutarem contra a ganância de muitos.

    Oxum chegou no segundo semestre, com ela veio as águas, a paz em família, o amor cresceu, porém para aqueles que desacreditam no poder fraternal das famílias, sofreram por acreditar em se encontrar presos, atados, encarcerados.

    Oxum distribuiu paz e amor, mas somente para aqueles de bom coração, sem egoísmo, sem rancor e com fé.

    Muitos se perderam por falsas paixões, muitos se entregaram a emoções sem utilizar a razão. E para esses, Oxum pede reflexão.

    Como dito a natureza iria se defender do ser humano em 2017, os mares iriam mostrar sua força, e assim aconteceu, tomaram espaços que antes era dito do homem.

    Foi previsto também que nesse ano de Oxossi e Oxum, teríamos um balanceamento entre a paz e a guerra, e foi dito que dependeria muito do livre arbítrio dos poderosos, porém esse livre arbítrio foi usado para atacar e criar o ódio, sempre com o intuito da guerra.

    Fomos alertados que a ganância de ditadores faria a miséria crescer. Muita fome, dores e doenças viriam por esse motivo, e que a perda da paz está propícia em muitas partes do planeta, tendo o medo crescente entre a humanidade.

    E assim vimos nos Estados Unidos, na Coréia do Norte, no Japão, na China, na Síria, na Coréia do Sul, e claro em nosso próprio país, o tão sofrido Brasil.

    E falando ainda do Brasil, foi dito que sem a união do povo, seremos apenas um grupo de sem futuro dominados pelos gananciosos do poder. E a resposta veio esse ano, o povo não se uniu, e o país se afundou nos mares da ganância, corrupção e miséria.

    As respostas vieram, conforme as lições dos Búzios de nossos Pretos Velhos.

    Vamos levar esse ano de Pai Oxossi e de Mãe Oxum como lição para o próximo ano, refletindo mais nas previsões dadas, compreendendo mais as palavras ditas.

    E vamos tentar não errar tanto no ano de 2018, que será regido por Pai Xangô, tendo a companhia da bela Iansã a partir do segundo semestre, para que assim o sofrimento seja diminuído e possamos só sorrir ao findar do ano.

    Feliz ano novo a todos os amigos e irmãos de fé.

    Obrigado Pai Oxossi e Mãe Oxum por terem nos acompanhado por todo ano de 2017.

    Sejam bem vindos pai Xangô e Mãe Iansã !


Carlos de Ogum


quarta-feira, 20 de dezembro de 2017 39 comentários

Mensagem Para o Fim de Ano de 2017

  


    Supremo Pai Oxalá,

    Poderoso Senhor, Pai de todos os Orixás.
    Meu Mestre do tempo passado, presente e futuro.

    Ao término desse ano, estou aqui humildemente para lhe agradecer por todas as bênçãos recebidas como presente de ti.

Quero lhe agradecer pela minha vida, pelos raiares dos dias belos, pelas flores que perfumaram meus dias, pelo Sol maravilhoso que nos aqueceu, pelos ventos que nos refrescaram, pela chuva que lavaram nossas indecisões, pela água límpida que nos matou a sede, pelo pão que nos matou a fome.

    Agradeço também amado Senhor, pelas dores que passei que me fizeram refletir sobre minha fragilidade, pelos obstáculos em meus caminhos que me ensinaram a ter calma para deles desviá-los, pelas lágrimas perdidas fazendo assim lavar minhas tristezas e agonias, por tudo que pedi e recebi, e por tudo que implorei e não recebi, pois assim aprendi a entender o verdadeiro merecimento.

     Agradeço pelos amigos que me acompanharam por todo ano, e agradeço pelos possíveis inimigos que tu certamente tiraste de meu caminho. Agradeço a sabedoria e a paciência de me fazer ouvir os problemas de alguém que buscava um caminho, e agradeço as palavras que me conduziste a falar; mesmo duras, para aqueles que não deram valor as bênçãos que o Senhor os concedeu.

    A ti Pai Oxalá, a todos os Orixás e a todas as Entidades de Luz, ofereço todas as minhas vitórias desse ano, todas as bênçãos que minhas mãos puderam tocar as coisas que pude construir com essas mesmas mãos, o bom trabalho realizado, as palavras vindas do coração, a caridade cedida a um irmão.

    Querido Pai Oxalá, nesse instante lhe entrego todos os amigos, que comigo percorreram tantos caminhos distribuindo a caridade.

    Entrego-lhe também os novos e antigos companheiros, que ao se aproximarem de mim em busca de auxilio, também me auxiliaram com alguma palavra a refletir.

   Entrego em suas mãos os irmãos que estão tão perto de mim, e também os que estão tão distantes, mas mesmo assim rompem fronteiras para me iluminar com a luz da amizade e da fé.

    Também peço muita proteção Senhor, para aqueles que me estenderam as mãos e me deram a palavra correta no instante da dúvida durante a minha caminhada, e claro também para aqueles que pediram minhas mãos num momento de desespero.

    Agradeço por cada resposta divina quando me sentia perdido dentro das dúvidas alheias e fatos ocorridos, e agradeço a luz no meu caminho que tu me acendeste cada vez que eu acreditava que algo não tinha saída.

    E nesse momento aproveito para além de lhe agradecer, fazer algo melhor, te pedir perdão.

    Perdão pelas palavras soltas e mal utilizadas, pelo tempo perdido em coisas supérfluas, pelo dinheiro não economizado e gasto em coisas desnecessárias, pela minha falta de compreensão com alguns fatos que achava irrelevante, pela minha falta de paciência com pessoas que eu achava que não mereciam atenção.

    Peço perdão ainda pela oração não passada a um irmão que precisava, ou pela mesma oração que não fiz no momento que era para ser feita.

    Perdão pelo momento que deixei um amigo necessitado aguardando uma palavra de conforto, enquanto eu mesmo estava tentando buscar uma própria palavra os meus problemas.

    Perdão por não ter agradecido o suficiente, e ter pedido mais do que eu precisava.

    Perdão Senhor por achar que às vezes meus problemas eram maiores dos que os ditos por meus semelhantes.

    Perdão pelas reclamações de um dia de chuva, ou pelo mau humor de um dia de calor extremo.

    Perdão por não ter posto em prática a missão dada por ti, de rezar com fé e sem limites por um irmão obsedado.

    Perdão pelo esquecimento no momento de nossas refeições com mesa farta, não rezarmos pelos irmãos famintos por todo o mundo.

    Querido Pai de todos nós, a ti entrego esse novo e abstrato ano.

    Ano esse que nem sabemos se chegaremos ao fim, que nem imaginamos o que podemos passar, que não sabemos quantos sorrisos daremos, quantas lágrimas rolarão de nossa face, quantas vezes ajoelharemos para fazermos uma oração, quantos pedidos receberemos por nosso merecimento, quantos obstáculos vamos desviar, e quantas vezes mais vamos clamar, pedindo e pedindo sem ao menos agradecer.

    Portanto, amado Pai Oxalá, hoje venho pedir sim, porém já agradecendo, para mim, meus amigos e possíveis inimigos, muita paz e amor extremo, o sorriso sem tristeza, a prudência e a fortaleza, a sabedoria e a lucidez, o otimismo e a bondade, a luz e a caridade.

    Senhor fechai meus ouvidos para a falsidade, fechai minha boca no momento das palavras egoístas e mentirosas.

   Que eu consiga ser sempre luz para aquele que se encontre na escuridão, que eu consiga ser estradas abertas para aquele que está buscando um caminho, que eu consiga ser paz para aquele que está em desespero, que eu consiga ser esperança para aquele que perdeu a fé.

    Lapide-me assim meu Pai, por todo esse ano que vai nascer, para que eu possa sempre levar seu nome, e assim semear uma bela corrente de paz, fraternidade, fé, caridade e principalmente amor uns com os outros.

    Querido Oxalá, a meus amigos irmãos que irão ler essa pequena mensagem, peço a ti que os encham de sabedoria, amor, paz e fé, fazendo assim com que essa bela corrente fraternal germine e comece a crescer por todo novo ano, por toda a eternidade.

    Eu com todo carinho desejo um maravilhoso ano novo a todos os irmãos, umbandistas ou não.

   Que Pai Oxalá, todos os maravilhosos Orixás e todas as lindas Entidades de Luz abençoe a cada um de nós, não só nesse novo ano, mas também por toda nossa vida, tanto de encarnado quanto de desencarnado.

Que assim seja!

E assim será...
**********************************************************************

Obs.: Nós do Terreiro Pai Ogum Megê temos um agradecimento especial as Entidades de Luz de nossa casa pelas palavras corretas na hora correta, pelas lições nos momentos de não entendimento, pelo carinho nos momentos de desespero, pela resposta na hora da dúvida, pela paciência nos momentos da teimosia, pela luz na hora da escuridão.

    Gostaria de agradecer ao Mentor da casa Vovô Rei Congo das Almas, que com carinho nos escuta, se alegra com nossas vitórias, chora com nossas tristezas e nossos erros. E com ele vem toda a maravilhosa legião de Pretos Velhos, que semana a semana nos deixa com sentimento de verdadeiros netos, pois a demonstração de amor, carinho, compaixão é de uma intensidade tão extrema que somente os vovôs e vovós poderiam nos proporcionar. Obrigado Pai Antero, Vovô Benedito, Vovó Joaquina, Vovó Anita, Pai José, Vovó Cambinda, Pai Cipriano, Vovô Chico, Vovô Joaquim, Pai Isidoro, Vovó Maria Conga, Vovó Benedita, Pai Antonio e Pai Casemiro.

    Devemos agradecer o firmamento dos Exús em nossos trabalhos e em nossa tronqueira, a alegria e os descarregos das Pombo Giras, dos Malandros e Malandras, dos Boiadeiros, dos Ciganos, e dos poderosos Caboclos e Caboclas.

    Agradecemos a ingenuidade das Ibeijadas, nossas amadas crianças; a cada sorriso dado, a cada lágrima perdida, a cada trabalhinho em prol da saúde, principalmente dos pequeninos.

    Obrigado a Cosmezinho de Oxum, que puxa sempre o trem, a Joãozinho das Matas, a Pedrinho de Xangô, a Rosinha de Omulú, a Aninha Estrelinha do Mar, a Joaninha, as Mariazinhas, aos Joãozinhos, ao Juquinha, e ao lindo Zezinho.

    Muito obrigado por estarem conosco todo o ano.

    Eu amo todas as Entidades, eu amo a Umbanda!



Carlos de Ogum
 
;